Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019
FESTIVAL

Casa lotada e emoção marcam terceira noite do FAO

Ingressos para ‘Ernani’ esgotaram ainda no início da tarde e público compareceu em peso para ver a última apresentação de ópera de Giuseppe Verdi, em forma de concerto



WhatsApp_Image_2019-04-28_at_20.28.51_39B138FD-1394-4210-972F-5BFC1CD9EA4D.jpeg (Foto: Michael Dantas / SEC)
28/04/2019 às 20:55

A terceira noite do 22º Festival Amazonas de Ópera teve casa cheia, para a última apresentação de “Ernani”, de Giuseppe Verdi, em forma de concerto. O evento, realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), seguirá até o dia 30 de maio, contando com patrocínio master do Bradesco, através da Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura.

Para o secretário estadual de Cultura, Marcos Apolo Muniz, ter os ingressos esgotados é muito significativo para o festival. “Essa é a terceira noite da ópera e até agora os dias têm sido intensos. Mais uma noite de casa cheia, então começamos muito bem. E hoje novamente bilheteria esgotada, isso mostra que até dia 30 de maio teremos um público expressivo em cada apresentação, mostrando a potência e capacidade desse  festival. Esse ano tudo indica que teremos casa cheia, não só no teatro, mas em todas as atividades programadas”, apontou o secretário, lembrando, também, da apresentação da Ópera Mirim, que aconteceu na Casa Vhida, na manhã do último sábado, 27, e que terá nova apresentação nesta segunda-feira, 29, no Hospital Doutor Fajardo. “Foi especial a apresentação do Pequeno Teatro do Mundo, e foi muito emocionante ver a garotada assistindo com brilho nos olhos. O Ópera Mirim está estreando esse ano. É muito significativo para o festival que tenha essa aceitação”.



Em quatro partes, a composição “Ernani” do italiano Giuseppe Verdi é baseada na obra do romancista francês Victor Hugo, e aqui tem a participação do Coral do Amazonas e Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica, sob a regência do maestro Luiz Fernando Malheiro, Diretor Artístico do FAO.

Durante três horas, o público presente no Teatro Amazonas pode ouvir a interpretação emocionante do tenor chileno radicado no Amazonas, Enrique Bravo; a soprano Maria Katzarava, do México, que faz Elvira; e os brasileiros Luiz-Ottavio Faria (baixo), como Don Ruy Gomes de Silva; Rodolfo Giugliani (barítono), como Don Carlo; Thalita Azevedo (mezzo-soprano), como Giovanna; Miquéias William (tenor), como Don Riccardo; e Emanuel Conde (baixo), como Jago.

O enredo se passa na Espanha do século 16 onde, para vingar a morte de seu pai, o nobre Ernani torna-se chefe de um grupo de bandidos que planeja derrubar o rei. Mas, em meio às ações do bando, vive uma dramática história de amor com Elvira, moça nobre que está sendo obrigada a se casar com um velho aristocrata, Gomes de Silva. 

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.