Quarta-feira, 04 de Agosto de 2021
GASTRONOMIA

Chef Giovanni Renê assina novo menu de restaurante manauara

Vindo de São Paulo, Renê possui formação no Le Cordon Bleu e já foi braço direito de Éric Jacquin



Foto_chef_E7CFC9C0-1AA8-4A22-A8D0-F65E94A4F1A3.jpg Foto: Divulgação
25/04/2021 às 15:17

Novo chef responsável por repaginar o menu do restaurante Belle Époque, em Manaus, Giovanni Renê traz uma forte base da cozinha clássica francesa, incluindo formação na renomada Le Cordon Bleu, o que lhe permite aplicar técnicas de alta complexidade em suas criações. Com uma bagagem que acumula passagens por restaurantes de renome, como A Casa do Porco e La Casserole, onde atuou como sous chef, além da experiência de ter sido braço direito de Éric Jacquin, após sua temporada na Europa, Giovanni Renê conta que esta não é sua primeira vez em Manaus.

Norteado por uma gastronomia francesa em sua cozinha, Renê revela que é um grande amante da culinária, das iguarias, do povo e da cultura amazonense e que utilizará tudo isso a seu favor na hora de criar os novos pratos do Belle Époque. O chef, que apresenta uma cozinha autoral e despretensiosa resultado de diversas experiências adquiridas em viagens ao redor do mundo e pesquisas desenvolvidas ao longo dos anos, adianta que apresentará novas versões de clássicos manauaras como o X-Caboquinho.



"Eu venho a Manaus desde 2017. Trabalhei um tempo com o Erick Jacquin e ele prestava serviço aqui pro Belle. Então, eu já fiz alguns cardápios aqui. É uma cidade que eu adoro e que tenho que vir pelo menos uma vez a cada seis meses. Agora, com esse novo menu, pretendo vir uma vez ao mês. Como eu disse, eu adoro a cidade, é uma relação de bastante amor com Manaus, as pessoas, a diversidade de frutos e frutas, de peixes. A cidade inspira muito os meus pratos, não só os ingredientes, mas as experiências que eu vivo aqui na cidade, desde dos flutuantes até os bares, que são lugares que eu gosto de frequentar", conta o chef.

Sobre o novo cardápio e o que podemos esperar dele, o chef adianta: "Estou fazendo o menu em conjunto com o Frank Bink, que é um cozinheiro meu que vai ficar aqui na na cidade, supervisionando tudo enquanto eu estiver em São Paulo. É um menu feito a quatro mãos. Ele, especificamente, está cuidando da parte de confeitaria, que é algo que ele domina bastante. Nosso objetivo é trazer uma experiência diferente para Manaus, a gente quer usar os ingredientes que vocês têm aqui, que vocês têm uma gama de ingrediente muito rica, mas trazer isso com umas técnicas diferentes, de forma repaginada".

Segundo Renê, a ideia é levar sabores, talvez até já conhecidos pelo público, mas com uma inovação em técnica e uma apresentação bem diferente. "Os pratos ainda estão em período de teste, mas eu posso falar pra vocês que alguns clássicos eu pretendo incorporar no cardápio como o x-caboquinho e a matrinxã", comentou.

"Eu gosto bastante da culinária de rua de Manaus. Lá na Manaus Moderna, por exemplo, sempre tenho que ir lá. Gosto disso, de comer na rua, nas barraquinhas onde os locais mesmo comem. E a ideia é essa, colocar essas comidas de rua de Manaus dentro do Belle, de uma forma repensada", conclui Renê.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.