Quarta-feira, 21 de Abril de 2021
Música

Banda amazonense Pacato Plutão lança o álbum 'Soul do Norte'

Álbum estará disponível nas principais plataformas digitais a partir desta sexta (9) e faz referência às lutas diárias dos povos da região



pacato_1587C9FF-1C99-4C16-988C-5FBE2FF0E1C2.jpg O segundo disco do grupo busca manter viva a crença em dias melhores (Fotos: Rakel Caminha/Divulgação)
06/04/2021 às 19:08

Oito anos após sua formação original, o grupo “Pacato Plutão” lança nesta sexta (09) o segundo álbum de sua trajetória artística: “Soul do Norte”. Com sete faixas musicais, incluindo uma homônima, o disco procura passar uma mensagem sobre a luta diária dos povos da região pela sobrevivência, especialmente neste período tão turbulento.

“A mensagem do novo disco está em manter viva a chama da esperança de que dias melhores virão. Mesmo soando de forma ‘batida’ ou manjada, essa expressão nunca foi tão importante e necessária em um momento como este de pandemia, de extremismo, de negacionismo”, pontua o guitarrista e um dos fundadores do grupo, Leonardo Lima.



Iguais e Diferentes

Contemplado pelo Prêmio Manaus de Conexões Culturais/Lei Aldir Blanc, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), o novo disco é lançado seis anos após o álbum de estreia da “Pacato Plutão” – ativa no cenário musical amazonense desde 2013. Segundo Lima, há várias diferenças entre os dois trabalhos, principalmente diante da pandemia do novo coronavírus. “Vivemos um momento extremamente atípico, de muita tristeza, medo, insegurança e perdas de pessoas que amamos. E todos esses sentimentos estão inseridos no novo disco”, comenta.

Em relação à parte técnica, também é possível apontar mudanças. A banda gravou as baterias em formato ao vivo, dentro do estúdio, para dar uma “pegada mais solta e espontânea no trabalho”, e contou com instrumentos de percussão e um coral de vozes feito por todos os cinco membros – Leonardo; sua esposa e vocalista, Cynara Lima; o DJ Manuel Portuga; o baixista Thomaz Campos e o baterista Anastácio Júnior.

Apesar dessas diferenças, ambos os projetos são resultado de muito amor e dedicação, de acordo com o guitarrista, e envolvem pontos em comum. Uma delas está na forma de fazer música. “O amor em fazer música pela música são os mesmos. Não temos mais a pretensão de reconhecimento ou de sucesso em relação ao que produzimos. Se tivéssemos, talvez seríamos músicos frustrados e não produziríamos mais nada hoje em dia. Por isso a ‘música pela música’ como liberdade de expressão e contestação daquilo que nos oprime e nos entristece. E é nisso que se encontra a semelhança em relação ao primeiro disco. De resto, todas as canções são bem diferentes das do álbum de estreia”, salienta.

Pandemia

O lançamento do disco estava previsto para dezembro do ano passado, mas precisou ser adiado. Mesmo respeitando todas as medidas de segurança, como uso de máscaras e álcool gel e distanciamento mínimo entre as pessoas, alguns membros da banda foram diagnosticados com Covid-19.

“Infelizmente, uma semana antes do prazo para lançar o disco, eu, minha companheira, o baixista Thomaz Campos, o nosso produtor Bruno Prestes e todos nossos filhos contraímos a nova variante da doença causada pelo novo coronavírus. Por conta disso, tivemos que parar o trabalho”, explica Lima.

Após “pularem a fogueira da morte” - nas palavras do próprio guitarrista - foi possível retomar o processo de produção. De acordo com ele, em virtude de tudo que tem sido vivido durante a pandemia, o processo de composição das músicas do novo álbum foi intensificado, resultando em quase 40 músicas para seleção.

“Com a pandemia, a ‘chama’ da produção musical ou de um novo disco se reacendeu em nós, justamente por conta de todo o sentimento vivido neste período tão desafiador. Precisávamos botar isso pra fora de alguma forma. O edital da ManausCult chegou na hora certa”, enfatiza.

O disco “Soul do Norte” será lançado primeiramente no Youtube e depois em todas as principais plataformas musicais (Spotify, Deezer, Itunes, Amazon e Youtube Music) e nas redes sociais da “Pacato Plutão”.

Origem

A banda surgiu no cenário artístico amazonense em 2013, a partir de uma ideia em comum de quatro amigos: o casal Cynara e Leonardo Lima, Manoel Portuga (que ainda se mantêm na formação) e Marcelo Seráfico. Com nome homônimo, seu primeiro disco foi lançado dois anos depois, mais precisamente no dia 08 de agosto de 2015, no Festival Alienígena de Artes Integrada. A Pacato Plutão tem como referência vários estilos musicais, desde o rock clássico, blues, punk rock e grunge a ritmos regionais.

 

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.