Publicidade
Entretenimento
Vida

Compositor amazonense na disputa pelo samba-enredo da escola de samba Vila Isabel

Composição homenageará o centenário do ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes. Ao todo, nove sambas concorrem ao posto oficial 14/09/2015 às 17:20
Show 1
Chico da Silva em descontração com a comunidade Vila Isabel, no Rio de Janeiro
Laynna Feitoza Manaus, AM

OUÇA O SAMBA

O célebre compositor amazonense Chico da Silva esteve no Rio de Janeiro neste último fim de semana, onde apresentou a composição que está concorrendo a uma vaga para ser o samba-enredo oficial da escola de samba carioca Unidos de Vila Isabel. O samba, composto por ele em parceria com Jorginho Pereira, Heraldo Devagar e Luiz Roque, integra o enredo da agremiação para 2016, chamado “Memórias do Pai Arráia: um sonho pernambucano, um legado brasileiro”, que homenageará o ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes. Se estivesse vivo, o político cearense completaria 100 anos.

De acordo com Chico, o samba concorrerá com mais oito sambas na disputa pelo lugar oficial na escola. “O tema traz memórias que falam do centenário do ‘Pai Arráia’, como era conhecido, bem como dos serviços e sonhos prestados e alimentados pelo ex-governador. Falamos sobre seca, das árvores, da pequena reforma. Ele, por exemplo, fez um acordo com os donos de terras certa vez. Tudo isso vai para a avenida”, destaca Silva.

Já o samba-enredo será projetado como se o próprio ex-governador estivesse contando sua história, por meio do samba, declara Chico. “Miguel, por ser o tema principal, fluirá do samba como se estivesse retomando sua própria história, contando como superou todos os problemas que teve na época em que foi político. Ele melhorou muito a vida por lá. É também uma voz de agradecimento a ele, que vem principalmente do povo do Nordeste”, afirma.

Segundo Chico, o convite para ser um dos compositores da obra partiu de Jorginho Pereira. “Ele me ligou e disse que o enredo tinha muito a ver comigo. E então me convidou”, assegura. Por ter um samba-enredo elementos como a poética, a rítmica, a melódica e a carnavalesca, Silva se sentiu mais tranquilo para percorrer a composição. “Cada um é especialista em alguma coisa. Fiquei com a parte da harmonia, letra e música. A parte do Pereira foi a divisão e a bateria, e a do Luiz Roque é devido ao fato dele entender a cabeça da escola”, comenta.

Os preparativos do samba-enredo duraram um mês, e na semana passada foram abertas as inscrições dos sambas concorrentes. “Houve uma seleção, onde foram selecionados nove, e teve a nossa apresentação, ocorrida no último sábado (12). A apresentação teve pré-show da Alcione. Depois passamos o samba para a bateria se habituar ao som. Postei o samba nas redes sociais para avaliar os comentários do público”, descreve o compositor, lembrando que os sambas são compostos com base na sinopse que os compositores recebem da escola. “Também reunimos com os carnavalescos e os autores, que nos dão todas as coordenadas”, completa.

Silva explica que, a partir do dia 19 de setembro, começarão os primeiros “cortes” (eliminatórias) dos sambas. “Todos os sambas serão apresentados aos jurados e no final das apresentações serão anunciados os sambas ‘cortados’”, diz ele, lembrando que o resultado final será divulgado no dia 3 de outubro. Enquanto isso, a repercussão da comunidade da Vila Isabel ao samba composto por Chico e parceiros foi das melhores, segundo ele mesmo coloca. “A manifestação maior para os competidores de que o samba está indo bem é quando a bateria se sente à vontade com a composição. Tivemos bastante afinidade e o encaixe da nossa música foi o melhor dos nove, na minha opinião”, encerra.

Trecho 

"FOI ASSIM QUE O MEU SENTIMENTO ATENDEU O CLAMOR/DE UM POVO ENFIM MUITO SOFRIDO CARENTE/DE AMORAS LÁGRIMAS DESCIAM NO ROSTO E NÃO VINHAM DO CÉU/PARA MOLHAR ESSE CHÃO SERTANEJO DE UM POVO FIEL (TÃO FIEL)/AÍ LUTANDO, CONTRA A FOME E A MISÉRIA CUMPRI MEU PAPEL"

Publicidade
Publicidade