Sexta-feira, 19 de Julho de 2019
Vida

Cirurgia de redução de seios melhora bem-estar físico e mental

Cirurgia de redução de mama produz melhorias significativas em várias áreas importantes da saúde e da qualidade de vida da mulher, relata  estudo



1.jpg A satisfação com a aparência da mama foi mais fortemente relacionada ao contentamento com o resultado geral
07/08/2013 às 20:17

Um novo estudo está dando ânimo para as mulheres insatisfeitas com o tamanho de seus seios. A cirurgia de redução de mama produz melhorias mensuráveis em várias áreas importantes da saúde e da qualidade de vida da mulher, relata um estudo publicado na edição de agosto da revista médica “Plastic and Reconstructive Surgery”, periódico oficial da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (ASPS, na sigla em inglês).

O estudo utilizou um questionário bem validado (“Breast-Q”, algo como “Mama-Q”) para documentar os benefícios da cirurgia de redução de mama tanto para a saúde física como psicossocial. “A melhora no bem-estar físico é importante para justificar a cobertura dos planos de saúde”, declara Michelle Coriddi, do Centro Médico da Universidade Estadual de Ohio, Estados Unidos.

A pesquisa foi projetada para avaliar e confirmar os benefícios da cirurgia de redução de mama, um dos procedimentos de cirurgia plástica nos seios mais comumente realizados. Estudos anteriores descobriram que a intervenção é altamente eficaz no alívio de sintomas relacionados aos seios excessivamente grandes.

O Breast-Q foi aplicado para que os pesquisadores obtivessem impressões mais claras e completas dos resultados clínicos e, segundo Coriddi e seus colegas, é o único questionário para avaliar os resultados da redução de mama que atende às normas internacionais e federais.

De um grupo de 49 pacientes submetidas à redução de mama, 78% delas respondeu o Breast-Q anonimamente antes e/ou após a cirurgia. Foram avaliadas as mudanças na satisfação relatada pela paciente e a qualidade de vida depois da redução. Os dados mostraram melhora significativa tanto nos questionários de antes quanto nos de depois em todas as quatro áreas avaliadas: satisfação psicossocial, sexual, com a aparência dos seios e bem-estar físico. Em uma escala de 100 pontos, a satisfação com a aparência da mama aumentou de cerca de 20 antes da cirurgia para mais de 80 depois.

Também houve grandes melhorias nos pontos de bem-estar psicossocial (de 41 para 84), bem-estar sexual (40 a 78) e do bem-estar físico (43 contra 81). Conforme já relatado em estudos anteriores, o procedimento aliviou as dores no peito, pescoço, costas e ombros.

A satisfação com a aparência da mama foi mais fortemente relacionada ao contentamento com o resultado geral. Além de acabar com a dor, a redução dos seios levou a melhorias significativas no sono e na capacidade de praticar exercícios físicos.

O novo estudo é uma importante confirmação de que a redução de mama também leva a melhorias no bem-estar físico e psicossocial da mulher. “A melhora na atividade física, a diminuição das queixas de dores crônicas e a melhoria da qualidade de vida em geral indicados por este estudo valida a cobertura dos planos de saúde para este procedimento”, escrevem os pesquisadores.

Coriddi e seus colegas observam que os benefícios de redução de mama já são observados logo após a cirurgia, em apenas seis semanas. As melhorias também ocorrem após relativamente pequenas reduções no tamanho das mamas, o que serve de argumento contrário para as diretrizes de planos de saúde que levam em consideração a quantidade de tecido removido para cobrir a cirurgia. Os pesquisadores planejam novos estudos utilizando o Breast-Q para melhor avaliar os resultados de redução de mama, incluindo mais pacientes e as seguindo durante um prazo maior.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.