Publicidade
Entretenimento
Gastronomia da 'terrinha'

Conheça alguns dos pratos saborosos da ‘terrinha’ para celebrar o Dia de Portugal

Na data que celebra o país de Camões, conheça alguns dos principais endereços da cozinha lusitana em Manaus 10/06/2016 às 16:20 - Atualizado em 10/06/2016 às 16:42
Show portugal
A reportagem traz um roteiro com alguns dos principais restaurantes dedicados à culinária lusitana em Manaus / Fotos: Evandro Seixas
Jony Clay Borges Manaus (AM)

Portugal ocupa um pequeno pedaço do território da Península Ibérica, quase cem vezes menor que o Brasil em tamanho. Mas o que o país que já foi metrópole do Brasil não tem de extensão, compensa à larga na tradição gastronômica. A culinária da “terrinha”, com influências atlânticas e mediterrâneas, abrange uma variedade de pratos com peixes – principalmente bacalhau –, frutos do mar e verduras, bases para vários assados, sopas e petiscos, além de deliciosos doces e sobremesas.

Aproveitando a deixa que hoje se comemora o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, a reportagem traz um roteiro com alguns dos principais restaurantes dedicados à culinária lusitana em Manaus.

Casa do bacalhau

Referência no ramo em Manaus, a Casa do Bacalhau oferece um cardápio com algumas das mais tradicionais receitas do pescado nobre há 25 anos. O local tem à frente o chef e proprietário José Guerra Filho: comerciante filho de portugueses imigrantes há mais de um século no Brasil, ele comprou o restaurante após dois anos de aberto, e mais tarde decidiu cursar Gastronomia e se especializar na culinária lusitana para assumir a cozinha da casa.

Do cardápio, o prato mais pedido é o Bacalhau à Lagareira (R$ 259, 3 pessoas), posta grelhada com cebolas, batatas coradas, brócolis, grão de bico, azeite e chips de alho. Outras receitas consagradas da carta são os pescados à Gomes de Sá, à Zé do Pipo, Saloio e com Natas, todas à base do legítimo bacalhau Gadus morhua. Há ainda itens originais, como o Bacalhau Luso-Brasileiro, que une os paladares lusitano e amazônico.

Outra criação de Guerra Filho é o Bacalhau Escalião (R$ 75, indiv.), que celebra a vila de origem de parte da família Guerra, com batata, brócolis, cebola e cenoura, regado no azeite. E o Enamorado (R$ 85, indiv.), com camarão. Para acompanhar os pratos, a casa oferece carta de vinhos com rótulos em sua maioria de procedência portuguesa, dentre verdes, tintos e brancos, mais chilenos, argentinos e outros.

Portucale

A incursão dos Guerra na gastronomia ganhou novo capítulo com a inauguração do Portucale. Aberto há três anos por iniciativa de Ana Cláudia, filha de Guerra Filho, o restaurante também oferece as receitas tradicionais à base de bacalhau, porém com preparo diferenciado, ao forno, e ainda pratos à base de cordeiro e de frutos do mar – como polvo e gamba (camarão) –, também ingredientes típicos da cozinha lusa.

O Polvo à Lagareiro (R$ 115, indiv.) é o carro-chefe dessa lista, com tentáculos inteiros cozidos com batata, cebola, alho confitado e ervas. Arroz com Polvo, Camarão do Convento e Camarão Gratinado são outros itens de frutos do mar. O Cordeiro à Moda da Aldeia é uma opção à base da carne nobre. Entre os pratos de bacalhau, há o João do Porto (R$ 183, 2 pessoas), receita de Guerra Filho em tributo ao filho João e à outra cidade de origem da família. E de sobremesa? Pastéis de nata e Santa Clara, pata de veado e queijada de coco são itens à escolha.

Tal como a Casa do Bacalhau, o Portucale tem Guerra Filho à frente da cozinha. E, em ambos, o cardápio vez ou outra recebe um toque de José Guerra Neto, que levou à frente o gosto do pai pela culinária e há três anos atua na cozinha do D.O.M. (SP), do prestigiado Alex Atala.

Cozinha do português

Outro reforço recente no ramo da culinária lusa na cidade veio com a inauguração da Cozinha do Português. O tal Português é João Almeida, lusitano que decidiu seguir no Brasil a tradição culinária da família da região do Porto. Desde 2011, quando chegou a Manaus, ele cursou Gastronomia no Ciesa e foi cozinheiro e chef na Cachaçaria do Dedé, até abrir o próprio negócio, em 2014.

Com receitas fiéis à tradição lusitana, o cardápio da Cozinha tem em sua maioria pratos à base de bacalhau, como a versão à Portuguesa (R$ 150, 2 a 3 pessoas), cozida com batata, ovo, pimentão e brócolis. Ou o Bacalhau com Natas (R$ 59, 2 pessoas), gratinado com batatas fritas e creme de leite. A carta tem ainda iguarias como a Francesinha, típica lusa apesar do nome, além de entradas como pataniscas de bacalhau e caldo verde.

Um diferencial da casa é o cardápio executivo: disponível de terça a sexta-feira, oferece Bacalhau com Natas e à Gomes de Sá, Prego no Prato e Feijoada de Frutos do Mar (este só às sextas) por R$ 20, cada. Em vez de uma carta exclusiva, os vinhos da casa, a maioria portugueses, podem ser escolhidos num expositor. Entre as sobremesas, além de doces como toucinho do céu, pastel de nata e pata de veado (R$ 8, cada, ou R$ 20 o trio), destaca-se o Petit Gateau Português, de rabanada ao vinho do Porto e sorvete de abacaxi (R$ 20).

Cafeteria do Largo

O nome na entrada não sugere, mas é só ver as delícias à venda para atestar a filiação lusitana da Cafeteria do Largo: são pastéis de nata, toucinhos do céu, patas de veado, bolinhos de bacalhau e vários outros quitutes típicos da terrinha. O crédito é devido a Jorge Neves: português há sete anos em Manaus, ele assumiu há três anos e meio a direção do café mantido pela Secretaria de Estado de Cultura e lá comercializa os produtos de sua empresa Sabores de Tradição.

Os confeitos da Sabores da Tradição – que já chegaram a ser vendidos na Feira da Eduardo Ribeiro e hoje são produzidos no Distrito Industrial – buscam seguir as receitas originais e a qualidade portuguesas (a fábrica tem até um forno vindo de Portugal). Além da Cafeteria, outros restaurantes, lanches e até supermercados recebem os produtos da empresa.

Entre eles há ainda pastéis de Santa Clara, com amêndoas; tortas de azeitão, mais parecidas com rocamboles; bolo-rei, com frutas cristalizadas; e guardanapos, que realmente se parecem com toalhinhas de mesa. Entre os salgados, há folhados, quiches e empadas nas opções bacalhau e frango, mais pastéis de camarão e bolivianos tamanho grande. Na cafeteria, os doces saem por R$ 4 cada, e os salgados custam de R$ 4 a R$ 8. E, para acompanhar os confeitos, claro, o café é a pedida. “Temos um ótimo café expresso, muita gente elogia”, sugere Neves.

Portanto, ficam aqui esta e as outras dicas. Aproveite para celebrar a terrinha e conhecer as delícias da culinária portuguesa!

Receitas tradicionais e petiscos vencedores

Uma das mais antigas “casas portuguesas” da cidade, o Calçada Alta abriu há 27 anos como lanchonete, mas desde lá já vendia acepipes como bolinhos de bacalhau e pastéis de nata e de Santa Clara. Os pedidos de amigos e clientes levaram os saudosos Antonio Silva, português, e sua esposa Clementina, a D. Quelé, a abrir o restaurante, com a proposta de oferecer pratos portugueses em receitas tradicionais.

O carro-chefe da casa hoje é o Bacalhau de Forno (R$ 98, 2 pessoas, em preço promocional na semana dos namorados; preço regular R$ 130), posta de peixe com batata sautée, brócolis, cebola e azeite. Outros destaques da carta são as Tripas à Moda do Porto (R$ 65, 2 pessoas), com feijão branco, servidas sempre no último sábado de cada mês, e o Carneiro Guisado, este sempre aos sábados.

O local oferece ainda petiscos como a Patanisca de Bacalhau (R$ 25, 6 unids.), de receita tradicional e premiada no concurso Comida di Buteco 2012. Os bolinhos de bacalhau também seguem a tradição, mas hoje vêm acompanhados de uma regional geleia apimentada de cupuaçu.

A casa é familiar, tendo à frente o filho de Antonio, Marco Antonio Silva, conhecido como Marco Calçada Alta, ajudado pela filha Nathália e pela cunhada, a chef e sócia da casa, Tânia Silva. O local teve reforma recente e hoje tem salão climatizado e happy hour de MPB às sextas, das 16h às 23h.

Serviço

Cafeteria do Largo | Sabores de Tradição

Largo de São Sebastião, Centro

Aberto de ter. a dom., das 16h às 22h

(92) 3237-5295

Calçada Alta Restaurante

Rua Costa Azevedo, 102, Centro

Aberto de seg. a sáb., das 9h30 às 22h30

(92) 3234-4081

Casa do Bacalhau

Avenida Jornalista Umberto Calderaro Filho, 1.587, Adrianópolis

Aberto de ter. a sáb., para almoço e jantar; e dom., para almoço, até as 16h

(92) 3642-1222 e 3642-1723 (delivery) e 99185-2629 (whatsapp)

Cozinha do Português

Rua Comandante Natanael Albuquerque, 267, Cj. Santos Dumont, Bairro da Paz

Aberto de ter. a sáb., das 11h30 às 15h e das 18h30 às 23h30; e dom., das 11h30 às 16h30

(92) 3302-7000

Portucale

Rua Rio Madeira, 746, Cj. Vieiralves, N.S. das Graças

Aberto de ter. a sáb., para almoço e jantar; e dom., para almoço, até as 16h

(92) 3584-3986 (delivery) e 99183-3000 (whatsapp)

Publicidade
Publicidade