Publicidade
Entretenimento
Vida

Cia. e Casarão de Idéias comemoram aniversário com selo de promoção cultural

O diretor do 'Núcleo' de Idéias, o ator João Fernandes, classifica que o reforço ganhado por diversas bandeiras – entre elas os apoios da Caixa Econômica Federal, do banco Itaú por meio do Rumos Itaú Cultural de Dança, dos prêmios Myriam Muniz de Teatro e Klauss Viana de Dança, alcançados entre o fim de 2012 e o início de 2013 para a apuração e desenvolvimento de suas atividades culturais e artísticas - se deve à multiplicidade de funções intercaladas entre Casarão e Cia. de Idéias 05/04/2013 às 18:19
Show 1
O Casarão e a Cia. de Idéias concilia as funções de produção e fomento artístico
Laynna Feitoza Manaus, AM

Solidificação é a palavra que norteia o ano de 2013 para a Cia. De Idéias* e o Casarão de Idéias, que completam nesta sexta (05), respectivamente, 6 e 3 anos de existência. A companhia de teatro e a casa de promoção cultural, que surgiu para subsidiar a cia., comemoram a agregação de grandes parceiros em suas atividades de produção e fomento artístico na capital amazonense. Entre elas, a composição de espetáculos, a realização de cursos de dança, teatro, música e artes visuais, a produção da revista Idéias Editadas, uma publicação cultural trimestral, e a manutenção de todas as atividades desenvolvidas.

O diretor da companhia e da entidade, o ator, dançarino e professor do curso de Dança e Teatro da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), João Fernandes, classifica que o reforço ganhado por diversas bandeiras – entre elas os apoios da Caixa Econômica Federal, do banco Itaú por meio do Rumos Itaú Cultural de Dança, dos prêmios Myriam Muniz de Teatro e Klauss Viana de Dança, alcançados entre o fim de 2012 e o início de 2013 para a apuração e desenvolvimento de suas atividades culturais e artísticas - se deve à multiplicidade de funções intercaladas entre Casarão e Cia. de Idéias.


Bandeiras: Caixa Econômica Federal, Banco Itaú, e BNDS

“A Cia. de Idéias, junto com o Casarão, deu uma grande solidificada na questão profissional. Hoje agregamos a bandeira da Caixa Econômica Federal no Festival de Dança Mova-se, do Ministério da Cultura através da Fundação Nacional de Artes (Funarte) tanto no edital de teatro quanto no de dança. Os resultados de agora são fruto da consistência dos trabalhos dos anos anteriores”, afirmou Fernandes. Além dos prêmios e apoios já citados, o Núcleo de Idéias ganhou o Prêmio Mais Cultura, tornando-se Ponto de Cultura em Manaus, e o Prêmio BNDS, do Banco Nacional de Desenvolvimento Sustentável.

É a primeira vez que o BNDS patrocina um evento de dança da Região Norte. “Não é um banco econômico, é um banco de fomento. Conosco ganharam apoio festivais como o ‘É Tudo Verdade’, que acontece em SP, a 'Feira Literária de Paraty', e o 'Festival de Cinema de Tiradentes', que integram o rol dos principais eventos das artes no país”, disse João. Ao todo, apenas 20 eventos ganharam o patrocínio da BNDS no Brasil inteiro.

Atividades continuadas

Dentre as atividades que já acontecem em 2013 pela execução da Cia. e Casarão de Idéias, estão algumas ações já realizadas em 2012, mescladas aos novos projetos, segundo João. “Dentro das que a gente já fazia, a gente vai continuar realizando o Mova-se, um festival de dança que vai para a sua quarta edição, a 2ª edição do projeto ‘Lugares Que O Dia Não Me Deixa Ver’, atividade que começamos ano passado, valorizando as fachadas da arquitetura antiga da cidade e a estreia do novo espetáculo teatral da Cia. de Idéias, chamado ‘Vestido de Noiva’, uma reeleitura da obra de Nelson Rodrigues”, explicou o diretor.

Dirigida pelo próprio João, que também atua na peça, o elenco da ‘Vestido de Noiva’ é composto pelos atores Vitor Lima, Eduardo Klinsmann, Gleidstone Melo e Ítalo Soares e acontece nesta sexta (05) e sábado (06) de abril, no Les Artistes Café Teatro, às 20h. De acordo com João, a reeleitura do texto de Rodrigues praticada pela cia. aposta no teatro contemporâneo, buscando solidificar o elenco masculino. “Nesse trabalho, pontuamos muito o texto e ator. De cenário não temos quase nenhum, não nos sustentamos em outros elementos. Será o ator e a cena apenas. Não há nenhuma palavra, e é um trabalho que potencializa o ator em sua totalidade. Estamos buscando um pouco mais disso no nosso fazer teatral”, destacou Fernandes.

Casarão de Idéias como Ponto de Cultura


Integrando os notáveis acontecimentos de 2013, está o Casarão de Idéias enquanto Ponto de Cultura, resultado do Prêmio Mais Cultura, do Ministério da Cultura (MinC), que tem o objetivo de apoiar projetos de entidades histórico-culturais sem fins lucrativos.  “Até então não éramos Ponto de Cultura. Já ofertávamos algumas atividades similares, mas este ano ofertaremos alguns cursos livres para a população. Teremos cursos nas áreas de dança, teatro, artes visuais e música-violino”, disse o diretor. As inscrições para os demais cursos estão encerradas, mas ainda há vagas para o curso de dança infantil. Para inscrever-se, basta ir até o Casarão de Idéias, localizado na Rua Monsenhor Coutinho, 275, bairro Centro, no horário de 8h às 12h, e de 14h às 18h. Tanto as inscrições quanto os cursos são gratuitos.

Festival de Dança Mova-se

O Festival de Dança Mova-se já não faz parte somente do calendário dos artistas locais: já distribui-se no calendário das companhias a nível nacional, segundo João. “Elas já se preparam e separam na agenda o mês de junho para vir a Manaus. Isso para a gente já é um grande avanço e faz com que as pessoas direcionem o olhar para as produções do Norte e de Manaus, uma vez que geralmente as atividades de dança se concentram naquele eixo Sudeste-Nordeste, e hoje as companhias tem começado a perceber a inclusão do Mova-se no cenário nacional”, pontuou.

O Mova-se é um festival de solos, duos e trios com linguagem coreográfica livre. “Trabalhamos com várias modalidades de dança: a clássica, a contemporânea, dança de rua, entre outras, agregando a todos os públicos”, complementou o professor da UEA. Neste ano, o Mova-se acontecerá de 26 a 30 de junho, nos teatros Amazonas e da Instalação, e tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal, Fundação Nacional de Artes (Funarte), Banco BNDES e Governo do Estado do Amazonas. O Mova-se também se desmembra em uma versão para os pequenos: O Mova-sezinho é um festival de dança voltado para a criançada. “Fazemos o Mova-sezinho pensando nessa criançada que vai formar o público adulto de amanhã”, completou.

Da montagem de espetáculos para a manutenção das atividades culturais

Em 2013, o Núcleo de Idéias ganhou o Prêmio Myriam Muniz de Teatro por conta do envolvimento da entidade/companhia, que transcendeu as montagens teatrais. A cia., que havia arrematado em anos anteriores prêmios na categoria  ‘Circulação de espetáculos e Montagem de espetáculos' venceu neste ano na categoria específica de ‘Manutenção de atividades teatrais de grupos e companhias’, assegurou Fernandes. De acordo com ele, a própria organização do prêmio propôs à cia. que deixassem de concorrer com espetáculos para concorrer à manutenção das atividades de cunho artístico realizadas pelo Núcleo.

“Eles disseram: ‘Não queremos que vocês montem um espetáculo. Queremos que vocês mantenham as atividades pra que a cia. se solidifique. O Casarão foi um dos poucos que ganharam na categoria da manutenção das atividades. Eles potencializaram as cias. em que eles percebem um trabalho continuado, e isso foi um grande avanço para nós”, lembrou João. Ao todo, a Cia. de Idéias possui seis espetáculos ao longo dos seis anos de trabalho: ‘Vestido de Noiva’ (2013), ‘@.com’ (2009), ‘Incômodo’ (2010), ‘In Sônia’ (2009), ‘Uma Branca Sombra Pálida (2006)’, e ‘Auto do Rei Leal (2007)’.

‘Núcleo’ de Idéias: companhia de teatro e casa de promoção cultural

A dualidade entre a companhia de teatro e a entidade de promoção cultural alçou vôos além do âmbito artístico. Com o trabalho de avaliação de mercado, análise de períodos para a projeção das atividades e a pesquisa dos lugares adequados para a realização dos projetos rendeu uma participação ao II Congresso de Design do Amazonas, que ocorreu em março, para apresentar os resultados do projeto ‘Lugares Que O Dia Não Me Deixa Ver’, que, com iluminações e o apoio das artes cênicas valoriza o entorno de patrimônios arquitetônicos antigos e esquecidos em Manaus. “Acabamos saindo da questão do mundo restrito das artes para dialogar com a arquitetura manauara, que não deixa de ser arte, mas envolve um outro público. O diálogo com outros setores é sempre prazeroso”, assegurou o diretor do Núcleo de Ideias.

‘Sair, olhar, voltar, recodificar, reescrever e interpretar’

O intercâmbio cultural é defendido por João como o que realmente propõe novas óticas acerca do que acontece artisticamente no país e no mundo. “Estamos sempre interligados no que está acontecendo aqui e no que está acontecendo em outros lugares. Nossa ideia, desde o início, não é ficar só em Manaus, mas sim dialogar com outros cantos. Acho que precisamos viajar muito, aspirar novos ares. Acho que só produzir, só vivenciar e só apresentar em Manaus não lhe dá muitas referências, e precisamos saber o que está sendo pontuado em outros lugares. É importante sair, olhar, voltar, recodificar, reescrever e interpretar o que absorvemos de fora”, enfatizou o artista. A Cia. de Idéias já circulou com seus espetáculos teatrais nos estados do Distrito Federal, Piauí, Mato Grosso e Pernambuco.

Biblioteca de arte: ponto alto


Outro espaço que merece destaque no Casarão de Idéias é a biblioteca, que fica aberta à população. “No início do Casarão, em 2010, tínhamos apensas 50 títulos. Hoje temos 1.500, entre obras de teatro, dança, artes visuais, livros de gestão cultural, de história da arte, e de várias categorias literárias. A biblioteca é voltada para todos, e principalmente à classe artística”, adiantou João. O espaço físico do Casarão dispõe, além da biblioteca, de uma sala de ensaios, do café Maquira e do teatro porão, e é constantemente utilizado para espetáculos de dança e teatro, oficinas, ensaios e reuniões da classe artística local.

Artistas em casamento cultural

A equipe do Núcleo de Idéias divide-se entre os membros da Cia. e da Revista Idéias Editadas. Da Cia. de Ideias fazem parte os atores Vitor Lima, Ítalo Ruy, Gleidstone Melo, Eduardo Klinsmann e pelo preparador corporal Branco Souza. A Revista Idéias Editadas é composta pelos artistas Dyego Monnzaho (Conselho Editorial), Ana Cláudia Motta (Colunista), Márcio Braz (Colunista), Ana Paula Costa (Design Gráfico), Jorge Bandeira (Colunista) e Rodrigo Medeiros (Responsável pelo projeto gráfico da revista) e por João Fernandes, diretor da Cia. e do Casarão de Idéias.

'Ser artista é muito fácil, eu me rotulo e sou. Mas quem comprova é o tempo'

A potencialização do indivíduo enquanto artista se dá, conforme João, por meio do conhecimento artístico, que, segundo ele, não é a principal preocupação de muitos artistas hoje em dia. “As pessoas não querem se apropriar de conhecimento artístico para poder distribuir nos seus espetáculos. Costumo dizer que ser artista é muito fácil. Eu me rotulo e sou. Mas na verdade, quem comprova que você é de fato é o tempo. Mesmo com os altos e baixos da área, precisamos manter a produção”, completou o professor.

“Os cursos do Casarão foram feitos buscando oferecer uma oportunidade para que as pessoas busquem o canal da pesquisa. Não é que vão servir como referência, mas serve para que as pessoas percebam que é o caminho. Queremos potencializar as percepções acerca da importância de ler, de assistir... ainda vemos pessoas que fazem teatro e que não assistem nada de teatro. Como é que você é um agente daquela arte se você não tem referência nenhuma? Assim também ocorre com a dança e os outros segmentos artísticos”, completou Fernandes.

Notáveis colaboradores: a arte em parceria

A história do Casarão de Idéias é composta por renomes da arte e crítica artística local. Um deles é Jorge Bandeira, diretor, dramaturgo, crítico e professor do curso de Teatro da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), que foi convidado por João Fernandes no início dos trabalhos da entidade para participar de um projeto de leituras dramáticas. Jorge é responsável pelas montagens ‘22 Lâminas’ – o primeiro espetáculo teatral 100% naturista em Manaus – e a releitura de ‘Contatos Amazônicos de Terceiro Grau’, cujo texto foi autorizado pelo autor Márcio Souza. As duas peças foram encenadas no Casarão de Ideias e fazem parte de momentos importantes na existência da casa de promoção cultural.

“Numa cidade onde a cultura é extremamente limitada, precisamos avançar muito para que o povo tenha acesso a ela. O Casarão de Idéias é um ponto de resistência para as pessoas que queiram essa cultura diversificada, veiculada a diversos gêneros. Na cidade, as pessoas pouco veem cultura; veem mais entretenimento. E o trabalho do João Fernandes é louvável, cuja proposta traz a única revista com periodicidade regular que veicule cultura (Revista Idéias Editadas), da qual faço parte da primeira edição”, destacou Bandeira.

O ator e coordenador de projetos do Casarão de Idéias, Vitor Lima, faz parte da Cia. de Idéias desde 2008, antes do Casarão ser criado. De acordo com ele, o Casarão foi pensado inicialmente para ser um espaço para a Cia., voltado para ensaios e afins, ganhando depois proporções maiores, e tornou-se Ponto de Cultura.


“A casa teve momentos importantes, com cursos livres de teatro, dança e cinema. Teve também temporadas de teatro, exposições de artes plásticas, concertos de música. Um destaque foi a primeira apresentação naturista de teatro, com o espetáculo da Cia Éden chamado ‘22 Lâminas’, onde todos, platéia e atores, estavam nus. Isso aconteceu no teatro porão do Casarão. Que eu saiba foi o primeiro espetáculo teatral totalmente naturista em Manaus”, recordou Lima.

Sobre o Casarão de Idéias ter se tornado Ponto de Cultura, Vitor explicou que se tratou de um processo natural. “À medida que as atividades iam se expandindo, sentimos necessidade de concorrer ao edital público dos pontos de cultura, para que nos auxiliasse na manutenção e nos fizesse ampliar possibilidades. Concorremos no edital passado, mas não fomos aprovados. Neste último, concorremos novamente e fomos um dos poucos aprovados no Amazonas”, concluiu.

“Queremos capacitar braços que possam compor esse fomento maior”

E o desejo para o futuro permeia cada vez mais a disseminação artística-cultural. “O Casarão de Idéias é um lugar para todas as artes. É um lugar onde se fomenta, onde se produz, se capta, se planeja, é uma instituição de promoção cultural. Queremos promover cultura, independente da linha artística. E quando falamos de promoção cultural, agregamos todos esses setores: de comentar, captar, e capacitar braços que possam compor cada vez mais esse fomento maior”, finalizou João Fernandes.

*A acentuação da palavra 'Idéias' foi mantida na reportagem em atendimento à identidade da companhia/entidade, que escolheu manter o acento agudo após as mudanças ortográficas

Publicidade
Publicidade