Publicidade
Entretenimento
Vida

Cineasta Sérgio Machado pretende vir ao Amazonas em 2016 para rodar novo filme

Diretor baiano tem até uma locação em mente para sua história, o cais da Manaus Moderna, que ele diz nunca ter visto em filme. Ele virá a cidade para gravar parte da adaptação do conto de Milton Hatoun, que será seu próximo projeto de ficção 12/12/2015 às 13:32
Show 1
Sérgio Machado (dir.) está desenvolvendo o roteiro de "O Adeus do Comandante" junto com Milton Hatoum (esq.)
Lucas Jardim Manaus (AM)

O cineasta Sérgio Machado anunciou que virá a Manaus filmar parte de “O Adeus do Comandante”, a adaptação de um conto do autor amazonense Milton Hatoum que será seu próximo projeto de ficção. A declaração foi feita em uma entrevista cedida após a première de seu mais recente longa, “Tudo Que Aprendemos Juntos”, na Região Norte, ocorrida esta semana em Palmas (TO).

“Todo mundo está filmando [os livros do] Hatoum. Tem o Guilherme Coelho, que fez ‘Órfãos do Eldorado’, a Globo está fazendo ‘Dois Irmãos’, o Marcelo Gomes está fazendo ‘Relatos de um Certo Oriente’ e eu estou fazendo ‘O Adeus do Comandante’ e escrevendo com ele mesmo. Estou querendo trabalhar mais no roteiro para filmar provavelmente no segundo semestre de 2016, um pedaço no Amazonas e outro no Pará”, contou o diretor em entrevista.

Falando em filmagens, Sérgio tem até uma locação ideal em mente para sua história, o cais da Manaus Moderna, que ele diz nunca ter visto em filme. “Estive agora no Amazonas e fiquei muito impressionado com aquele cais, acho que é uma locação das mais extraordinárias que eu já vi no Brasil. Aquele cais cheio de barcos e tudo... Fiquei com muita vontade de filmar ali. O [protagonista] é o comandante de um daqueles barcos, daquelas Gaiolas. O filme abre com um plano geral daquele lugar, você vê um barco correndo o Rio Amazonas com um caixão e você não sabe quem que está nele”, detalhou o cineasta, atiçando a curiosidade.

Gênese

Segundo Sérgio, o projeto de “Adeus...” teve sua gênese quando “Tudo...” ficou parado por um ano por conta de problemas no financiamento. “[Na época], fiquei muito angustiado e fiquei um tempo sem fazer nada até que perguntei para uma amiga minha, que é crítica literária, quem eram os dez maiores escritores brasileiros contemporâneos. Ela fez uma lista, foi comigo à livraria e disse: ‘Vou comprar os melhores livros brasileiros para adaptar’”, relembrou.

A experiência acabou levando-o a se aprofundar mais na obra do autor amazonense, a qual ele já conhecia. “Acho que ele é o melhor escritor brasileiro. Pra mim, ele é o escritor mais brilhante do País”, disse, sem titubear, mencionando que agora está próximo de Milton e já frequentaram eventos como a Bienal de Paris juntos.

O diretor confirmou no projeto a presença de seus colaboradores, os atores Wagner Moura, que interpretará um dos irmãos protagonistas, e Lázaro Ramos, que narrará o filme. Inspirado na ideia de reunir o elenco de seu primeiro longa de ficção, “Cidade Baixa” (2005), disse estar sondando a atriz Alice Braga para participar do projeto.

Além do elenco, a trama de “Adeus...”, que trata sobre a paixão de três irmãos por uma mesma mulher, retoma uma temática desse trabalho anterior. “Desde que fiz o ‘Cidade Baixa’, eu queria achar uma história de amor mais potente e aí Lázaro, Wagner e Alice falaram: ‘Vamos achar, uma hora ela vai aparecer’. Aí pintou essa história do Milton, que é um conto que tem essa coisa de paixão levada às últimas consequências”, contou.

 Experiência

“Adeus” não será a primeira filmagem de Sérgio em solo amazonense. Ele esteve no Estado gravando cenas para seu novo documentário, “Aqui Deste Lugar”. “A gente filmou várias famílias, uma delas na floresta [Amazônica]. Eu acabei tirando essa família no corte final, mas passei lá alguns meses e eu achei a região muito fascinante. Fiquei bem curioso: como uma cidade tão absolutamente rica e fabulosa [como Manaus] é tão pouco [vista]?”, ponderou.

Futuros projetos

Um “workaholic por natureza” (palavras dele), Sérgio não para quieto intercalando produções de ficção e não-ficção, para cinema e para a TV. Em sua atual fila, está um documentário sobre os lutadores de boxe nordestinos Todo Duro e Holyfield chamado “A Luta do Século”, que já está filmado e atualmente está sendo editado. Uma adaptação em desenho animado de “A Arca de Noé”, livro de poemas infantis de Vinícius de Moraes também está sendo desenvolvida, junto com Walter Salles.

Quanto à televisão, Sérgio mencionou o desejo de fazer uma série sobre o fotógrafo franco-brasileiro Pierre Verger para a HBO. Ele também gostaria de poder levar as histórias de Milton Hatoum para a telinha. “Uma coisa que eu tinha muita vontade de fazer para a televisão era uma série das obras do Milton. ‘O Adeus do Comandante’ é de um conto, então eu pensei em fazer uma série inteira com pequenas histórias [dele]”, contou.

Publicidade
Publicidade