Publicidade
Entretenimento
Vida

Clássico reinventado: conheça o chanel desconstruído, nova versão do famoso corte

Várias celebridades que andam desfilando com a tendência por aí: Sophie Charlotte, Glória Pires e Taylor Swift são algumas de suas adeptas 23/10/2015 às 17:21
Show 1
Ao contrário do chanel clássico em que os fios são cortados retos, o assimétrico combina com todos os tipos de rosto
Loyana Camelo Manaus (AM)

Criado “sem querer” há quase 100 anos pela estilista Coco Chanel após um acidente doméstico e popularizado pelo cabeleireiro britânico Vidal Sassoon nos anos 60, o corte chanel se mantém em alta até hoje graças às suas muitas releituras.

Versátil, o clássico consegue receber diversas variações sem perder sua essência. Na versão desconstruída, ele se torna ainda mais notável, porque além de fashion, é democrático.


Tendência

Assim sendo, não são poucas as celebridades que andam desfilando com a tendência por aí. Sophie Charlotte, Glória Pires, Victoria Beckham e Taylor Swift são algumas de suas adeptas mais famosas.

Ao contrário do chanel clássico em que os fios são cortados retos, o assimétrico combina com todos os tipos de rosto. Tudo depende da altura em que ficarão as pontas, conforme explica a hair stylist americana Rebecca Weber, que fez curso na Vidal Sassoon Academy.

“Por causa das linhas diagonais, o chanel desconstruído combina com qualquer pessoa. Até em quem é mais conservadora é possível pode misturar o clássico e o moderno”, explica.

A única ressalva feita por Rebecca é de que quem tem o rosto mais redondo, não deve cortar os fios na altura do queixo. “Deve ser cortado pelo menos uns dois dedos abaixo, porque se não o rosto parece mais redondo ainda”, alerta, acrescentando que chega a fazer em média 10 cortes desse tipo por semana.

Adaptável

A versão moderninha do chanel é tão democrática que inclusive se adapta a fios lisos, ondulados e cacheados. Melhor ainda: não requer a escravidão da escova no dia a dia, diz Rebecca. Até mesmo os mais pesados e volumosos, que normalmente são contraindicados para o corte tradicional, são candidatos ao chanel assimétrico.

As ondas, inclusive, estão muito em alta. Rebecca comenta que estas podem ser conseguidas com o auxílio de baby liss e finalizador, mas a profissional alerta: não é recomendável amassar os cachos para conseguir o efeito. Melhor deixar as ondas soltarem naturalmente.

Manutenção

A blogger Karen Mabel (que comanda o Instagram @amaisamenos) usa o chanel irregular desde o ano passado. O dela é um pouco mais curto atrás e mais comprido na frente.

Ela conta que gosta de fazer a manutenção do corte de cinco em cinco meses em meses e que manuseá-lo no dia a dia é extremamente prático. “Gosto de usá-lo tanto liso como cacheado, então; e tanto clássico como despojado a depender da ocasião”, comenta.

Para quem está pensando na mudança, mas ainda não criou coragem, Rebecca Weber diz que é possível fazer o corte deixando os fios bem mais longos na frente. “Aí a pessoa muda o visual, mas não sem perder muito do comprimento do cabelo”, comenta. Com tanta versatilidade e praticidade, pelo visto o chanel ainda vai estar em alta também nos próximos 100 anos!

Publicidade
Publicidade