Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019
Vida

Cantores Toquinho e Anna Setton realizam show nesta sexta-feira (30), em Manaus

Toquinho está percorrendo o Brasil com sua turnê comemorativa de 50 anos de carreira, e agora chegou a vez de Manaus receber o show 'A Arte do Encontro'



1.gif Artistas se conheceram em 2011 e vêm trabalhando juntos desde então
30/01/2015 às 09:52

Parceiro de Vinicius de Moraes e um dos artistas de maior importância para a música brasileira, o compositor e violonista Toquinho está percorrendo o Brasil com sua turnê comemorativa de 50 anos de carreira, e agora chegou a vez de Manaus receber o show “A Arte do Encontro”. A apresentação única acontece nesta sexta-feira (30) à noite, às 22h, no Teatro Manauara, e terá a participação da cantora paulista Anna Setton.

No show de formato intimista, que valoriza a proximidade entre quem está no palco e na plateia, Toquinho vai costurando os inesquecíveis sucessos de meio século de estrada, como “Tarde em Itapoã”, “Regra três”, “Como dizia o poeta” e “Aquarela”, com solos de violão e histórias da carreira.



“As histórias são constantes em meus shows, o público gosta de ouvi-las e se diverte com elas. E eu também”, diz ele, que começou se apresentando em clubes e faculdades levado por Paulinho Nogueira, primeiro mestre de Toquinho.

Das lembranças que desfia em cima do palco, o compositor elege a sua preferida: o episódio que deu origem à “Tarde em Itapoã” e o fez conquistar definitivamente a confiança do “poetinha” Vinicius.

“É um poema lindo, perfeito, que ele ia dar para o Caymmi musicar. Um dia, na Bahia, ele deixou o poema na Olivetti portátil que usava para escrever. Não tive dúvidas, ‘roubei’ aquele papel e fui para São Paulo. Depois de três dias voltei a Salvador com a música pronta. De cara ele me deu uma bronca, mas depois de ouvir a canção dobrou-se diante da beleza dela. Aí, ganhei definitivamente o poeta!”.

ENCONTROS

Toquinho sempre foi um artista de muitos parceiros, a começar por Chico Buarque, com quem compôs “Lua cheia”, em meados de 1960. Quando perguntado se alguns acabam se tornando irmãos, ele responde: “Uma grande e produtiva parceria surge e se desenvolve em torno de uma forte amizade”. E cita exemplos:

“Chico e Jorge Ben Jor, amigos de mais de 50 anos de convivência; Vinicius de Moraes, quase 11 anos, mais de 100 canções e mil shows; Mutinho, grande baterista que me acompanhou por mais de 20 anos; Elifas Andreato e Carlinhos Vergueiro, fundadores de nosso time de futebol ‘Namorados da Noite’, que completou quarenta anos em 2014”.

Das parcerias musicais, Toquinho diz que os caminhos que levaram até ela são sempre mais prazerosos. “Depois da produção vem a contemplação da obra pronta. As duas provocam emoções diferentes”. Mas se o assunto é a existência de algum material inédito da série de composições com Vinicius, morto em 1980, o artista prefere falar da falta que o poeta faz. “Do que mais sinto saudade é do Vinicius amigo, dos papos descontraídos, de sua inteligência incomum e de seu carinho constante e bem humorado”.

Sobre a nova companheira de palco, Anna Setton, ele conta que não pensou duas vezes em convidá-la “para atuar em meus shows e valorizá-los com seu talento”. “Em 2011 eu a vi cantar no Baretto, um requintado piano bar aqui em São Paulo, onde ela se apresenta toda semana. Impressionei-me com a afinação, o timbre de voz e a graciosidade com que ela interpreta canções de todos os gêneros”.

À mercê das FM’s

Embora a nova geração da música brasileira use mais a Internet para dar vazão às suas produções, Toquinho revela que fica mais à mercê das rádios FM. “Escuto muito quando estou no carro. Há de tudo, bom e ruim, passageiro e duradouro”, completa.

Ainda no ano passado, a imprensa divulgou que, dentre os projetos para celebrar os 50 anos de carreira do compositor, estavam previstos um documentário, um DVD e um show em que o Toquinho de hoje interagiria com o Toquinho de ontem em sua versão holográfica. O artista adianta que as ideias continuam em desenvolvimento, mas requerem tempo e ajustes prolongados por serem projetos complexos.

Há quase cinco anos longe dos estúdios (o último disco de inéditas, “Quem viver verá”, é de 2011), ele comenta que não tem pressa alguma em lançar o próximo álbum. “O novo surge lentamente. Neste ano, estamos mais voltados às comemorações dos 50 anos de carreira”, arremata.

Três perguntas para Anna Setton

O que dizer de um parceiro como o Toquinho?

Posso dizer que ele é uma pessoa incrível e muito generosa, com quem eu tenho a sorte e o prazer de trabalhar! Nossa parceria começou há três anos e eu ainda me sinto muito honrada e emocionada de poder cantar com ele. É sempre muito bom!

Você participou da formatação desse show?

Fale sobre a sua participação nele.Eu entro na segunda metade do show e canto por volta de 10 canções acompanhada por ele, cantamos juntos clássicos da música brasileira e alguns sucessos da carreira do Toquinho. Este espetáculo nasceu naturalmente, como um resultado da nossa experiência juntos. Nesses três anos de shows já experimentamos muitas canções e agora chegamos numa seleção muito boa e emocionante.

O projeto de gravar um disco com ele está de pé? E o lançamento do seu primeiro álbum, previsto para 2015?

Sim, claro. Queremos começar a gravá-lo agora neste primeiro semestre. O lançamento do meu disco também está previsto para este ano. Estou em fase de pré-produção e pesquisa de repertório e pretendo começar a gravá-lo ainda neste semestre também.

Serviço

O quê Show “A Arte do Encontro”, com Toquinho e Anna Setton

Quando Hoje, às 22h

Onde Teatro Manauara, praça de alimentação do Manauara Shopping

Quanto R$ 150 (plateia VIP), R$ 120 (setor B) e R$ 80 (pista backstage); vendas na bilheteria do Teatro e pelo site www.ingresse.com.brinfo (92) 3342-8030.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.