Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Vida

Comediante do 'Pânico na Band', Eduardo Sterblitch, fala do retorno a Manaus

Apresentando a comédia “O melhor, melhor show do mundo”, Sterblitch mostra o seu talento no dia 14 deste mês, no Teatro Direcional



1.jpg Eduardo Sterblitch com os atores e o diretor (de casaco) de seu espetáculo "O melhor, melhor show do mundo"
30/11/2013 às 18:52

Foi com sua personagem Freddie Mercury Prateado, com sua “vozinha” fina, do humorístico “Pânico na Band”, que Eduardo Sterblitch conseguiu sua projeção nacional. Atualmente, ele é um dos humoristas mais badalados do País. No dia 14 de dezembro, com sessão às 18h e às 22h30, o público manauara irá conferir de perto o talento desse artista carioca, na comédia “O melhor, melhor show do mundo”. Sterblitch falou com exclusividade com a reportagem do Jornal A Crítica sobre sua expectativa para se apresentar novamente em Manaus.

Em 2009, ele veio à cidade com a trupe Deznecessários. Por isso, sua expectativa, como informou, é apenas reencontrar com o mesmo público caloroso de quatro anos atrás. Do título nada modesto do espetáculo, ele explicou que, na verdade, a obra conta com uma personagem (feita por ele) que quer provar que pode apresentar o melhor, melhor show do mundo.

“Eu seria cauteloso em encarar isso como uma afirmação. Se você parar para prestar atenção, existe a construção de uma personagem envolvida no processo, então está mais para uma piração da minha cabeça do que uma afirmação propriamente dita. Talvez um exercício de ironia em relação aos rumos que a sociedade toma com esta ginástica de ego em redes sociais. Todo mundo tem o melhor, melhor perfil virtual do mundo. Quero entender a personagem como fruto de uma observação desta tendência”, disse Sterblitch, que divide o palco com o ator Rodrigo de Arruda e o músico Marcinho Eiras. A direção é de Rafael Queiroga.

Comédia

A formação de Sterblitch é como ator, mas ele confessa que o humor é realmente seu carro-chefe. “Tenho para mim que eu nasci com esta vontade de teatro. Desde criança, eu me envolvia em espetáculos e a formação profissional foi um processo natural, conforme fui crescendo. O humor, hoje, é meu carro-chefe, mas nada impede que eu transite entre os gêneros e experimente um pouco de drama também. Veremos o que o futuro nos reserva!”.

Popular

Durante diversos anos, o “Pânico” apresentou vários talentos do humor. Ao ser questionado sobre qual é a fórmula do sucesso do programa e o fato de ser um “celeiro” de talentos, ele relatou que o sucesso do humorístico é fruto do trabalho de Emílio Surita, Bola e de todos aqueles que começaram com o programa ainda na “Jovem Pan”, nos anos 90.

“Eu apenas sou mais um contribuindo para esta fórmula dar certo. É importante para mim não só pela projeção, mas principalmente pela oportunidade de explorar todo o meu potencial. A liberdade criativa que tenho lá é incrível”, disse o ator, que faz diversas personagens no programa. No entanto, será que ele já foi obrigado a fazer alguma personagem que achava que não iria ser tão bem recebida pelos telespectadores?

“Acho que toda personagem que crio tem este momento de incerteza. Todas passam por um processo muito parecido que começa com um insight. E depois a ideia vai cozinhando na minha cabeça, vou criando um tipo. Eu me surpreendo quando, de repente, surge uma resposta de público tão grande”, respondeu, revelando seu processo de criação.

Experimento

Atualmente, Sterblitch está experimentando sua personagem “Poderoso Castiga” (do “Pânico”) no teatro, em São Paulo, no espaço de espetáculo Pikadero, do qual ele cuida da programação artística. “Se a experiência der certo, será uma das apostas para uma possível turnê no ano que vem. Mas existem outros projetos, para todas as mídias. Só que ainda é cedo para divulgar”, encerrou.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.