Domingo, 19 de Maio de 2019
TEATRO

Baseada em comédia francesa, peça ‘Tartufo-me’ estreia hoje (10) no Teatro Amazonas

Espetáculo que aborda o fundamentalismo religioso tem direção de Tércio Silva e interpretação de Dimas Mendonça



b0205-92f.jpg
Foto: Davi Penafort/Divulgação
10/04/2018 às 15:14

Com direção de Tércio Silva e interpretação de Dimas Mendonça, o espetáculo “Tartufo-me” estreia oficialmente nesta terça-feira (10) no Teatro Amazonas, Largo São Sebastião, em Manaus,depois de passar na 12º Mostra de Teatro do Amazonas. A sessão começa às 20h e os ingressos poderão ser adquiridos por R$ 10 (meia).

O espetáculo é uma adaptação para formato solo da comédia “Tartufo”, do autor francês Molière, encenada pela primeira vez em 1664. Na adaptação feita pelo ator Dimas Mendonça, Orgon é um simples padeiro e pai de família que, após conhecer seu “mentor espiritual”, Tartufo, entrega toda a vida a ele, tomando-lhe como um guia para sua salvação e de sua família. Mas Tartufo é um líder religioso fanático que pretende dominar o mundo.

“Esse espetáculo é para refletirmos. É um grito de alerta, de atenção, que ele movimente nossas mentes e nossas consciências a fim de pensarmos mais sobre nós mesmos, nossas atitudes e os discursos que reproduzimos, de quem são e a quem servem. É preciso entender melhor, mais a fundo, é preciso pensar no sentido de igreja, de religião e de Deus”, comenta o diretor Tércio Silva.

“Tartufo” (Le Tartuffe, em francês) é uma das mais famosas comédias da língua francesa de todos os tempos. Logo após a sua estreia, a peça foi censurada por ter sido considerada ofensiva pelos líderes religiosos, retratados na personagem-título como hipócritas e dissimulados. A peça foi proibida pelos tribunais do rei Luís XIV, onde a Igreja tinha grande influência, levando cinco anos para se liberada.

A repercussão da peça original foi tamanha que o termo tartufo, em língua portuguesa, como em outros idiomas, passou a ter a conotação de pessoa hipócrita ou falso religioso, originando ainda uma série de palavras derivadas, como tartufice, tartúfico ou ainda o verbo tartuficar - significando enganar, ludibriar com atos de tartufice.

Hoje, mais de trezentos anos depois, a peça ganha em Manaus uma nova adaptação, com uma montagem mais realista que retrata e explora os tempos atuais, ampliando e potencializando as críticas presentes no texto original.

A releitura promovida pela UM Teatro Produções, em parceria com a RS Projecta, não apenas valoriza o legado artístico de um dos maiores mestres da comédia satírica, como lança um olhar crítico contundente sobre a realidade que expõe à sociedade contemporânea os impactos da interferência da religião vivenciada de forma fundamentalista e alienada na vida das pessoas.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.