Publicidade
Entretenimento
Vida

CineMaterna estreia nesta quinta no Cinepólis da Ponta Negra

Projeto exibe sessões especiais para as mães e pais que têm filhos ainda bebês 21/11/2013 às 11:14
Show 1
A sala contará com trocadores, além de luzes, som e ar condicionado monitorados, tudo para o conforto das mamães e dos seus bebês
Renildo Rodrigues* Manaus (AM)

Numa iniciativa que visa facilitar a vida das mães e pais manauaras, que têm dificuldade de ir ao cinema por causa dos filhos pequenos, a rede Cinépolis inaugura nesta quinta (21), às 14h, o projeto CineMaterna.

Voltadas exclusivamente para mães, pais e bebês de até 18 meses, as sessões do CineMaterna contam com som reduzido, ar-condicionado monitorado, luz baixa – para que as mães possam circular pelo cinema –, trocadores dentro das salas e, ainda, tapetes emborrachados, para as mães que quiserem ficar no chão com os bebês.

A sessão de estreia, segundo Irene Nagashima, uma das fundadoras do projeto, será um presente para esse público em Manaus, com entrada gratuita até a lotação. “Depois, o projeto continua com uma sessão mensal, com preços normais do cinema, sempre na terceira quinta-feira do mês, às 14h”, explicou.

A chegada do projeto
A vinda da iniciativa para a capital amazonense, ainda de acordo com Irene, foi motivada pelo pedido de mães nas redes sociais. “Tínhamos várias manauaras pedindo, mas faltavam apoiadores regionais. Fomos buscar junto aos interessados e o Cinépolis e o Shopping Ponta Negra mostraram interesse na hora, antes mesmo de abrir”, contou.

Hoje com cinco anos e meio de funcionamento, presente em mais de 60 salas de cinema de 32 cidades brasileiras, e tendo como patrocinadores nacionais a Natura e a Bébéconfort, o CineMaterna comemora o sucesso que, segundo Irene, só tende a aumentar.

“O projeto surgiu quando eu, então mãe de um bebê de cinco meses, desabafei com um grupo de mães que não conseguia ir ao cinema. Foi quando decidimos, juntas, cada uma com seus filhos, invadir uma sessão regular. Foi um sucesso, voltamos mais felizes e até os maridos elogiaram.

Desde então se passaram mais de cinco anos e esse crescimento do CineMaterna mostra que a demanda continua e só tende a crescer”.

*Com informações de Lucy Rodrigues

Publicidade
Publicidade