Terça-feira, 27 de Outubro de 2020
Vida

Caixa Cultural promove mostra inédita de filmes sobre arte de rua

São cerca de 30 documentários, filmes experimentais e de ficção, que serão exibidos até o dia 4 de novembro



1.jpg Caixa Cultural no Rio apresenta Caradura
23/10/2012 às 08:56

Pela primeira vez no Brasil, as manifestações artísticas desenvolvidas no espaço público, que têm no grafite sua expressão mais conhecida, são tema de uma mostra de cinema. A partir desta terça-feira (23), a Caixa Cultural no Rio apresenta Caradura – Mostra Internacional de Filmes de Arte Urbana, com uma seleção de curtas, médias e longas-metragens que retratam esse movimento artístico, presente hoje em todas as grandes cidades do mundo.

São cerca de 30 documentários, filmes experimentais e de ficção, que serão exibidos até o dia 4 de novembro, quando a primeira edição do Caradura terminará com um debate sobre a arte urbana no Brasil. Na programação, estão trabalhos de cineastas renomados, como os franceses Chris Marker e Agnés Varda, e o documentário Style Wars, premiado no Festival de Sundance, nos Estados Unidos, em 1984.



Para o curador da mostra, o chileno Pablo Aravena, a iniciativa é muito importante para fomentar a produção audiovisual sobre a arte urbana brasileira, “tão reconhecida e admirada fora do país”. Apenas dois longas - Pixo e Luz, Câmera e Pichação - e quatro curtas a serem exibidos na mostra são produções brasileiras. “A realização de filmes sobre esse tema ainda é algo muito novo no país”, afirma Aravena, produtor e curador de arte de rua que vive em Montreal, no Canadá.

As sessões da Mostra Internacional de Filmes de Arte Urbana serão de terça-feira a domingo, às 14h, 16h e 18h, com ingressos a R$ 2 e R$ 1, a meia-entrada. A Caixa Cultural fica na Avenida Almirante Barroso, 25, no centro do Rio. A programação completa do evento está disponível no site www.caixacultural.com.br.

 Os candidatos também divergiram sobre os gastos militares. Ronmey acusou Obama de tornar o país menos seguro por propor um corte de gastos de US$ 1 trilhão no orçamento de defesa americano.

Ronmey apontou que a Marinha norte-americana é a menor desde 1917 e que a Força Aérea dos Estados Unidos está mais enxuta do que quando foi criada, em 1947. "Acho que o governador Romney não passou muito tempo estudando como funcionam as Forças Armadas", disse Obama.

Para o presidente, o investimento de US$ 2 trilhões nas Forças Armadas, proposto por Romney, é incongruente com seu plano de corte de US$ 5 trilhões em impostos e reequilíbrio orçamentário.

A América Latina foi mencionada apenas uma única vez. Romney citou seu plano de cinco pontos para reviver a economia norte-americana, dos quais um é elevar o comércio exterior, principalmente com os vizinhos.

 

 

 

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.