Quarta-feira, 22 de Maio de 2019
RAP

Com crítica ao machismo, single 'Madalena' conecta capitais da região Norte

Rapper nascida em Manaus e radicada em Belém se juntou a MC de Macapá para gravar a faixa



07/05/2019 às 15:15

Uma das representantes da cena rap feminina da região Norte, a MC amazonense Anna Suav acaba de lançar seu novo single, “Madalena”, gravado em parceria com a MC Deeh, de Macapá. O trabalho, que já veio acompanhado de um videoclipe gravado no Marco Zero do Equador, fala sobre o empoderamento das mulheres e faz alusão às discriminações históricas que elas enfrentam, trazendo à tona a representação bíblica de Madalena.

Segundo Anna, a faixa instiga a reflexão sobre as cobranças por moralidade direcionadas exclusivamente a meninas e mulheres, além de tocar em temas como a sexualização dos corpos femininos iniciada na infância e a emancipação financeira como alicerce do processo de empoderamento das mulheres negras.

Morando em Belém há três anos, Anna Suav descobriu na música a sua vocação depois de alguns “desvios” no caminho. “Meu contato com as artes começou bem nova, fui bailarina por muitos anos até chegar na fotografia, na produção cultural e, consequentemente, no Hip Hop”, conta.

Ela diz que exerga sua recém-iniciada trajetória no rap como um encontro ancestral, por se tratar de uma expressão cultural negra. “Tenho muito orgulho de ter iniciado esse sonho e poder ser uma referência para meninas e outras mulheres. Pelo fato de o rap ser um gênero majoritariamente masculino, ser uma mulher que representa esse elemento é um símbolo de muita resistência”.

Anna destaca ainda que o single “Madalena” é fruto de uma conexão que atravessa e vai além da região Norte: o clipe foi produzido pela Caribé Filmes, de Belém, com direção de Fabio Ramos; já a faixa teve produção musical assinada pelo beatmaker Nightmare BeatsMixagem (RS), foi gravada nos estúdios Odium (AP) e masterizada pelo Nois Pur Nois Rec (AP).

Engajadas

Transitando pelo rap e pelo R&B, Anna Suav traz nas composições sua vivência como mulher afroameríndia, feminista negra e o reconhecimento sobre a importância de se desenvolver arte a partir de eixos que estão à margem da sociedade. Sua música se apresenta como um escoamento criativo e símbolo de resistência.

Saindo de Manaus, chegou a Belém em 2016 para criar um projeto de protagonismo feminino que deu origem ao Slam Dandaras do Norte, batalha de poesias para mulheres que organizou até o final de 2018. Em 2017, iniciou seu percurso musical cantando ao lado da MC Bruna BG em um grupo também formado por Jimmy Góes na guitarra e pelo DJ OnçaBeat.

Cria das periferias de Macapá, Deeh começou sua trajetória desde cedo no movimento Hip Hop. É B-girl e dançou por anos no grupo F.A Flavor, o único grupo de breakdance do Amapá. Através do Hip Hop, e como feminista negra, milita na cena cultural local, onde também atua como trancista e artesã. Atualmente, faz parte do grupo Maniva Venosa, conjunto de Rap, Reggae e Raggamuffin.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.