Publicidade
Entretenimento
Vida

Confira a programação do Festival Mova-se 2013

Este ano, o evento contará com cinco espetáculos locais e nove nacionais. Vale ressaltar que as apresentações serão realizadas tanto no Teatro Amazonas como no da Instalação, sempre com entrada gratuita 25/06/2013 às 14:57
Show 1
Em “Chapa Quente”, o público poderá conferir uma coreografia energética e acrobática.
acritica.com Manaus, AM

Nesta quarta-feira, dia 26, a partir das 20h, o Teatro Amazonas abre suas portas para a abertura da quarta edição do Festival Mova-se de Dança: Solos, Duos e Trios, que será realizado até domingo, dia 30. Este ano, o evento contará com cinco espetáculos locais e nove nacionais. Vale ressaltar que as apresentações serão realizadas tanto no Teatro Amazonas como no da Instalação, sempre com entrada gratuita.
 
Responsável por abrir o Mova-se 2013, a Companhia Urbana de Dança (CDU) do Rio de Janeiro, apresentará duas performances: “9+1” e “Chapa Quente”, com direção e criação da renomada Sônia Destri. A primeira coreografia investiga as possibilidades do movimento surgido nas ruas das metrópoles, desdobramento da pesquisa de linguagem marcada por trabalhos como Ziriguidum, Batalha Urbana e Suíte Funk, que rodaram a Europa.

Aliás, foi na França, em 2010, que “9 + 1” apresentou seus primeiros passos, então sob o título de “ID Entidades”, incendiando a plateia do Hangar 23, em Rouen, e do Festival Hoptimum este ano. “ID Entidades” foi considerado entre um dos 10 melhores trabalhos apresentados na cena da dança contemporânea pelo “Nova York Times” e indicado ao Prêmio Bessies.

Já em “Chapa Quente”, o público poderá conferir uma coreografia energética e acrobática. A peça é pura adrenalina, um exercício de velocidade que mistura house dance contemporâneo e street dance, e explora a vitalidade dos oito dançarinos da companhia, todos homens. Teve excelente repercussão no Festival Suresnes Cités Danse, na França, e no Peak Performances, em Nova Jersey, em 2011, onde dividiu o palco com Bill T.Jones e Wayne McGregor. A trilha é assinada por Rodrigo Marçal.

A CUD participou por duas vezes da Bienal da Dança de Lyon, do Festival de Suresnes, do Festival Hoptimum e desde 2006, voltam anualmente para apresentações na Itália. Em 2010 os Estados Unidos recebeu a companhia de braços abertos. Em menos de seis meses, a eles receberam criticas positivas do “The New York”, da “Dance Magazine”, “The New Yorker Observer”, “Financial Times” e “The Star-Ledger”, entre outros. Foi considerada TOP 10, pela “Time Out” e “The New York Times”, em 2011. No mesmo ano, a trilha de seu trabalho “ID Entidades” foi indicada ao Prêmio Bessies em NY.

Sustentabilidade

Uma das novidades deste ano será o olhar diferenciado para a sustentabilidade. Para tal, a organização do evento trouxe para Manaus a companhia de Clarice Lima responsável pela intervenção artística “Árvores”, que será apresentada na sexta-feira, a partir das 18, no Amazonas Shopping.

O espetáculo é realizado em espaços abertos e de grande fluxo de pessoas. Sem o uso de qualquer ajuda sonora, a intervenção consiste em colocar bailarinos de cabeça para baixo e deixá-los nessa mesma posição. Quando eles não aguentam mais, os corpos caem no chão, um por um, onde continuam até o final da performance.

A concepção de “Árvores” teve início durante o projeto “Saia”, junto com a fotógrafa Patrícia Araújo, em 2010. A intervenção já passou por São Luis, Juazeiro do Norte, Teresina e Belo Horizonte. Por cada lugar que passou, a performance teve adaptações e gerou diversos questionamentos por parte da população.

‘Sessão Tarja Preta’

Uma das ações dentro do Mova-se que sempre chama a atenção e já é tradicional é a Sessão Tarja Preta, dedicado ao público adulto e sempre realizada a partir das 23h. Este ano, o espetáculo que será apresentado é o “Piranha”, do paulista Wagner Schwartz. O espetáculo inicia apresentando o filme “Piranha: Dramaturgia da Migração” e, em seguida, a performance.

O filme não tem imagens, mas tem som, variação de luz e legendas projetadas. Fala do percurso histórico de um peixe. As legendas reproduzem um diálogo entre o narrador e a piranha. A performance parte do pressuposto de que o peixe piranha é a metáfora de um corpo em reclusão. Ele se agita nevralgicamente, entre uma dinâmica voluntária e involuntária, sitiado por uma composição de ruídos digitais. Essa pesquisa coreográfica foi desenvolvida com subsídio do Programa Rumos Itaú Cultural Dança 2009/10.

Mova-se 2013

O Mova-se é uma realização da Companhia de Ideias e conta com o patrocínio da Fundação Nacional de Artes (Funarte), por meio do prêmio Klauss Vianna; BNDES, Caixa Econômica Federal, Secretaria de Estado de Cultura (Sec) e apoio do Casarão de Ideias e Fundação Municipal de Cultura e Artes (ManausCult). Para mais informações sobre programação completa, basta acessar o site www.festivalmovase.blogspot.com.

Programação do Mova-se 2013

Quinta-feira, dia 27, a partir das 19h, no Teatro da Instalação – “Enquanto Eu Esperava...’, da Companhia Entrecorpus Companhia de Dança (AM); “Diálogos Sobre a Dor”, da Corpo de Arte Contemporânea (AM) e; “Alívio”, de Aretha Maciel (MG).

Sexta-feira, dia 28, a partir das 19h, no Teatro da Instalação – “Não Lugar”, de Aretha Maciel (MG), “Tempestade de Diálogos”, da Cia. Artistas Independentes (AM) e; “Opus 2 – Notas Sobre Minha Mãe Isso e Aquilo”, de Paula Pi (SP).

Sábado, dia 29, a partir das 19h, no Teatro da Instalação – “Bella”, da Cia. Intérpretes Independentes (AM); “Chão”, da Pesquisa Cênica Corporal Uma (AM); “Encontro Oposto”, de Ivaldo Mendonça (PE) e; “Piranha”, de Wagner Schwartz (SP).

Domingo, dia 30, a partir das 19h, no Teatro Amazonas – “Lúdico”, da Cia. Druw (SP).

* Com informações da assessoria

Publicidade
Publicidade