Publicidade
Entretenimento
Vida

Cantor Márcio Gomes traz de volta os tempos de saudade

Considerado como o “Novo Rei da Voz" por cantores como Cauby Peixoto e Ângela Maria, o artista apresenta o novo álbum "Eternas Canções" 12/11/2015 às 10:36
Show 1
O disco é baseado no show do mesmo nome, em cartaz há um ano e meio, no Imperador, casa de shows no RJ
Hellen Miranda Manaus (AM)

Com seu estilo tradicional de canto, que remete aos intérpretes da era de ouro do rádio, Márcio Gomes é um jovem cantor a moda antiga, do tipo que quando solta a voz marcante, provoca fortes emoções no público da melhor idade. “Não sou um artista da grande mídia, sou do grande público”, comenta o simpático cantor em entrevista ao BEM VIVER.

Considerado como o “Novo Rei da Voz" por cantores como Cauby Peixoto e Ângela Maria e pelo musicólogo Ricardo Cravo Albin, o artista apresenta o novo álbum "Eternas Canções", baseado no show do mesmo nome, em cartaz há um ano e meio, no Imperador, casa de espetáculos do bairro carioca do Méier. Nele, o cantor romântico Márcio Gomes interpreta grandes clássicos radiofônicos de décadas passadas.

“O show é um resgate musical da era do rádio, em que coloco minha personalidade nas interpretações. A resposta é o espaço sempre lotado com interação do público, que no final de cada apresentação pode escolher três nomes de cantores e outras três de cantoras para que eu possa improvisar”, explica o artista. Para ele, o sucesso do espetáculo dá-se pelo repertório clássico, pela simplicidade do show e a comunicação com as fãs, senhoras em sua maioria.

Carreira

Nascido no Rio de Janeiro, Márcio Gomes hoje com 41 anos, começou a cantar aos 15 anos quando se tornou integrante do Teatro de Ópera da cidade, mas não era aquilo que queria seguir.

Um dia assistiu a uma apresentação da cantora Ângela Maria, e se encontrou. “No show dela descobri que era a música popular que eu queria. Então, fui buscar meu repertório, atrás de cantores da antiga e vi que as letras das canções tinham poesia, melodia e eram lindas”, relembra o cantor.

Sua carreira profissional teve início em 1997 quando estreou uma série de shows em casas noturnas, clubes e teatros. Coleciona prêmios em festivais brasileiros de música e especializou-se em pesquisar um repertório basicamente romântico dos anos 40 e 50, resgatando o canto de voz possante, dos grandes seresteiros, na linha de intérpretes como Francisco Alves, Orlando Silva, Cauby Peixoto Agnaldo Rayol, entre outros.  

Lançamento

O disco “Eternas Canções”, lançado em agosto deste ano foi produzido por Thiago Marques Luiz. Nele, o cantor interpreta canções clássicas e celebra a diversidade da música romântica. O disco com 10 faixas é um mistura de repertório que vai do bolero, tango, canção italiana e portuguesa até standard americano. 

Ele abre com “Prelúdio pra Ninar Gente Grande (Menino Passarinho)" do admirável Luiz Vieira. Em seguida, Gomes canta em espanhol “Contigo en la Distancia”, do cubano Cesar Portillo de la Luz.

Um dos grandes momentos do disco é a participação especial de uma das maiores vozes da MPB, Ângela Maria, com quem Gomes costuma também dividir os palcos. Eles cantam a terceira faixa, “Tortura de Amor”, de Waldick Soriano. Pelo conjunto da obra, Márcio Gomes faz jus ao título de “Novo Rei da Voz”

Publicidade
Publicidade