Publicidade
Entretenimento
Vida

Conheça a história do criador do evento 'Rota dos Chefs'

Profissional autodidata, o chef Paulo Fortunato conta sua história e a da maior feira gastronômica de Manaus 17/08/2015 às 09:46
Show 1
Antes de ser chefe de cozinha e proprietário do restaurante Fish Maria e de dar asas ao projeto de gastronomia, Paulo Fortunato vendia sanduíches naturais
Laynna Feitoza Manaus (AM)

Aos 16 anos, Paulo Fortunato veio de Belém, sua cidade natal, para Manaus estudar no Colégio Militar. “Meu pai era militar, então eu queria dar essa alegria para ele e pensava em seguir por essa carreira”, destaca o hoje chefe de cozinha. Depois de um tempo, para se manter em Manaus, ele, muito por acaso, começou a vender sanduíches naturais numa cesta de vime, o que lhe rendeu o apelido de “Chapeuzinho Vermelho” nas ruas. “Xingava os caras até a terceira geração, mas só em pensamento, porque eram clientes em potencial”, complementa.

“Na primeira vez que fui vender os lanches, voltei para casa com os 25 sanduíches intactos. Eu falei para mim mesmo que aquilo não podia acontecer, até porque eu não tinha dinheiro para fazer sanduíche e não vender”, contou durante entrevista ao BEM VIVER GENTE na última sexta-feira, no exato dia em que completava 43 anos. De fato, o rapaz que tomou o Amazonas como sua morada tem muito o que comemorar. Ele celebra, além de uma nova idade, o sucesso adquirido com o projeto Rota dos Chefs, cuja quarta edição será realizada nos dias 29 e 30 de agosto, no Sambódromo, a partir das 17h.

Antes de ser chefe de cozinha e proprietário do restaurante Fish Maria e de dar asas ao projeto de gastronomia, ele conta que, devido ao sucesso dos sanduíches – dos quais passou a fazer de 20 a 800 por dia – abriu uma lanchonete chamada Dom Natural. Por ser do Pará, ele passou a trazer o açaí de Belém e foi um dos primeiros a vender o produto na tigela. “Naquela época estavam descobrindo o açaí, porque era muito vendido na novela ‘Malhação’, então era aquela coisa”, comenta. A venda explosiva de açaís mudou o nome do local para Açaí e Cia.

Ele lembra que, antes disso, não criava pratos na cozinha. “Os pratos que eu fazia eram releituras simples de coisas que a gente conhece”, recorda. Tempos depois, ele se separou da esposa e deixou a lanchonete com ela para fundar o restaurante Turiyá, no Vieiralves, que não fez sucesso. “O movimento era tão baixo que eu atendia os clientes, ia para a cozinha fazer o prato e recolhia o pagamento no caixa. Como eu não tinha dinheiro para contratar cozinheiro, foi aí que eu tive que aprender a cozinhar, porque só aprendi o básico. Então fui pesquisando temperos, ervas e montei meu primeiro prato, que é chamado de Filé Caboclinho”, revela.

A partir de um anúncio de uma página inteira – que custou R$ 1 mil – em um guia da cidade, arranjado por meio de uma permuta da metade do valor, o restaurante começou a encher. Algum tempo depois, ele saiu do Turiyá e foi montar uma tacacaria. Em dezembro de 2010, ao andar de moto, Paulo sofreu um acidente em frente ao aeroporto, o que lhe rendeu uma lesão neurológica e a paralisação do braço esquerdo. “Quando saí do hospital, tropecei e caí, voltando para o hospital de novo. No fim de 2011, decidi que tinha que voltar a trabalhar em algo, e voltei a trabalhar com consultoria”. Tempos depois, uma amiga dele o convidou para abrir o Fish Maria e o restaurante começou a fluir.

Encontro

O Rota dos Chefs terá 30 restaurantes participantes, um dos quais será selecionado por meio do concurso aberto pelo programa “Magazine”, da TV A Crítica/Record. O resultado será divulgado na semana que vem. “O que é muito legal é que podemos trazer essa pessoa que tem um bom trabalho e que às vezes nem é tão conhecida. Poder dar essa oportunidade é muito interessante. Além disso, vamos ter um tema, e o desse ano será ‘Amazônia Internacional’. Pegamos os países que compõem a Amazônia além do Brasil, como Peru, Bolívia, Venezuela, Colômbia, Equador e Guiana Francesa. Cada país será representado por cinco chefs”.

Fortunato destaca que todos os chefs vão fazer pratos típicos dos países já citados, e mostrar ao público. “Acho muito legal, porque abordamos as culturas de outros países, mostrar um pouquinho em outros locais. Mostrar que a Amazônia não é um privilégio só do Brasil. E além disso é muito bacana tirar o chef da zona de conforto dele. Porque isso faz que ele pesquise, para encarar o desafio de fazer um prato a que ele não está habituado”, pontua. Ainda durante o evento, haverá atrações musicais: no sábado o cantor Elias Moreira se apresenta, enquanto no domingo será a banda Soda Billy.

Serviço

O que é: Rota dos Chefs – 4ª edição

Quando: Dias 29 e 30 de agosto, a partir das 17h

Onde: Centro de Convenções de Manaus (Sambódromo), avenida Pedro Teixeira, 2.565, Flores

Quanto: Gratuito

Participantes de 2015

Fish Maria

Mercearia do Chocolate

Cachaçaria do Dedé

Chef  Zamir Mustafá

Chez Martina Bistrô

Biergarten

Soho Lounge

Sabor a Mi

Banzeiro

Zefinha Bistrô

Fast Temaki

BoraLá

Cozinha do Português

Eddy’s Home Cooking

Chef Guilherme Valente

Brigadore

Splash Pizza

Miss Doçura

Chef Tony

Salade Délice

Buteco de Minas

Ferrugem Rock Gourmet

Shin Suzuran

Alquimia

Crêpe Bistrô

Romana Pizzaria

WTF Burger Chef

Amazonas Steakhouse

Gusta + Paleteria

Le Chu Churreria

Buona Massa

Publicidade
Publicidade