Publicidade
Entretenimento
Vida

Coletivo Difusão realiza debate sobre produção musical no AM

Evento será transmitido pela Pós TV (post.org) e contará com a participação dos músicos e produtores Beto Montrezol, Bruno Prestes e Ian Fonseca 27/03/2015 às 13:39
Show 1
Beto Montrezol e Bruno Prestes estão entre os participantes do bate-papo deste sábado
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Neste sábado, dia 28, o Coletivo Difusão realiza em sua nova sede (rua Major Gabriel, Travessa Juliana, n° 4, Centro) um bate-papo sobre produção musical com a participação de Beto Montrezol, Bruno Prestes e Ian Fonseca. A atividade, que faz parte da programação do Grito Rock 2015, começa às 19h e terá transmissão em tempo real pela Internet por meio da plataforma Pós TV (post.org).

Dentre os assuntos que serão discutidos está a democratização do acesso à tecnologia de produção e o ‘toque de Midas’ desse profissional no trabalho de artistas e bandas, necessidade da narrativa do que se produz, interação com o público-alvo, comportamento no mercado atual e perspectivas de trabalho no Amazonas e região Norte.

Montrezol e Prestes fizeram parte de uma das bandas de rock mais relevantes de Manaus dos últimos dez anos, a Several, como baterista e vocalista/guitarrista, respectivamente. Porém, há anos Betinho, como é conhecido, vem se dedicando também há produção musical em seu estúdio Supersônico. 

Recentemente, o álbum da banda Nekrost, produzido por ele, foi considerado o quinto melhor álbum de Metal da América Latina segundo o site do HEADBANGERS Latinoamérica e o quarto melhor álbum nacional segundo a REvista Road Crew.

Ian Fonseca já foi da banda Mezatrio e hoje toca na Supercolisor - antiga Malbec (Divulgação)

Já Bruno Prestes assinou a produção de álbuns como o da banda Os Tucumanus (“Rumo à Via Láctea”), da banda Casa de Caba, o novo trabalho da banda Roodie e, a partir de maio, o novo disco da cantora Elisa Maia.

Ian Fonseca, o mais novo da turma, desde o 15 anos já circulava com sua antiga banda, a Mezatrio, por vários festivais Brasil a fora. Mas foi o lançamento do álbum “Paranormal Songs”, da sua banda Supercolisor (antiga Malbec), em que o músico assina a produção musical, que o colocou no mapa de figuras promissoras para novos trabalhos na cidade.

Publicidade
Publicidade