Publicidade
Entretenimento
Contemporâneo

Companhia apresenta espetáculo de dança “Yi Ocre” em quatro zonas de Manaus

Primeira apresentação será nesta segunda-feira às 19h no Centro Municipal de Arte-Educação Aníbal Beça (Cmae), no bairro São José III, zona Leste. A entrada é gratuita 05/12/2016 às 15:55
Show 05 125 16 espet culo de dan a yi ocre.foto.assessoria.manauscult  1
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

O espetáculo de dança “Yi Ocre”, da Companhia Corpo e Arte Contemporânea, será encenado nesta segunda-feira (05) às 19h, no Centro Municipal de Arte-Educação Aníbal Beça (Cmae), no bairro São José III, zona Leste; na quarta-feira, 7, às 19h, no Centro Cultural Padre Ruggero Ruvoletto, na Avenida Sete de Maio, s/n, Santa Etelvina, zona Norte de Manaus.

Na sexta-feira, 9, na Zona Sul, no Espaço Uatê, na Avenida General Rodrigo Ótavio, s/n, na Lagoa Verde, próximo a Bola da Suframa. A entrada é gratuita, e menores de 18 anos precisam estar acompanhamos dos responsáveis.

A exibição já passou por 10 cidades do país, totalizando 26 espetáculos. A temporada teve início no último dia 1º no Museu da Amazônia, Largo de São Sebastião, Centro, segundo os artistas Oday Oliveira e Alan Panteón. Contemplado por meio do Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2015 da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), “Yi Ocre” traz uma performance de Dança Contemporânea, abordando questões existências que estão presentes na sociedade como “Viemos do chão?”, “Voltaremos ao chão?” e “somos química ou matemática?”.

A cenografia do espetáculo, segundo Odacy Oliveira, um dos coordenadores, tem o propósito de impactar o público, através da sonoridade e suavidade e objetos utilizados. O destaque é a utilização de argila nos corpos dos bailarinos, dando um toque diferente para a montagem.

Além do Edital da Manauscult, o espetáculo foi contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna em 2014, Festival Amazonas de Dança, e Sesc Amazônia das Artes de 2015. De acordo com Oliveira, o espetáculo já por vários estados, mas  apresentá-lo em quatro zonas de Manaus é uma realização.

“Não tínhamos noção da proporção de onde esse espetáculo iria nos levar. Mas fomos contemplados com prêmios considerados importantes no segmento das artes, e agora temos a oportunidade de trazê-lo de volta ao seu lugar de origem, a nossa capital”, afirmou Odacy Oliveira.

*Com informações da assessoria de comunicação

Publicidade
Publicidade