Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
Vida

Campanha #BermudaSim volta com tudo na estação de 2015

A justificativa é uma só: poder usar a peça é uma questão de bem-estar num País tropical como o nosso, onde a sensação térmica em algumas cidades beira os 50° no auge do verão



1.gif Bermudas, por que não?
31/01/2015 às 19:01

Assunto do último verão, a campanha #BermudaSim voltou com tudo na estação de 2015 a partir da adesão de mais empresas ao movimento, que pede o fim das barreiras do dress code no ambiente de trabalho e a liberação da bermuda nos escritórios. A justificativa é uma só: poder usar a peça é uma questão de bem-estar num País tropical como o nosso, onde a sensação térmica em algumas cidades beira os 50° no auge do verão.

Enquanto a multinacional Walmart.com promoveu um “Bermuday” no seu escritório de São Paulo, no mês de janeiro, no Hotel Urbano, do segmento de turismo, desde 2011 que todo dia é dia de bermuda. Como aqui no Norte do País o calor não costuma dar trégua o ano inteiro, a ideia de flexibilizar o vestuário no trabalho caiu como uma luva.

Depois da experiência com o “Casual Day”, que permite roupas menos formais às sextas-feiras, a TIM é uma das que levantou a bandeira do #BermudaSim e liberou a peça em todos os seus escritórios e call centers. A princípio, a regra vale até o dia 22 de fevereiro, mas pode se estender. “Recebemos com muito bons olhos essa decisão. Para nós que trabalhamos com operação e manutenção externas, ficou mais confortável para trabalhar e se deslocar”, avalia o técnico sênior Gabriel Paes.

Para a gerente de RH Norte-Nordeste da TIM, Renata Pimentel, o importante é que o item seja usado de forma consciente. “Quando se fala em bermuda já podem pensar em chinelo, boné ou regata, mas isso continua proibido”, acrescenta. “Sempre é bom manter uma calça na gaveta para eventualidades, como reuniões formais em cima da hora”.

ESTILO

Atuando há três anos como desenvolvedor do Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT) em Manaus, o alagoano Luiz Cavalcante (de barba e óculos) recebeu com alívio a notícia de que a bermuda seria liberada quando a empresa se mudasse para a nova sede, o que vai acontecer agora em fevereiro.

“A gente trabalha quase no equador e usa um código de vestimenta europeu. Usar bermuda ajuda bastante até na qualidade de vida”, defende ele, conhecido defensor da campanha no instituto. O novo dress code tampouco vai exigir uma renovação no guarda-roupa dele. “Só uso calça para trabalhar, todo o resto da vida é de bermuda, por isso tenho mais bermudas que calças”.

“Nós acreditamos que se trata de respeito ao estilo de todo e qualquer funcionário. O INDT tem isso na essência, e a alta administração acredita nisso porque até os diretores mantém seu próprio estilo”, declara a gerente de RH, Vanessa Milon.

Denise Cunha, da comunicação do instituto, completa: “Não precisa estar no padrão para ser respeitado. Entendemos que a diversidade enriquece o resultado do nosso trabalho, e isso é refletido na mistura das equipes”.

Corte simples e ajustado

Na opinião do editor do blog de moda amazonense Maoleskine (http://maoleskine.wordpress.com), André Barbosa, a roupa de trabalho ainda é um cartão de visita; por isso, mesmo onde são permitidas, as bermudas precisam ser escolhidas com cuidado. “As estampadas, cheias de bolsos, com detalhes nas barras, coloridas, de tecido muito fluido ou com corte esportivo estão na lista negra”.

Segundo ele, o ideal é investir em peças de tons sóbrios (grafite, preto, cáqui) e alfaiataria, mas nada muito justo nem muito folgado. “Buscar uma bermuda simples com corte ajustado no seu corpo é a forma mais fácil de ir pro trabalho com uma roupa mais confortável”, destaca.

Barbosa também tem dicas para quem ficar em dúvida na hora de escolher o que usar com o item. “Em geral, manter a sobriedade é o ponto de equilíbrio entre o formal e o informal. Camisas de botão em tons contrastantes com a bermuda criam um jogo de proporções interessante para vários tipos de corpo”.

“Um blazer cinza/grafite pode ser usado por quem precisa de um visual mais sofisticado e combina bem com todos os tons. Os sapatos? Docksiders, Oxfords ou Brogues se encaixam perfeitamente no look formal-informal”, completa.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.