Publicidade
Entretenimento
CULTURA

Cantora lírica amazonense é escalada para nova versão de musical da Broadway

O clássico "O Fantasma da Ópera" contará com Taís Víera no papel da Madame Giry, mestre do balé do Corpo de Dança da Opera Garnier 11/06/2018 às 16:58 - Atualizado em 12/06/2018 às 09:37
Show 21768536 10213421789674197 6348088612345389912 o
Taís revela saudades da terra natal além de uma forma conexão com as águas. (Foto: Divulgação)
Maria Paula Santos Manaus (AM)

No dia 1º de agosto, o musical “O Fantasma da Ópera” retorna aos palcos do Brasil em uma nova montagem da T4F. Em meio a profissionais de peso do teatro musical brasileiro estará a cantora lírica amazonense Taís Víera, que, aos 20 anos de carreira, estreia em sua primeira produção da Broadway.

Em entrevista à reportagem, Taís contou um pouco sobre sua preparação para viver a personagem Madame Giry, mestre do balé do Corpo de Dança da Opera Garnier, onde a história se passa.

“Em 20 anos de carreira, nunca vi uma produção tão cuidadosa. Estou cuidando muito da alimentação, além de fazer atividades físicas diversas, como natação e aulas de dança, que são disponibilizadas pela própria produção para preparar a gente para esse processo”. “Estão trabalhando com a gente desde o começo da construção da personagem e isso tudo está sendo muito enriquecedor, estou aprendendo muito”, revela a cantora, que a partir de hoje (11) começa a receber as partituras do musical.

De acordo com a artista, serão cinco semanas de ensaios com dez horas diárias para que todos estejam prontos para as 30 apresentações mensais que estão programadas. "É uma experiência nova em termos de ensaios e apresentações, mas creio que me preparei para isso a vida inteira, e a hora chegou, não na ópera, mas com musical. Estou achando tudo muito maravilhoso e enriquecedor, e só por isso já agradeço”, diz.

Testes

Sobre Madame Giry, Taís comenta: “Ela é a única que sabe a verdade sobre o fantasma, mas tem compaixão e acaba salvando os outros do próprio fantasma”. No musical de Andrew Lyoyd Webber, baseado no romance homônimo de Gaston Leroux, Giry é a mulher que salvou o fantasma quando criança do circo em que morava, por isso sua ligação com ele é muitas vezes subestimada.

“Na verdade, me preparei para fazer a Carlotta - cantora da Ópera - e vocalmente não estava preparada, mas foi legal porque isso me fez ultrapassar desafios pessoais. No final dos testes, eles gostaram da minha voz para a persongem da Madame pela minha linha média grave. Foi uma nova descoberta da minha voz e pude verificar que meu grande diferencial ainda é minha base. É bom ser reconhecida por isso e pela minha estrada”, comemora.

Histórias de Família

Quando criança, Taís ouviu sua irmã cantando uma das músicas principais de “O Fantasma da Ópera”, e foi aí que ela resolveu aprender mais sobre canto. “Quando ouvi fiquei louca, eu só sabia que queria cantar aquilo, então busquei aula de canto e fui me aperfeiçoando até ser descoberta. Já fazia teatro, e então estudei ópera. O engraçado é que cantei muito essa música do ‘Fantasma’ em casamentos e agora, depois de 20 anos, eu caio no musical”, destaca.

A irmã de Taís nunca cantou profissionalmente, apesar de trabalhar no meio artístico como quase todos da família, incluindo seu pai e suas outras irmãs. O talento é algo natural para os Víera, tanto que o filho de Taís, de 5 anos de idade, tem crescido em meio às óperas, acompanhando Taís desde os palcos. Com um pai maestro e uma mãe cantora, o pequeno tem uma sensibilidade natural para música, segundo Taís. “Ele e minha mãe são meus maiores críticos de técnica musical”, brinca ela.

A cantora também revela que sente muita falta do Amazonas e que tem uma ligação muito forte com o povo da sua terra natal, não só pela hospitalidade do amazonense mas também por sua musicalidade, que ela diz ser diferente de qualquer outra no mundo.

Valorização

Taís Víera tem agenda cheia até 2020 e diz que a maior diferença entre trabalhar com óperas e musicais no Amazonas e em São Paulo é a valorização do artista. “Em São Paulo eu tenho uma profissão de igual respeito a qualquer outra, as pessoas têm a chance de debater sobre seu próprio cachê, é um trabalho que deve ser mais valorizado por todos. Aqui não sou tratada diferente por ser amazônida, sou igual. Precisamos saber valorizar nosso trabalho”, diz.

Frase

"Estou nas nuvens. ‘O Fantasma da Ópera’ foi um dos motivos para eu começar a cantar e hoje estar nele em meu primeiro musical da Broadway faz eu sentir que me preparei para isso a vida inteira." Taís Víera, Cantora.

Publicidade
Publicidade