Publicidade
Entretenimento
Música

Banda amazonense Alderia lança primeiro single e anuncia EP

O primeiro disco oficial da banda deverá vir por volta do segundo semestre de 2017 13/09/2016 às 10:53
Show b0413 21f
A Alderia é composta por Zé Cardoso (vocais e guitarras), Diego Souza (baixo, synths e voz) e Viktor Judah (bateria e voz) (Divulgação)
Laynna Feitoza Manaus (AM)

A banda amazonense Alderia acaba de apresentar o primeiro single de seu primeiro EP. Intitulada “Detox”, a faixa é a primeira das sete músicas de “Banho”, trabalho da banda que será lançado no dia 23 de setembro. “Detox é uma música sobre término. É uma pessoa falando que esse término é uma espécie de desintoxicação para ela, e que ela vai ficar melhor dessa forma. É uma música bem positiva, apesar do tema meio espinhoso”, declara Diego Souza, baixista da banda.

O primeiro disco oficial da banda deverá vir por volta do segundo semestre de 2017. O EP é encarado pelos membros do grupo como uma reunião de singles, pondera o vocalista e guitarrista Zé Cardoso. “A gente optou por lançar ‘Detox’ primeiro, porque ela também abrirá o tracklist do EP. Daí, a gente pensa em trabalhar as músicas de maneiras diferentes, lançando material para a internet, da maior parte delas. Musicalmente falando, as músicas são bem diversas entre si”, opina Zé.

Os membros da banda buscaram liberdade na hora de trazer diferentes influências para as músicas e isso refletiu no track list. “A brasilidade é uma consequência das nossas influências, também. Cantamos em português e ouvimos música brasileira desde o berço. Esse tipo de ‘sotaque’, porém, não é uma busca na composição das músicas. É que ‘Detox’, entre outras, nasceram assim e quisemos preservar a essência da canção original”, complementa Cardoso, lembrando que The Police, Led Zeppelin, Caetano Veloso nas fases do álbum “Transa” e pós banda Cê foram quase uma “bíblia” para este processo.

Espelho

Questionado se a sonoridade do EP seria uma espécie de base para o que virá no disco oficial, Diego aponta que não. “No sentido dessas canções serem composições mais antigas que refletem um momento bem específico em que eu e Zé vivíamos. Nós já seguimos em frente e queremos falar sobre outras coisas e outros assuntos. Mas ao mesmo tempo, talvez a sonoridade (músicas mais agitadas, enérgicas) ainda continuem no disco, porque a gente está gostando muito de trabalhar esse som. É muito divertido tocar ao vivo”, coloca Souza.

Cardoso declara que, sobre a estética da produção, talvez o disco oficial soe mais “vazio” - no bom sentido - do que o EP. “A gente está buscando a simplicidade, mas sem ser simplório. No entanto, para canções que podem ser tranquilamente tocadas num violão”, assegura ele. “A gente está num estado de espírito de abraçar os nossos ‘eus’, nossa brasilidade. Por isso esse EP é tão pessoal. as letras são, salvo, engano, todas em primeira pessoa”, complementa Diego.

Ouça "Detox" clicando aqui

Publicidade
Publicidade