Publicidade
Entretenimento
TRIBUTO

Cantor Eraldo Bandeira promove especial ‘27 anos sem Cazuza’ nesta sexta (7) em Manaus

No dia e mês do falecimento do artista carioca, o cantor amazonense fará uma homenagem no Cent Beer, no Vieiralves 05/07/2017 às 12:46 - Atualizado em 05/07/2017 às 14:41
Show 78
(Foto: Andrea Sabbá/Divulgação)
Laynna Feitoza Manaus (AM)

O primeiro show que o cantor Eraldo Bandeira fez na vida aconteceu no Açaí & Cia, em 2004, com músicas do cantor Cazuza. “Os meus colegas da aula de canto, na Escala, diziam que o meu timbre era igual ao dele e me incentivaram a cantar suas músicas. A partir daí passei a realizar tributos e especiais todos os anos”, conta ele. O artista vai fazer, nesta sexta (7) – no dia e mês exato do falecimento do artista carioca – o especial “27 anos sem Cazuza”, que vai ocorrer no Cent Beer.

De acordo com Eraldo, os principais sucessos do cantor, como “O tempo não para”, “Exagerado”, “Mal nenhum”, “Bilhetinho azul”, “Mais uma dose”, “Bete Balanço”, “Eu quero ter uma bomba”, “Solidão que nada”, “Faz parte do meu show”, e outras obras farão parte do show. Bandeira, que adora as músicas de Cazuza, faz, em média, quatro shows em homenagem ao poeta do rock por ano.

“Em 2011, concorri num concurso nacional para musicar uma letra inédita do Cazuza chamada ‘Qual é a Cor do Amor’. Fiquei entre os finalistas, mas não venci, porque a votação era pela internet. É difícil competir assim com o pessoal do Rio e São Paulo. Mas aproveitei a música com uma letra minha e gravei no meu último CD”, relembra ele.

Atemporal

Ainda segundo Eraldo, a dinâmica do show será baseada nas fases do artista: começará com as músicas da fase do Barão Vermelho. “Depois vem a fase pós Barão que iniciou em 1985, passando pela fase de aproximação com o samba do Cartola, até chegar na fase com Aids, ‘Todo Amor que Houver nessa Vida’, ‘Codnome Beija-flor’, ‘Ideologia’ e ‘Burguesia’”, pontua ele.

No figurino, Bandeira também usará peças que irão lembrar as que o poeta do rock gostava de usar, como bandanas no cabelo, roupas coloridas, camisetas regatas bem cavadas, e composição com jaquetas. No show, os músicos que irão acompanhá-lo são os mesmos da banda “Fora da Lei”: Fabricio Rodrigues na Guitarra, Frank Nascimento no Baixo e Thiago Romão na bateria.

Falando de inspiração pessoais, Eraldo afirma que não admira o estilo de vida de Cazuza - que considera “inconsequente” e que lhe levou à morte precocemente - mas alega que admira o seu espírito irreverente e sincero. “Principalmente a sua arte, que é atemporal. Os anos passam, mas a sua música continua embalando o cotidiano das pessoas. Quem nunca dançou ‘Bete Balanço’? E ‘Brasil’? Que, curiosamente, retrata o que estamos vivendo hoje no nosso País?”, questiona ele.

Serviço 

O quê: Show "27 anos sem Cazuza", com Eraldo Bandeira
Quando: sexta (7), às 22h
Onde: Cent Beer, av. João Valério, 708, Vieiralves
Quanto: R$ 15 (couvert)

Publicidade
Publicidade