Publicidade
Entretenimento
Vida

Coleção dos sonhos: manauara possui acervo com mais de 600 pipas nacionais e internacionais

Além de colecionar, Leon Silva também representa o País em competições e festivais do mundo inteiro 05/02/2016 às 15:28
Show 1
O amazonense começou a colecionar há cinco anos e já chegou a ter mais de três mil pipas no acervo
Mayrlla Motta Manaus (AM)

Voar livre pelo céu ao ritmo do vento, quebrar recordes e se divertir. Esta é a manobra que desde criança o mecânico de aeronaves, Leon Silva, carrega literalmente nas mãos. O motivo é a brincadeira tradicional, que para alguns é hobby, mas para ele é esporte e filosofia de vida: empinar pipas. 

Conhecidas em todo o País como “papagaio” ou “curica”, elas geralmente são encontradas em cada esquina. A paixão pelo objeto, levantado pela primeira vez pelos chineses, é tanta que o amazonense as trouxe para dentro de casa. “Comecei a colecionar há uns cinco anos e já cheguei a ter mais de três mil” conta.

O atual campeão do Festival de Pipas de Mato Grosso do Sul, na categoria “catfight”, conhecida no Amazonas como “pipa de corte”, possui atualmente um acervo com mais de 600 peças oriundas de vários estados brasileiros e de países da América Latina.

O corintiano de coração tem desde pipas com estampas em papel de seda do “Seu Madruga” até de quando o seu time foi campeão da Copa Libertadores da América em 2012. “Todas são muito significativas na minha trajetória, as mais belas que já vi foram as do chineses, eles levantam dragões enormes no céu. Então, sempre quando viajo para competir levo as melhores da minha coleção” conta.

“Pode não parecer, mas um pedaço de papel e madeira te ensina muitas coisas. A primeira é que não podemos brincar com a própria vida. A segunda é a respeitar o próximo, pois assim como em outras áreas, o respeito é fundamental entre as relações sociais” expressou.

Leque cultural

A coletânea proporcionou ao representante do Amazonas, no campeonato mundial que ocorrerá em setembro na França, diversas experiências. “Esta iniciativa me trouxe um leque de conhecimento cultural enorme. Criei um grupo numa rede social e pessoas do mundo todo querem competir em grupo comigo nos festivais" declarou Leon, que também é integrante do “Club de Volantinismo” do Chile (traduzindo, clube de pipas). 

Recomendações

Para praticar o esporte com segurança, Leon recomenda aos amantes das pipas algumas precações. “O usa das fitas protetoras para os dedos é como se fosse o capacete de um motocicleta. Ter cuidado com o uso do cerol é fundamental e evitar soltar pipa em lugares próximos a rede elétrica é outro ponto essencial para evitar acidentes” adverte.

Em Manaus existem locais apropriados para a prática. Conhecidos como pipodrómos eles estão localizados nos campos do bairro Canaranas e do Ceam, no São Francisco e, diversas pessoas reúnem-se todos os dias para a diversão e os céus ficam coloridos.

“Já chegamos a juntar mais de 30 mil. São nesses locais que nascem os futuros campeões. Não existe hora para ser feliz” conta o competidor que participará pela segunda vez do festival de pipas em Osasco (SP).

Publicidade
Publicidade