Publicidade
Entretenimento
Vida

‘Birdman’ brilha na cerimônia do Oscar 2015 com melhores prêmios

Leia mais e saiba quem foram os vencedores de cada categoria da maior premiação do cinema mundial 23/02/2015 às 09:33
Show 1
Diretor Alejandro Iñárritu com a estatueta do Oscar de melhor diretor por "Birdman"
Lisa Richwine e Nichola Groom (Reuters) Los Angeles

A comédia de humor negro "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" ganhou o mais alto reconhecimento do cinema mundial por sua representação de Hollywood e dos atores em crise, ao receber o Oscar de melhor filme na cerimônia realizada na noite de domingo.

A história dirigida por Alejandro González Iñárritu, de um ex-intérprete de super-herói que tenta uma volta por cima improvável na carreira com uma peça na Broadway, ganhou no total quatro estatuetas entre nove indicações, incluindo para melhor diretor, o segundo consecutivo nesta categoria para um cineasta mexicano.

Aclamado por parecer ter sido filmado em uma tomada única em um teatro da Broadway e por misturar fantasia e realidade, o filme, disse Iñárritu, surgiu da vitória da coragem sobre o medo na hora de filmar.

"O medo é o preservativo da vida. Não te deixa aproveitar as coisas", disse o diretor durante a 87ª edição do Oscar.

A recompensa para a sátira da Fox Searchlight repete uma tradição da Academia de premiar filmes que homenageiam a indústria do entretenimento, como "Argo" e "O Artista" nos últimos anos.

O britânico Eddie Redmayne levou o prêmio de melhor ator por sua minuciosa interpretação do físico Stephen Hawking em "A Teoria de Tudo", tirando a estatueta de Michael Keaton, que conseguiu um grande retorno ao sucesso em “Birdman”.

Cada um dos oito indicados a melhor filme foi para casa com pelo menos um prêmio, mas foi uma noite decepcionante para "Boyhood – Da Infância à Juventude", no qual Richard Linklater retratou durante 12 anos o crescimento de um menino usando os mesmos atores – um recurso sem precedentes em Hollywood. O filme era indicado em seis categorias, mas só levou uma estatueta.

"O Grande Hotel Budapeste", uma exuberante travessura de Wes Anderson, conquistou a aprovação dos 6.100 membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas que escolhem os ganhadores do Oscar, vencendo quatro dos nove prêmios para os quais foi indicado.

"Whiplash – Em Busca da Perfeição", o filme independente sobre um baterista de jazz aspirante e seu autoritário professor, do diretor Damien Chazelle, ganhou três Oscar.

O único grande sucesso de bilheteria entre os oito, o drama "Sniper Americano", do diretor Clint Eastwood, que enfoca a Guerra do Iraque, também só levou uma estatueta, na categoria melhor edição de som.

Foi uma noite em que a controvérsia sobre a falta de diversidade entre os indicados aos prêmios este ano se tornou tema central. O apresentador Neil Patrick Harris, que pela primeira vez conduzia a cerimônia, iniciou sua apresentação com um gracejo sobre a premiação dos melhores “e mais brancos de Hollywood”.

Mas o tema da raça também apareceu em tom sério, quando Common e Legend foram aplaudidos de pé e fizeram muitos na plateia chorarem com sua interpretação de “Glory”, do drama “Selma”, sobre a luta pelos direitos civis nos anos 1960.

“Glory” ganhou o prêmio de melhor canção –o único recebido por "Selma"- filme no centro da controvérsia sobre a diversidade por causa da exclusão de atores negros nas quatro categorias de intérprete. A falta de negros entre os nomeados provocou protestos no Twitter.

"'Selma' é agora, porque a luta pela justiça é agora", disse Legend, numa referência aos protestos recentes nos Estados Unidos contra a discriminação dos negros.

Juliane Moore e Patricia Arquette

Todos os quatro vencedores na categoria de intérprete receberam seu primeiro Oscar.

Redmayne foi aclamado pela crítica por sua performance nas várias etapas de deficiência enfrentada por Hawking, portador de esclerose lateral amiotrófica (ELA). “Estou plenamente consciente de que sou um homem de muita, muita sorte", disse Redmayne.

"Este Oscar pertence a todas as pessoas do mundo que enfrentam a ELA."

Candidata cinco vezes, Julianne Moore ganhou o Oscar de melhor atriz também pela interpretação de uma pessoa enfrentando uma doença, uma mulher sofrendo do mal de Alzheimer em "Para Sempre Alice".

"Li um artigo que dizia que ganhar um Oscar pode a levar a viver mais cinco anos", disse a atriz, de 54 anos. "Se for verdade, eu realmente gostaria de agradecer à Academia porque meu marido é mais jovem do que eu."

Patricia Arquette ganhou como melhor atriz coadjuvante pelo papel de uma mãe solteira em "Boyhood", e no seu discurso fez um apelo pela igualdade de direitos e de salários para as mulheres nos Estados Unidos.

J. K. Simmons, depois de décadas de carreira, ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante por interpretar um terrível professor de música em "Whiplash".

Para o maior evento televisionado não esportivo dos EUA, a Academia de Hollywood procurou atrair espectadores jovens, que talvez não se importem muito com os filmes, mas que poderiam sintonizar a TV para ver os shows exibidos na cerimônia.

A ponte entre os jovens e os mais velhos, a diva pop Lady Gaga, foi aplaudida de pé por seu mix de músicas de "A Noviça Rebelde", antes de apresentar a estrela do filme, Julie Andrews.

Harris provocou risos com sua ousada aparição usando apenas cuecas, uma paródia da cena de abertura de Michael Keaton em "Birdman". Mas algumas de suas piadas não agradaram e sua estreia como apresentador da cerimônia recebeu tanto críticas como elogios.

O polonês "Ida" conquistou o prêmio de melhor filme em língua estrangeira, e seu diretor, Pawel Pawlikowski fez um longo discurso de agradecimento. O prêmio de melhor documentário foi para "Citizenfour," da diretora Laura Poitras, sobre o ex-prestador de serviços da Agência de Segurança Nacional (NSA) Edward Snowden, que vazou informações sobre programas secretos de vigilância em massa.

(Reportagem adicional de Piya Sinha-Roy, Eric Kelsey, Alex Dobuzinskis e Tim Reid; Reportagem de Mary Milliken)

Confira a lista de vencedores

Melhor filme: "Birdman". Concorrentes: "Sniper americano", "Boyhood: Da infância à juventude", "O grande hotel Budapeste", "O jogo da imitação", "Selma", "A teoria de tudo" e "Whiplash".

Melhor diretor: Alejandro Gonzáles Iñárritu ("Birdman"). Concorrentes: Richard Linklater ("Boyhood"), Bennett Miller ("Foxcatcher: Uma história que chocou o mundo"), Wes Anderson ("O grande hotel Budapeste"), Morten Tyldum ("O jogo da imitação").

Melhor ator: Eddie Redmayne ("A teoria de tudo"). Concorrentes: Steve Carell ("Foxcatcher"), Bradley Cooper ("Sniper americano"), Benedict Cumberbatch ("O jogo da imitação"), Michael Keaton ("Birdman").

Melhor atriz: Julianne Moore ("Para sempre Alice"). Concorrentes: Marion Cotillard ("Dois dias, uma noite"), Felicity Jones ("A teoria de tudo"), Rosamund Pike ("Garota exemplar"), Reese Witherspoon ("Livre").

Melhor ator coadjuvante: J.K. Simmons ("Whiplash"). Concorrentes: Robert Duvall ("O juiz"), Ethan Hawke ("Boyhood"), Edward Norton ("Birdman"),  Mark Ruffalo ("Foxcatcher")

Melhor atriz coadjuvante: Patricia Arquette ("Boyhood"). Concorrentes: Laura Dern ("Livre"), Keira Knightley ("O jogo da imitação"), Emma Stone ("Birdman"), Meryl Streep ("Caminhos da floresta").

Melhor roteiro original: Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. e Armando Bo ("Birdman"). Concorrentes: Richard Linklater ("Boyhood"), E. Max Frye e Dan Futterman ("Foxcatcher"), Wes Anderson e Hugo Guinness ("O grande hotel Budapeste"), Dan Gilroy ("O abutre").

Melhor roteiro adaptado: Graham Moore ("O jogo da imitação"). Concorrentes: Jason Hall ("Sniper americano"), Paul Thomas Anderson ("Vício inerente"), Anthony McCarten ("A teoria de tudo"). Damien Chazelle ("Whiplash").

Melhor filme em língua estrangeira: "Ida" (Polônia). Concorrentes: "Leviatã" (Rússia), "Tangerines" (Estônia), "Timbuktu" (Mauritânia), "Relatos selvagens" (Argentina).

Melhor documentário: "CitizenFour". Concorrentes: "O Sal da Terra", "Finding Vivian Maier", "Last days" e "Virunga".

Melhor animação: "Operação Big Hero". Concorrentes: "Como treinar o seu dragão 2", "Os Boxtrolls", "Song of the sea", "O conto da princesa Kaguya".

Melhor fotografia: Emmanuel Lubezki ("Birdman"). Concorrentes: Robert Yeoman ("O grande hotel Budapeste"), Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski ("Ida"), Dick Pope ("Sr. Turner"), Roger Deakins ("Invencível").

Melhor montagem: Tom Cross ("Whiplash"). Concorrentes: Joel Cox e Gary D. Roach ("Sniper americano"), Sandra Adair ("Boyhood"), Barney Pilling ("O grande hotel Budapeste"), William Goldenberg ("O jogo da imitação").

Melhor figurino: Milena Canonero ("O grande hotel Budapeste"). Concorrentes: Mark Bridges ("Vício inerente"), Colleen Atwood ("Caminhos da floresta"), Anna B. Sheppard e Jane Clive ("Malévola") e Jacqueline Durran ("Sr. Turner").

Melhor maquiagem e cabelo: Frances Hannon e Mark Coulier ("O grande hotel Budapeste"). Concorrentes: Bill Corso e Dennis Liddiard ("Foxcatcher"), Elizabeth Yianni-Georgiou e David White ("Guardiões da Galáxia").

Melhor design de produção: "O grande hotel Budapeste". Concorrentes: "O jogo da imitação", "Interestelar", "Caminhos da floresta", "Sr. Turner".

Melhores efeitos visuais: Paul Franklin, Andrew Lockley, Ian Hunter e Scott Fisher ("Interestelar"). Concorrentes: Dan DeLeeuw, Russell Earl, Bryan Grill e Dan Sudick ("Capitão América 2: O soldado invernal"); Joe Letteri, Dan Lemmon, Daniel Barrett e Erik Winquist ("Planeta dos macacos: O confronto"); Stephane Ceretti, Nicolas Aithadi, Jonathan Fawkner e Paul Corbould ("Guardiões da Galáxia"); e Richard Stammers, Lou Pecora, Tim Crosbie e Cameron Waldbauer ("X-Men: Dias de um futuro esquecido").

Melhor canção: "Glory", de John Stephens e Lonnie Lynn ("Selma"). Concorrentes: "Everything is awesome", de Shawn Patterson ("Uma aventura Lego"); "Grateful", de Diane Warren ("Além das luzes"); "I'm not gonna miss you", de Glen Campbell e Julian Raymond ("Glen Campbell…I'll be me"); "Lost Stars", de Gregg Alexander e Danielle Brisebois ("Mesmo se nada der certo").

Melhor trilha sonora: Alexandre Desplat ("O grande hotel Budapeste"). Concorrentes: Alexandre Desplat ("O jogo da imitação"); Hans Zimmer ("Interestelar"); Gary Yershon ("Sr. Turner"); Jóhann Jóhannsson ("A teoria de tudo").

Melhor mixagem de som: Craig Mann, Ben Wilkins e Thomas Curley ("Whiplash"); Concorrentes: John Reitz, Gregg Rudloff e Walt Martin ("Sniper americano"); Jon Taylor, Frank A. Montaño e Thomas Varga ("Birdman"); Gary A. Rizzo, Gregg Landaker e Mark Weingarten ("Interestelar") e Jon Taylor, Frank A. Montaño e David Lee ("Invencível").

Melhor edição de som: Alan Robert Murray e Bub Asman ("Sniper americano"). Concorrentes: Martín Hernández e Aaron Glascock ("Birdman"); Brent Burge e Jason Canovas ("O hobbit: A batalha dos cinco exércitos"); Richard King ("Interestelar"); Becky Sullivan e Andrew DeCristofaro ("Invencível").

Melhor curta-metragem: "The phone call". Concorrentes: "Aya"; "Boogaloo and Graham"; "Butter lamp (La lampe au beurre de Yak)" "Parvaneh".

Melhor animação em curta-metragem: "Feast". Concorrentes: "The bigger picture"; "The dam keeper"; "Me and my moulton"; e "A single life".

Melhor documentário em curta-metragem: "Crisis Hotline: Veterans Press 1". Concorrentes: "Joanna"; "Our curse"; “The reaper (La Parka)"; "White earth".

Publicidade
Publicidade