Terça-feira, 15 de Outubro de 2019
Vida

Caprichoso efetiva pagamento dos contratos com trabalhadores

Diversos setores recebem a primeira parcela dos contratos do ano de 2015, por meio de cheque nominal, devido exigência da lei e transparência na prestação de contas com patrocinadores do festival



1.jpg Caprichoso efetiva pagamento dos contratos com trabalhadores
12/05/2015 às 12:43

A diretoria do Boi Caprichoso realizou pagamento das equipes, referente aos trabalhadores de carteira assinada e prestadores de serviço, constituídos de empresa. Diversos setores recebem a primeira parcela dos contratos do ano de 2015, por meio de cheque nominal, devido exigência da lei e transparência na prestação de contas com patrocinadores do festival, conforme orientação de auditor.

A partir das 8h desta terça-feira (12), dois caixas eletrônicos estarão disponíveis especificamente para atendimento ao Caprichoso. Os recursos são aplicados na construção do projeto boi de arena 2015 “Amazônia”, formatado pelo Conselho de Artes e materializado pelas mãos dos artistas plásticos em galpão desde o final do mês de março, quando foi montado o esquema de trabalho.



A primeira contratação dos artistas seguiu a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) para atividade ‘fim’. “Como o boi tem uma dimensão muito complexa também na questão da produção, a contratação foi terceirizada para atividade meio. São contratos de Micro Empreendedor Individual (MEI) e pessoas que prestam serviço de mão obra específica como os artistas de ponta”, explicou o diretor financeiro do Caprichoso, Joaquim Lima.

“Essas pessoas individualmente foram contratadas por meio de empresas. Esse ano houve uma contratação grande e ampla desse regime de pagamento, por meio de pessoa jurídica. Fazemos um trabalho de acordo com a legislação, de terceirizar toda atividade meio do boi”, acrescentou o diretor financeiro.

O presidente do Caprichoso, Joilto Azêdo, e o vice-presidente, Rossy Amoedo, se empenharam na discussão do regulamento do festival, em reuniões com a Secretaria de Estado da Cultura (SEC) em Manaus, para viabilizar captação de recursos. Só a partir da assinatura do regulamento do festival folclórico foi possível começar o trabalho de parceria com patrocinadores.

Com a liberação da primeira parcela de recursos de patrocinadores, a diretoria do Caprichoso montou cronograma para manter o compromisso assumido com os trabalhadores. “Com trabalho transparente, superamos as dificuldades, apesar da crise, para fazer um boi competitivo e campeão”, afirma o presidente do Caprichoso, Joilto Azêdo.

*Com informações da assessoria de comunicação.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.