Publicidade
Entretenimento
Vida

Canto lírico: Taís Bandeira em temporada no Municipal de SP

Soprano amazonense vai participar da montagem de “Jupyra”, ópera rara do brasileiro Antonio Francisco Braga 25/05/2013 às 10:42
Show 1
Cantora amazonense Taís Bandeira
JONY CLAY BORGES ---

A soprano amazonense Taís Bandeira fará sua estreia no palco do Theatro Municipal de São Paulo no próximo mês de outubro no papel da Rosália de “Jupyra”, ópera do compositor brasileiro Antonio Francisco Braga (1868-1945), também autor do Hino à Bandeira do Brasil. A participação da cantora foi confirmada com o anúncio da Temporada de Óperas 2013 da casa, feito anteontem por seu diretor artístico, o maestro John Neschling.

As apresentações de “Jupyra” fazem parte de um programa duplo ao lado de “Cavalleria Rusticana”, de Pietro Mascagni, e estão marcadas para os dias 15, 17, 19, 20, 22, 24, 26 e 27 de outubro. Taís, que divide o papel de Rosália com Marina Considera, estreia no dia 19, e volta ao palco nas récitas dos dias 22 e 26. A montagem terá direção cênica de Pier Francesco Maestrini, com regência de Victor Hugo Toro.

“Jupyra”, que teve raras encenações ao longo de sua história, narra a trama trágica de uma jovem índia, a Jupyra do título, por um rapaz chamado Carlito. Este, porém, está mais interessado na jovem e branca Rosália, levando Jupyra a uma ira assassina. “É uma ópera que põe em foco questões de preconceito e classe social”, aponta Taís.

Preparativos

A cantora amazonense deverá passar por quase um mês e meio de preparativos antes das apresentações, e se diz satisfeita em participar da empreitada. “Estou muito feliz de participar dessa ópera, porque são 40 dias de trabalho. É uma coisa realmente profissional, não é aquilo de fazer dois, três ensaios, e encenar. Será um mês inteiro de trabalho minucioso para apresentar na meca da ópera brasileira, que é o Municipal de São Paulo”, destaca.

Taís foi selecionada dentre 280 artistas ouvidos em audições para a atual temporada lírica. “A grande lição dessa nova gestão (do Theatro Municipal) é a questão democrática. Ele (Neschling) quis ouvir todos os cantores brasileiros, e realmente chamou essas pessoas para figurar na temporada. Foi uma seleção superverdadeira e pé no chão. Fico feliz porque apresentei um trabalho de que ele gostou, e que espero que floresça cada vez mais”, declara.

Comemorações

A estreia no Theatro Municipal acontece num momento marcante da trajetória de Taís: este ano, a amazonense comemora 15 anos de sua estreia como cantora lírica, na montagem de “Alma”, de Cláudio Santoro, no Festival Amazonas de Ópera (FAO). “Isso vem realmente coroar os meus 15 anos de carreira. Uma amiga minha da faculdade outro dia me mandou o programa de um recital que fiz, e lembrei que estreei no FAO em 1998. É tudo uma conjunção”, afirma a artista, que há dez anos é radicada em São Paulo.

Taís, premiada com o prestigiado Maria Callas, em 2007, tem outros projetos ao longo deste ano. Já no próximo dia 20, ela fará o papel de Agathe, protagonista de “Der Freischütz”, de Carl Maria von Weber, no Teatro do Club Transatlântico, em São Paulo. Mais tarde, ela participa de encenações de “La traviata” e “La bohème” no projeto “Ópera Curta”, da Casa da Ópera de São Paulo, no interior do Estado. E, no final de julho, participa de um grande concerto no Festival de Inverno de Campos do Jordão (SP).

 

Publicidade
Publicidade