Publicidade
Entretenimento
DIA MUNDIAL DA FOTOGRAFIA

Carlos Navarro: meio século dedicado ao progresso da fotografia

Vindo de Barcelona, na Espanha, o venezuelano chegou na capital amazonense em meados de 1973 para assumir a direção da antiga fábrica de revelação de fotos a cores, a Sonora.  19/08/2016 às 10:48 - Atualizado em 19/08/2016 às 10:53
Mayrlla Motta Manaus (AM)

"A fotografia para mim é uma das coisas mais importantes que já aconteceu na minha vida. Ela me deu uma formação profissional, uma família e a possibilidade de viajar por diversos lugares do mundo", assim define o fotógrafo Carlos Navarro, numa visão pessoal, sobre o Dia Mundial da Fotografia, celebrado hoje (19).  

Navarro carrega no portfólio quase 50 anos de atividades dedicadas à fotografia, e é uma das peças principais quando se fala no progresso da fotografia brasileira. Vindo de Barcelona, na Espanha, o venezuelano chegou na capital amazonense em meados de 1973 para assumir a direção da antiga fábrica de revelação de fotos a cores, a Sonora. 

"Recebi o convite de um empresário de Manaus, que queria montar uma indústria de revelação de fotografia no Amazonas, que até então não existia no Norte do Brasil. Passei 10 anos trabalhando nesse laboratório", relembra. Um dos destaques é que a fábrica foi inaugurada em 13 de junho do mesmo ano , que por coincidência é a data de aniversário de Navarro. 

Lembranças da ‘Love’

Uma das invertidas da fábrica foi a máquina fotográfica Love. Ela começou a ser produzida nos Estados Unidos, mas não obteve resultados, e o dono da Sonora, Nuno Caplan, a trouxe para a capital. "Ele expandiu a câmera não só para nós do Amazonas, mas para todo o Brasil através dos Correios. Em cada município e lugar que a pessoa chegasse, ela poderia enviar sua câmera para revelar as fotos em Manaus", destaca Navarro, que recebeu a equipe de A Crítica no seu acervo pessoal de memórias fotográficas. 

"Isso facilitou com que muitas famílias de  lugares distantes tivessem a possibilidade de ter registros familiares, e isso foi muito importante não só para nós como empresa,  mas para a fotografia brasileira", opina. 

Para Carlos, a fotografia pode te levar a diversos lugares, tempos e temáticas. "Você pode começar o dia numa cerimônia e terminar cobrindo um evento social, por exemplo. Ela é muito diversa, no ponto de vista dessa dinâmica", diz.

Exposição fotográfica

 

Atualmente Navarro está em cartaz com a exposição do documentário fotográfico'Pé de Moleque' no Largo São Sebastião, no Centro de Manaus. Os registros já foram expostos também na época da Copa do Mundo, em 2014, e agora retorna nas Olimpíadas. A exposição retrata pessoas jogando futebol e tem registros em diferentes cidades brasileiras, desde o Norte ao Nordeste. Os registros expostos podem ser contemplados até novembro deste ano, sempre de 8h às 16h30.

Publicidade
Publicidade