Publicidade
Entretenimento
Vida

Brincadeira como aliada na educação e no desenvolvimento das crianças

Segundo estudos, a criança aprende a conhecer o mundo no brincar. A pedagoga Mônica Bassan defende esta ideia e propõe uma educação integral e sensível 23/05/2015 às 11:31
Show 1
Monica defende respeito ao tempo e à individualidade da criança
Jony Clay Borges Manaus (AM)

Mais do que uma forma de passar o tempo, brincar é essencial para o desenvolvimento das crianças. Embora esta seja uma noção defendida há bastante tempo por pedagogos e educadores, ainda não é muito aplicada na realidade da educação infantil.

A pedagoga Mônica Bassan, que atua na educação há mais de 20 anos, conta que muitos pais preferem ver os filhos estudando a vê-los brincando, sem se dar conta de que isso pode causar mais problemas que benefícios ao seu crescimento.

“Hoje há crianças com agendas de executivo: têm hora para balé, judô, línguas, natação, caratê, e por aí vai. E a hora de ser criança, de perceber e absorver o ambiente ao seu redor, fica pausada”, declara a especialista, explicando que essa “anestesia dos sentidos” imposta cada vez mais cedo às crianças acaba impedindo a sensibilização delas para o mundo por meio de seus corpos e sentidos. “Isso não só não gera desenvolvimento como ainda pode causar bloqueios, ansiedade, estresse e outros transtornos”, alerta.

A preocupação dos pais, comenta Mônica, às vezes chega ao absurdo. “Não é incomum um pai que vai matricular seu filho na pré-escola e perguntar sobre a preparação para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio)”, conta ela, que vê a atual geração como preocupada sempre com o amanhã. “Assim não vivemos o hoje, e nem permitimos que nossas crianças vivam”, diz.

Integral e sensível

É justamente em contraponto a essa visão de se queimar etapas que Mônica propõe o que chama de educação integral e sensível. “Quando se fala em educação integral logo vem à cabeça das pessoas o tempo estendido. Mas aqui se trata de tempo e qualidade, isto é, ver a criança em sua forma complexa, biopsicossocial: corpo, mente, cognição, relações sociais, afetivas, todos os aspectos que envolvem esse ser. Trata-se, portanto, de uma educação que garanta a qualidade do tempo, observando esse ser de forma completa, e não apenas de se ter um conjunto de atividades para ocupar o tempo da criança”, resume.

A proposta, esclarece a pedagoga, não envolve uma mera mudança na agenda infantil, mas uma mudança de viés na educação que permita à criança explorar o mundo no seu tempo e com autonomia. “Não é proibido aulas de natação ou dança: na verdade se trata de experimentar o corpo na água, brincar com movimentos, sempre respeitando o tempo da criança”, exemplifica. “É ela estar num ambiente educativo e educado, onde pode escolher o que quer explorar, com a orientação de uma pessoa de bom olhar”.

A proposta de educação integral e sensível de Mônica se associa ainda com estudos que defendem que o pensamento não se desenvolve de forma compartimentada, como em disciplinas, mas de forma global. “Ao brincar, a criança observa o mundo e se movimenta nele. Nisso, desenvolve noções de várias disciplinas, como física ou matemática, enquanto se organiza por dentro”, explica a pedagoga. Nessa visão, ela acresce, “o brincar é a primeira forma de pensamento integrado”.

Mônica, que também é mãe, conta que em casa busca permitir, na medida do possível, que as filhas vivenciem o tempo de serem crianças. “O lugar do faz de conta é um refúgio emocional de tranquilidade. Quando adulta, a criança terá esse lugar de aconchego, que veio do brincar lá atrás”, diz.

Estimular o brincar, para a pedagoga, é possível mesmo dentro de apartamentos pequenos. “Dá para trocar a TV por música, levar massinhas, tecido, um balde d’água. E um parquinho perto de casa é infalível”, sugere.

O mais importante, ela afirma, é se dar conta de que “a criança aprende com o corpo primeiro, que o cognitivo se forma por meio das sensações”.

E para levar essa noção à prática, conclui Mônica, não é preciso muito: “Dentro de uma simples bacia d’água, dá para criar um mundo inteiro de sensações para uma criança”.

Palestra e curso

Mônica Bassan esteve em Manaus esta semana para falar sobre “Os caminhos para uma educação integral e sensível”. Para saber mais sobre o tema, basta visitar a página da pedagoga e educadora física no Facebook, sob o nome “Monica Bassan - Desenvolvimento Infantil”.

Publicidade
Publicidade