Sábado, 20 de Abril de 2019
publicidade
DECOR_PORTAL.jpg
publicidade
publicidade

DECORAÇÃO

Arquiteta Ana Yashida dá dicas para deixar imóvel alugado com a cara do morador

Sem apelar para ‘quebra quebra’, a dica é investir em móveis “soltos” ao em vez de planejados, assim, dá para transportar na mudança e adaptar facilmente ao novo lar


27/08/2017 às 07:42

Ter a casa própria pode até ser o sonho da maioria, mas há um crescimento no número de pessoas que preferem morar de aluguel. Mas personalizar o lar é um desejo nem sempre realizado pelo inquilino. Afinal, qualquer alteração a ser feita precisa de aprovação do locatário. E, para completar o dilema, investir dinheiro para outros usufruírem após possível mudança, não é uma ideia nada agradável.

“Os recursos de decoração mais rápidos estão aí para facilitar: quadros, tapetes, almofadas, cortinas e, se for o estilo do morador, bastante cor”, diz a arquiteta Ana Yoshida, ao citar um deslize a ser evitado. “O erro talvez seja deixar de alugar por medo de não conseguir adaptar o espaço. Sempre vale pesquisar estilos de decoração e ver o que combina mais com a sua personalidade, depois é só se divertir escolhendo os itens da casa”, completa.

Entre as vantagens apresentadas por quem não pretende comprar uma residência definitiva é a praticidade, desde a liberdade de mudar quando quiser, a não se preocupar com espera, gastos e burocracias — que só quem é proprietário enfrenta. Entretanto, um dos argumentos que pesa contra a locação é o empecilho dos moradores para personalizar os espaços sob o aval dos donos.

“A maioria das pessoas enfrenta regras contratuais bastante inflexíveis. O principal desafio é fazer grandes mudanças sem alterar a estrutura, não pode ter ‘quebra quebra’”, afirma a paulistana, ao dar uma dica para quem gostaria de colorir o espaço. “Hoje em dia, temos uma infinidade de papéis e adesivos de parede que podem ser aplicados, dispensando a necessidade de pintura. E pintar só uma parede também é uma opção”, explica.

Ana ressalta, ainda, o benefício de investir em móveis não planejados/ embutidos; e objetos de decoração. Mesmo mudando de casa, com estruturas e cores diferentes, é possível adaptar os itens adquiridos para os domicílios anteriores. “Isso vai sempre depender da metragem do novo imóvel. A vantagem está no fato de serem objetos facilmente transportáveis por serem ‘soltos’”, ressalta.

Piso vinílico: tem rápida instalação porque pode ser colado sobre o piso antigo. Além disso, o valor de investimento é relativamente baixo.

Pintura: é uma ferramenta rápida e fácil para renovar a morada.

luminação: de embutir, com spots, ou usando trilho, é poderosa e prática.

Tapetes e quadros: disponíveis em uma infinidade de estilos, preços e tamanhos são certeiros para trazer novos ares.

PERFIL

Ana Yoshida é natural de São Paulo, é formada em arquitetura e urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Tem experiências com comunicação visual de lojas, cenografia de festas e eventos. A paixão pela dança desde a infância também ajuda na composição de ideias que dá forma aos projetos de decoração e interiores.

DESTAQUE

Revestimentos usados de maneira incomum e materiais versáteis, como concreto, tijolo e madeira, são presenças constantes nos trabalhos de Ana Yoshida. O resultado se reflete na concepção de ambientes contemporâneos, humanizados e dinâmicos, que convidam ao aconchego e bem-estar.

publicidade
publicidade
Imóveis: Vendas crescem 16% em 2018
Sem alternativas, desabrigados já pensam em voltar à área incendiada do Educandos
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.