Terça-feira, 20 de Agosto de 2019
Vida

Banda Selva Madre reúne amigos em show realizado nesta sexta-feira (3), em Manaus

O evento ‘No balanço da corda solta’, que mistura ritmos amazônicos com outros universais, será realizado a partir das 21h30, na Estação Cultural Arte & Fato



1.gif Leo Moraes, Eduardo Nogueira e Agostinho Guerrero fazem parte da banda
02/10/2014 às 14:35

O som instrumental feito a partir de ritmos amazônicos em harmonia com outros universais pela banda Selva Madre ganhou mais força, com a entrada de Crhis Silva e Marlisson Roberio, respectivamente no saxofone e trompete. Essa nova mistura poderá ser conferida na segunda edição do “No balanço da corda solta”, evento a ser realizado amanhã, às 21h30, na Estação Cultural Arte & Fato, tendo como atrações, além da Selva Madre, o rap da P8 Crew e o reggae da Santa Kaya.

Esta edição será uma versão “pocket”, com o público em volta dos artistas e num ambiente climatizado. O lucro da festa será direcionado para a gravação do segundo EP da Selva Madre, ainda sem nome definido. De acordo com Eduardo Nogueira, baixista da Selva Madre, apesar de ser uma banda nova, com som instrumental, o público da cidade está aceitando bem.

“O pessoal tem aceitado bem o estilo por ser algo intrigante e curioso – talvez –, mas também por ser dançante e contagiante. Nossa primeira prensagem do EP ‘Dedo de Macaco’ já se esgotou. Isso é muito bom, pois observamos que há várias e várias pessoas com gostos parecidos aos nossos”, disse o músico.

Releitura Antes do próximo EP, o agora quinteto lançará uma nova versão de uma música do primeiro registro fonográfico, mas ainda é segredo. “Do próximo, nós podemos adiantar que beberemos mais nas vertentes universais. Iremos do afrobeat ao soul music acompanhado da salsa e de um pouco de metal”, adiantou.

“Dedo de Macaco” mistura cúmbia, guitarrada, carimbó, com rock, reggae, ska, entre outros gêneros musicais. São seis faixas, sendo cinco autorais, como “No balanço da corda solta”, “Frevodelic”, “Cobra na areia quente” e “Pirão de bodó”. “O nome do EP se deu por causa deste toque amazônico. A questão do macaco também é pela curiosidade dele tocar em tudo, procurar conhecer tudo”, disse Nogueira, em outra entrevista ao jornal A CRÍTICA.

Novos parceiros Durante o evento, a Selva Madre apresentará os novos integrantes. Sobre esta adição na formação, o músico disse que agregou muito. “Deu mais chão para as músicas, mais um elemento (metais), entre outras coisas. Sem contar que são mais duas cabeças pensantes. Mais ideias, mais vontade e mais amigos”, declarou.

“Estamos divulgando o máximo do nosso som por qualquer lugar do mundo! A vantagem de ser instrumental: não faz com que tenhamos a ‘barreira’ do idioma. Até o fim do ano pretendemos fazer shows em outros Estados e lançar o novo EP”, acrescentou. Além de Eduardo Nogueira, Crhis Silva e Marlisson Roberio, o grupo conta com Agostinho Guerreiro (guitarra) e Léo Moraes (bateria).

Serviço

O que é “No balanço da corda solta”, com show da Selva Madre, P8 Crew e Santa Kaya

Onde Estação Cultural Arte & Fato, rua 10 de Julho, Centro, ao lado do Teatro Amazonas

Quando Nessa sexta-feira, às 21h30

Quanto R$ 10 (por pessoa)

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.