Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
Vida

Cine e Vídeo Tarumã exibe inéditos

“Hanami – Cerejeiras em flor” e “Ararat” estão entre atrações da semana, com filmes não exibidos nos cinemas locais



1.jpg
As exibições acontecem a partir das 12h30 no auditório Rio Negro, localizado no Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam)
15/01/2013 às 09:31

Filmes premiados internacionalmente, mas inéditos nos cinemas de Manaus são apresentados durante esta semana no Cine e Vídeo Tarumã.

Amanhã, dia 14, será exibido “Hanami - Cerejeiras em flor” (2008), da diretora alemã Doris Dörrie. No filme, Trudi (Hannelore Elsner) sabe que seu marido Rudi (Elmar Weper) está sofrendo de uma doenças em estágio terminal e precisa decidir se conta ou não a ele.

Ela decide não contar sobre a doenças e, para tornar os sintomas menos amargos para o seu companheiro, o convence a realizar o antigo sonho de visitar o Japão. No entanto, antes de ir, o casal de idosos decide ver seus filhos e netos em Berlim, visita que fará mudar seus planos.

O filme foi o vencedor do Festival de Seattle e indicado ao Urso de Ouro em Berlim.

Na sexta-feira, dia 18, o filme exibido será “Ararat” (2002), do egípcio-canadense Atom Egoyan.

Na trama, Edward Saroyan, personagem vivido pelo cantor Charles Aznavour, é um cineasta de origem armênia que está dirigindo um filme sobre os trágicos eventos de 1915, que culminaram com o massacre de parte do povo armênio pelo exército turco.

A realização desse filme acaba afetando profundamente a vida de duas famílias. Uma delas, a do jovem Raffi (David Alpay), que ao regressar da Turquia, aonde foi captar imagens do local do massacre, é retido na alfândega com latas de filme. A outra, a de David (Christopher Plummer), o inspetor aduaneiro que se encarrega de interrogar Raffi.

Enquanto o rapaz enfrenta uma relação tumultuada com a mãe e a irmã de criação, David encontra-se em fase de reconciliação com seu filho homossexual e o amante dele, que trabalha como ator no filme de Saroyan.

O diretor Egoyan já é conhecido no cinema internacional (fez “Exótica” e “O doce amanhã”) e percorre agora um caminho hollywoodiano (“O preço da traição”). Com Ararat, Egoyan ganhou o prêmio Direitos Humanos de 2003 atribuído pela Political Film Society, dos Estados Unidos.

As exibições acontecem a partir das 12h30 no auditório Rio Negro, localizado no Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). A universidade fica na av. Rodrigo Otávio, 3.000, Coroado. Todas as sessões são gratuitas.

Serviço

o que é:  Ciclo de filmes inéditos no Cine e Vídeo Tarumã

quando:  Quarta e sexta-feira, às 12h30

onde:  Auditório Rio Negro, Campus da Ufam, avenida Rodrigo Otávio, 3.000, Coroado


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.