Publicidade
Entretenimento
Vida

Chef amazonense em formação é contratado para trabalhar em SP

José Guerra Netto conquista posto no restaurante ‘Dalva e Dito’, do renomado chef de cozinha Alex Atala 01/06/2013 às 09:41
Show 1
Amazonense vai fazer parte da equipe do Dalva e Dito (SP)
JONY CLAY BORGES ---

O fruto, costuma-se dizer, nunca cai longe da árvore. O adágio popular cai como luva no caso de José Guerra Netto: vindo de uma família com longa tradição de boa mesa em Manaus, ele seguiu os passos dos pais e já se destaca no terreno da gastronomia. Esta semana, o chef em formação galgou um novo e importante degrau na carreira ao ser contratado pelo Dalva e Dito, um dos restaurantes do prestigiado chef Alex Atala em São Paulo.

Guerra Netto, que recebeu há poucos dias a notícia da contratação e começou a exercer nesta sexta-feira (31) suas funções no novo local de trabalho, demonstra alegria com o novo marco em sua trajetória gastronômica. “Estou muito feliz. Como tudo é novo para mim, ainda estou me adaptando, mas bastante entusiasmado de crescer lá dentro”, declarou o chef de 29 anos à reportagem, por telefone.

Buscando um lugar...

A oportunidade de trabalhar num restaurante dirigido por um dos nomes mais conceituados da gastronomia brasileira não caiu no colo de Guerra Netto, mas foi resultado do empenho do amazonense na busca por uma boa formação e por um lugar ao sol. O primeiro emprego do jovem chef na capital paulista foi na Rodeio, churrascaria nos Jardins. De lá, ele saiu há cerca de três meses para fazer estágio no D.O.M., estabelecimento mais conhecido de Atala.

“Fiquei no estágio até mais do que tinha de ficar, esperando por uma oportunidade, até que ela surgiu”, conta Guerra Netto. Lá, ele trabalhava num segmento bem diferente daquele em que irá atuar em seu novo local de trabalho. “O D.O.M. tem um toque mais contemporâneo, mais elaborado, com menu degustação, e no Dalva e Dito tem cardápio à la carte, com comida brasileira de todo o País”, explica.

A mudança de estilo gastronômico, para ele, é até bem-vinda: “Será um aprendizado muito bom para mim, pois vêm grandes chefs de fora para a cozinha do Dalva e Dito, convidados pelo Alex. Espero aprender técnicas que serão importantes”.

‘Churrasquinho’

Atuar em diferentes ramos da boa mesa, vale dizer, não é novidade para Guerra Netto. Ele ainda era criança quando o pai, o chef José Guerra Filho, comprou um restaurante, e desde lá o gosto pela cozinha veio crescendo nele aos poucos. “Minha vida acabou me levando a isso: tive lanchonete, bar e até vendi churrasquinho em casa quando precisei”, recorda o amazonense, que também trabalhou no restaurante da família, a Casa do Bacalhau, tendo adotado a culinária como profissão em 2009.

Ainda em Manaus, Guerra Netto cursou um ano de Gastronomia no Ciesa. Mais tarde, mudou-se para São Paulo para fazer o curso de Cozinheiro Chefe Internacional do Senac, um dos mais renomados do Brasil e o mesmo pelo qual seu pai passou anos antes. Ele deve se formar no próximo mês.

Mesmo dando novos passos na carreira, o amazonense não pensa em deixar a família e a cidade natal para trás. “Minha expectativa é só de crescer. Já trabalhei em vários ramos e quero mais. Quero ver se faço outras coisas, e pretendo voltar para Manaus daqui a uns anos”, afirma ele, ainda sem planos ou datas marcadas. “Quero primeiro ‘circular’ um pouco. Em São Paulo há muitas opções, há muitos restaurantes e comida de todo tipo”.

Publicidade
Publicidade