Publicidade
Entretenimento
Vida

Belas mulheres mostram porque a 'vida começa aos 40 anos'

Segundo elas, que se dedicam ao trabalho e à família diariamente sem perder a classe, a alegria é o melhor benefício a quem quer preservar a juventude 13/09/2014 às 17:29
Show 1
Tudo em cima após os 40
laynna feitoza ---

Dizem os ditados populares que o tempo realça a alma e a beleza das mulheres. Na reportagem-capa desta edição, este discurso deixa de ser uma mera dedução e vira certeza. Taiko Fernandes (43), Alessandra Figliuolo (43), Márcia Guerreiro (41), Alessandra Queiroz (40) e Sheila Jacob (41) são mulheres como qualquer outra: se dedicam ao trabalho e à família com o mesmo empenho, mas que deixam transparecer uma jovialidade muito além dos anos que viveram. Eis a prova viva de que, acima de tudo, a alegria é o melhor benefício a quem quer preservar a juventude e a boa aparência.

Elas compartilham com o VIDA & ESTILO de hoje as lições divididas entre amigos e familiares, os segredos de beleza, os aprendizados que retiram da convivência com os filhos, o recente amor dedicado aos netos, as dicas de moda e gargalhadas que trocam com as amigas dos filhos; bem como o que comem, como e quando se exercitam e, principalmente, quem são as pessoas que as auxiliam nesta jornada ininterrupta de ser a fortaleza de todos os que vivem ao redor delas: mulheres donas de carreiras consolidadas, de estabilidade financeira e emocional e, principalmente, sem as amarras psicológicas de quem tem lá seus 20 ou 30 e poucos anos. E tal segurança em si mesmas pode ser explicada por mais um ditado: “A vida começa aos 40”.

Alessandra Queiroz, 40


Conhecida pelo marido e pelos filhos Bruno, 19, e Gabrielle, 14, como determinada e focada em tudo o que faz, a administradora confessa que às vezes cede aos doces, mas que procura o quanto antes voltar à alimentação regular, que não inclui comidas salgadas demais. Adepta a esportes desde pequena, ela se alimenta de três em três horas e recebe orientações de sua ortomolecular, Heloísa Rocha, e a ajuda de bons cremes faciais e corporais para cuidar da beleza. Apesar de sua profissão exigir um estilo mais clássico, ela não abandona um estilo casual. “Acredito que a beleza só existe porque vivo bem comigo mesma. Sou sempre alegre e alto astral, e amada por amigos e família. A genética também ajuda, é claro!”, diverte-se.

Márcia Guerreiro, 41


A empresária assume ser pouco vaidosa, e abdicar de massagens ou demais tratamentos de beleza. “O maior segredo é estar de bem com a vida”, diz ela. E tal vontade de viver é o que faz seus quatro filhos Carol, 23, Victoria, 21, Felipe, 19, e Beatriz, 15 se orgulharem de ter uma mãe jovem. Orgulho que deverá ser reforçado por Davi, 2, e Paulo - que deve nascer neste mês – no futuro, em relação à avó Márcia. Guerreiro destaca que em seu guarda roupa não entram roupas coladas e que a corrida faz bem à sua mente, libera o stress e a faz manter o astral. “A corrida me faz sentir livre, sem horário ou tempo determinado. Faço treinamento funcional com um preparador físico e costumo comer de tudo, mas sem exageros”, coloca.

Sheila Jacob, 41


Uma vida tranquila em família, sem noitadas e longe da preocupação acerca do curso natural da vida – que é envelhecer – são as ideologias da advogada, que se veste de forma básica no dia a dia e não abre mão de se produzir um pouco mais quando se encontra com as amigas. “Todo o ano que inicia digo que vou começar alguma atividade física, mas tenho a consciência da importância e por isso sempre me programo para num futuro bem próximo começar”, comenta.

Taiko Fernandes, 43


Para a advogada , a idade está, definitivamente, apenas na cabeça. Tanto estilo e personalidade a faz ser bastante procurada pelas amigas dos filhos - Roberto, 24, Rafaella, 22, e José Eduardo, de 14 - que sempre passam mensagens a ela pedindo dicas de roupas, cabelos ou makes. “Me sinto lisonjeada e dou a maior corda! Acredito que esta confiança e liberdade com os adolescentes me torna uma pessoa mais jovem, o que os atrai para perto de mim”. Ela confessa não gostar de malhar, mas reconhece a importância de praticar atividades físicas. “Sou bem eclética nas minhas produções, mas geralmente sou básica, porém, coloco sempre um toque diferente nas roupas que visto. E deleto pessoas de baixo astral da minha vida. A vida é breve, não gasto minhas energias com quem não tem valor”, assegura.

Alessandra Figliuolo, 43


Constantemente confundida como a “irmã” do filho Alcemir, 23, a diretora de secretaria do Juizado Especial Criminal impressiona pela beleza e crê que a aparência física é resultado da paz espiritual, reflexo da luz interior. Ela, porém, não esconde os seus truques. “No dia a dia procuro dormir cedo, pois acordo às 6h da manhã. Costumo tomar suco verde e vitaminas: isso me faz sentir bem e com mais energia para enfrentar o dia. Não saio de casa sem protetor solar e batom”, pondera ela, que faz pilates e esteira regularmente. “É curiosa a forma como as pessoas reagem quando digo minha idade, geralmente se assustam e dizem que não aparento (risos)”, completa.

Publicidade
Publicidade