Publicidade
Entretenimento
Música

Cantora amazonense Djuena Tikuna fala sobre participação na música 'Demarcação Já'

Participação da cantora indígena na faixa rendeu parcerias futuras e reforço à luta pela garantia de território aos povos indígenas 27/04/2017 às 11:04 - Atualizado em 27/04/2017 às 11:10
Show b0827 20f
Cantora participou da faixa ao lado do marido, Diego Janatã (Foto: Divulgação)
Laynna Feitoza Manaus, AM

A participação da cantora indígena amazonense Djuena Tikuna na música-campanha “Demarcação Já”, que une mais de 25 artistas brasileiros para clamar pela garantia de território aos povos indígenas, lhe rendeu grandes experiências e parcerias. A música foi lançada na última segunda (24), durante a Semana de Mobilização Nacional Indígena, que está acontecendo em Brasília (DF). A cantora participou da mobilização musical no clipe, ao lado de artistas como Elza Soares, Maria Bethânia, Gilberto Gil, entre outros nomes da música brasileira.

Durante a gravação da música, a cantora chamou a atenção do produtor musical Apollo 9, que produziu a faixa da campanha homônima. Além de Tikuna, o músico Diego Janatã – seu esposo. “Ele já trabalhou com Rita Lee, entre outros. Ele gostou muito do nosso trabalho, da música indígena. Gostou muito do trabalho do Diego Janatã como percussionista indígena”, aponta ela. Djuena está considerando mudar-se para São Paulo no ano que vem, para trabalhar com Apollo em um novo trabalho. Ainda em 2017, ela lançará, no mês de julho, o disco Tchaütchiane.

A gravação da música “Demarcação Já” aconteceu em São Paulo. A música foi composta por Chico César e Carlos Rennó, e foi desenvolvida pelo Greenpeace, Instituto Socio Ambiental (ISA) e Bem Te Vi – Diversidade com a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib). As produtoras Cinedelia e O2 Filme cuidaram do clipe audiovisual do projeto. “Do projeto, a artista com quem troquei ideia foi a Marli Miranda, grande pesquisadora da música indígena. Inclusive ela vai fazer uma participação especial neste CD que estou gravando e que vai ser lançado em julho”, conta Djuena.

Representante

O convite para fazer a participação na música partiu de Sônia Guajajara, coordenadora da Apib. “Como ela é uma grande liderança no movimento indígena, uma das grandes representantes das mulheres e povos indígenas do Brasil, e que conhece meu trabalho como militante no movimento e como uma cantora indígena que luta pela valorização da nossa música, ela me escolheu para representar a voz indígena”, diz ela. A participação musical de Diego Janatã na música foi feita com percussão tradicional.

“Nós utilizamos no trabalho da Djuena muita percussão e instrumentos tradicionais indígenas, especialmente dos Tikunas, mas não só deles. Fazemos uma pesquisa musical sobre os povos indígenas e pesquisamos vários instrumentos para usar nos trabalhos que a gente desenvolve. Nessa música específica, utilizamos instrumentos tradicionais Tikunas, como as flautas chamadas jakui, do Alto Xingu, e a flauta japurutu, do Alto Rio Negro”, coloca o músico.

Além das flautas, o músico utilizou também maracás dos povos Kanela Ramkokamekrá, , do Maranhão, e também o casca de tracajá, dos tikuna. “Instrumentalmente a música está bem servida, porque a gente pôde colocar uma certa diversidade. É legal porque as pessoas não conhecem bem o que a gente faz na Amazônia... eles não conheciam os instrumentos e ficaram fascinados com a musicalidade indígena. Ficamos felizes com as novas parcerias em defesa da causa indígena, e o mais importante de tudo é que a nossa música esteja a serviço dos povos indígenas”, finaliza Diego.

Publicidade
Publicidade