Publicidade
Entretenimento
MÚSICA

Com show, Abner Viana Quinteto faz homenagem ao pianista Thelonious Monk

Em show no dia 9 de março, no Capotira Artes e Sabores, o grupo vai relembrar o início da trajetória artística de Monk, bem como os maiores sucessos 21/02/2018 às 14:29 - Atualizado em 22/02/2018 às 16:41
Show 8
Foto: Ariadne Monteiro/Divulgação
Laynna Feitoza Manaus (AM)

O norte-americano Thelonious Monk foi um pianista atípico em suas formas de composição, que não eram nada tradicionais. A maneira de improvisar com poucas notas o tornaram um marco no jazz dos anos 60. Ao estudar a maneira que o músico improvisava em sua carreira, o Abner Viana Quinteto resolveu homenagear o pianista com um show no dia 9 de março, no Capotira Artes e Sabores. No show, o grupo vai relembrar o início da trajetória artística de Monk, bem como os seus maiores sucessos.

Segundo o músico Abner Viana, o quinteto vai contar, na apresentação, um pouco da história de vida de Thelonious. “Vamos falar do nascimento, da formação, essa primeira fase dele de vida. Vamos citar os grupos nos quais ele tocou e vamos salientar os grandes nomes do jazz que tocaram com ele, como o John Coltrane, e toda essa galera que revolucionou o jazz na década de 40. Vai ser um concerto para formação de público didático. Ao mesmo tempo que vai ser um show de performance, mostrando as diversas linguagens dentro da música do Thelonious”, conta Viana.

Dos desafios de estudar a sonoridade de Monk, Viana pontua que o pianista era conhecido no jazz como o “improvisador anárquico”. “Não era aquele que ia tocando muitas frases com muitas notas de cara. Às vezes ele passa até cinco ‘chorus’ tocando duas, três notas de forma permutada”, conta ele.

Iniciativa

A ideia de fazer o show partiu de Abner com o DJ Vinicius Feder. “A gente arrumou o circuito de música instrumental manauara justamente para ter um point de jazz na cidade. Trabalhamos isso desde 2016. A ideia é que em toda segunda sexta-feira de cada mês a gente homenageie um ícone do jazz”, pondera o saxofonista.

Por conta disso, foi criada uma programação de shows com cinco meses de agenda no Capotira Artes. “Nesse mês vamos homenagear Thelonious; em abril e maio vamos homenagear o músico Duke Ellington; em junho será o tributo aos 60 anos da bossanova; e em julho será a apresentação de um projeto chamado ‘Raízes do Brasil’, que vai homenagear o samba jazz, o samba funk, a bossa nova e a valsa. Vai ser um mesclado de cada estilo dentro da música brasileira”, coloca ele.

Versões

Para o tributo do dia 9, o quinteto fez releituras das músicas de Monk. “Todos os arranjos são recriações minhas. Escrevi todos os arranjos, alguns juntamente com o quinteto. Os arranjos foram feitos para saxofone e clarineta, para o trompete, piano, guitarra, bateria e vibrafone, um instrumento de teclas diferente, mas é um instrumento de percussão que foi arranjado diretamente para essa formação”, destaca.

Ainda segundo Viana, a releitura das músicas tem uma outra cara, levando em conta o estilo de Thelonious, e a posição social dele dentro dos Estados Unidos, como uma pessoa dos anos 60 que lutava pelos direitos iguais. “É um arranjo que tem muita influência do jazz experimental, mas que é fincado nas raízes e ‘swingues’ do jazz. É um nicho que une a modernidade dos anos 60 com a contemporaneidade dos tempos de agora”, complementa Abner.

A música de Thelonious Monk vai contra a maré do jazz dos anos 60, porque, segundo Abner, ninguém da época improvisava daquela forma. “E isso chamou a atenção da gente para estudar a linguagem específica desse cara. Ele sozinho é uma linguagem própria do jazz”, completa Viana.

Perfil

Thelonious Monk (1917 - 1982) foi um pianista único, considerado um dos mais importantes músicos do jazz. Monk tinha um estilo único de improvisar e tocar. Era famoso por seus improvisos de poucas e boas notas. Preciso, fazia com duas ou três notas o que outros pianistas faziam com nove ou dez. Compôs vários temas que hoje são considerados "standards", tais como "Epistrophy", "Round Midnight", "Well, You Needn't", entre outros.

Cronograma de shows

9 de Maio: Tributo a Thelonious Monk: A Origem do Gênio
13 de Abril: Tributo a Duke Ellington 1 (Participação de Leka Denz)
11 de Maio: Tributo a Duke Ellington 2 (Participação de Leka Denz)
8 de Junho: Celebrando os 60 anos da Bossa Nova
13 de Julho: Raízes do Brasil (Participação de Jander Manauara)

Serviço

O quê: Tributo a Thelonious Monk 2, com Abner Viana Quinteto
Quando: 9 de março, às 20h30
Onde: Capotira Artes e Sabores da Amazônia, rua Costa Azevedo, 272, Centro - atrás da Galeria Amazônica
Quanto: R$ 10 por pessoa; R$ 25 mesa de dois lugares; R$ 60 mesa grande
Informações: (92) 98265-3270

Publicidade
Publicidade