Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
Vida

Bois de Manaus se enfrentam neste sábado (11) no Centro Cultural Povos da Amazônia

Brilhante, Corre Campo e Garanhão irão se apresentar pela primeira vez na mesma noite, a partir das 20h. As apresentações gratuitas fazem parte da programação do 59º Festival Folclórico de Manaus



1.jpg
Fundado em 1982, o Boi-Bumbá Brilhante se apresenta na arena do Centro Cultural Povos da Amazônia na noite deste sábado em busca do bicampeonato
11/07/2015 às 09:38

A arena do Centro Cultural Povos da Amazônia será palco de uma disputa inédita na noite de hoje, a partir das 20h. Pela primeira vez, irão se apresentar na mesma noite no local os representantes da categoria principal dos bois-bumbás de Manaus: Brilhante, Corre Campo e Garanhão. As apresentações gratuitas fazem parte da programação do 59º Festival Folclórico de Manaus.

‘Divina natureza’

Quem abre a disputa é o Boi-Bumbá Corre Campo, que este ano defende o tema “Divina Natureza”. “Vamos mostrar a todos que devemos preservar a Natureza, que é um presente de Deus, e que também fazemos parte dela”, antecipa Leon Medeiros, membro do Conselho Artístico do bumbá, presidido por Alvacir Siqueira.

Medeiros define a parte coreográfica como ponto forte do espetáculo que o Corre Campo levará à arena este ano, com destaque para o Ritual Yeroki Ñamandú, que os índios Guarani dedicam ao Sol, e para a Lenda da Iara, a mãe das águas. “Com isso evidenciamos a Água, fonte de vida, e o Sol, fonte de luz, dois elementos essenciais da Natureza”, explica ele.

A expectativa do bumbá, declara Medeiros, é fazer um espetáculo impecável este ano. “Em 2013, tivemos pontos impugnados e acabamos perdendo. Em 2014, perdemos por poucos décimos. Agora trabalhamos nossos erros para não deixar escapar nada e fazer uma grande apresentação”.

‘Encantarias xamânicas’

A segunda apresentação da noite será do Boi-Bumbá Brilhante. O atual campeão da categoria Bumbá Master A defende este ano o tema “Encantarias Xamânicas”, com foco nas lendas e culturas amazônicas. “Vamos falar também da preservação e da invasão dos brancos, da sua tentativa de conquistar os índios e da resistência indígena”, explica Fabrício Sassá, diretor de arena e coreógrafo de tribos do bumbá.

O Auto do Boi promete ser um dos destaques do Brilhante na arena, segundo Sassá. “Há alguns anos damos atenção ao Auto, que os outros bois esqueceram um pouco como fazer. É o nosso carro-chefe, mas também a Lenda Amazônica e o Ritual terão destaque. Cada divisão traz alegorias, e todas vêm grandes”, adianta o artista.

A agremiação, nascida na Zona Leste e hoje radicada no São Francisco, vai à disputa com confiança. “O Brilhante está com um bom trabalho, pronto para ir à arena e esperamos ser bicampeões”, resume Rosa Lemos, presidente do bumbá. “O Brilhante sempre se destaca e traz as melhores alegorias. Não levamos todos os títulos, mas brincamos mais bonito”, emenda Sassá.

‘Canto de lendas’

Os pássaros e seu canto protagonizam o show do Boi-Bumbá Garanhão, que encerra a festa no Povos da Amazônia com o tema “Canto de lendas”. “Em quase todas as culturas, os pássaros trazem as mensagens divinas. Vamos aos primórdios, na Grécia, mostrando o encanto dos pássaros em lendas”, conta Ivo Morais, presidente do bumbá.

Cada tribo da agremiação, antecipa Morais, vai representar diferentes aves, e a Lenda Amazônica vai narrar a história do Japuaçu, com direito a uma tribo de curumins. Entre as novidades, o Garanhão planeja lançar uma nova roupagem para o figurino tribal, mais leve. E também um Auto do Boi diferente, que depois se transforma na Lenda Amazônica. “Vamos apresentar o auto tradicional, mas num cenário indígena, coisa que nunca ninguém fez”.

O Garanhão guarda boa expectativa para a apresentação ao lado dos dois outros bumbás, com fé numa competição equilibrada. “Manaus vem aguardando esse momento, por onde passo só ouço falar dessa disputa. O sentimento do Garanhão é que seja uma disputa decente, e que vença o melhor”, declara Morais. “O que queremos, afinal, é o engrandecimento da disputa do boi-bumbá em Manaus”, finaliza.

Ascensão e queda

O boi-bumbá que ficar em último colocado na disputa de hoje será rebaixado para a categoria Bumbá Master B, que este ano teve o Bumbá Carinhoso como campeão. Com a vitória, o Carinhoso está automaticamente classificado para o grupo Bumbá Master A, em 2016.

Mudanças são desafio

Para possibilitar que as apresentações de Brilhante, Corre Campo e Garanhão pudessem ser feitas na mesma noite, o tempo máximo de apresentação para cada agremiação diminuiu de 2h30 para 2h. “Foi necessário para poder comportar os três bumbás na mesma noite”, explica Raimundo Nonato, presidente da Associação Movimento Bumbás de Manaus.

Ainda assim, a mudança trouxe alguns pontos negativos, como a falta de condução para os brincantes após a meia-noite – as apresentações têm duração prevista até as 2h30. “Outro problema é a infraestrutura que não ajuda. Temos alegorias grandes e não temos espaço. E o local não tem estacionamento”, aponta Nonato.

Por outro lado, ele acredita que o novo formato adotado pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos e pela Secretaria de Estado de Cultura, parceiras na realização do festival, está “no caminho certo”. “Acredito que o público vai voltar a comparecer. Nós nos adaptamos, esperamos fazer um belíssimo espetáculo e que o público goste do que iremos apresentar”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.