Publicidade
Entretenimento
Dia dos Namorados

Amor online? Conheça histórias de casais que se conheceram pela internet

Uma pesquisa da Global Web Index (GWI) revelou que 42% das pessoas que usam o Tinder já estão em um relacionamento destes usuários, 30% são casados 11/06/2016 às 16:18 - Atualizado em 12/06/2016 às 07:25
Show 1093235
Casados há três anos, o casal de médicos amazonense Camila Gomes e Juarez Rabello se conheceu em um site (foto: Divulgação)
Lídia Ferreira Manaus (AM)

A vida virtual mudou e muito o comportamento real, especialmente quando o assunto é paquera e namoro. Em qualquer lugar, a um clique, é possível conhecer e bater papo com inúmeras pessoas, da sua cidade ou até de outro país. E o Brasil lidera o ranking de usuários nessas plataformas digitais – só o Happn conta com 1,7 milhões de brasileiros. Mas afinal, será que eles querem compromisso sério ou apenas curtição? 

A resposta é um tanto relativa e depende também do perfil da rede social. Alguns  sites de relacionamento exigem um cadastro, com uma série de informações sobre o perfil do usuário, uma forma de aproximar pessoas com as mesmas afinidades por meio dessas informações. Uma das plataformas mais populares é o Badoo, a terceira rede social mais acessada do País, ficando atrás somente do Facebook e Youtube, segundo pesquisa da Experian Marketing Service.  

“Já tinha ouvido várias histórias de sucesso e fracasso em namoro pela internet. Sempre pensava: ‘encontrar um homem honesto na vida real já é difícil, imagine no mundo virtual’”, conta a a artista plástica Sueli Camilli. 

Já os aplicativos de celular exigem bem menos, sem necessidade de muitas informações, apenas uma foto e um nome ou apelido. Os mais populares são o Tinder, que não detalha seus dados, e a Happn.

Uma pesquisa da Global Web Index (GWI) revelou que 42% das pessoas que usam o Tinder já estão em um relacionamento destes usuários, 30% são casados. “Usar esses ‘apps’ é quase como jogar na loteria. Lógico que muita gente não está ali em busca de uma coisa mais séria, quer mesmo arranjar alguém para um encontro casual.

No caso dos gays, isso é quase regra” relata o amazonense Rodolfo Silva, 34. Mesmo desacreditado, ele encontrou um namorado sério no Tinder há um ano.  “Não que eu soubesse, depois de combinar de sair pela primeira vez, que aquele seria o cara certo. A sintonia foi imediata, o bom papo rolou solto e outros encontros foram marcados”, afirma.

Casados há três anos, o casal de médicos amazonense Camila Gomes e Juarez Rabello se conheceu em um site. “Eu era muito tímido e na internet conseguia me soltar mais para conversar”, conta ele. “Eu estava cansada de badalação e não tinha muito tempo para sair, então arrisquei e deu certo”, diz Camila.

O casal ressalta que é fundamental procurar sites ou aplicativos com referência. Também reforça que é bom conhecer aos poucos, observando o papo, vendo as afinidades e ser sincero com o que se fala também. “Começamos a conversar pelo telefone durante alguns dias e só depois fomos nos conhecer pessoalmente. É também uma questão de sorte, pode acontecer em qualquer lugar, até na internet”, afirma Camila.  

Para os maduros

O amor não tem idade para acontecer. A prova é o  site brasileiro “Coroa Metade”, um dos mais procurados para quem está acima dos 40. “ Você não está mais na faculdade, não tem grandes grupos de amigos, não é mais baladeiro. Quer uma pessoa legal, com certo nível cultural”, relata o jornalista Airton Gontow, criador do projeto criado em 2012.

Com alcance apenas no Brasil, o Coroa Metade tem quase 56 mil inscritos. Entre os usuários do site que são amazonenses, 64% são mulheres – aproximadamente 375. Quase o dobro da quantidade de homem do Amazonas que são 36%. A faixa etária da maioria de pessoas do Estado são entre 40 e 49 anos.  

Viúvo há quase dois anos, Diogomar de Oliveira, 48 anos, representante comercial, e pai de dois filhos, já tinha conhecido algumas mulheres no site, mas nenhum relacionamento havia dado certo.“Estava quase terminando minha assinatura de seis meses e pensei em renovar mais uma vezes, como uma última chance”, conta. Foi quando  conheceu Sandra, com quem se casou.

“Por se chamar Coroa Metade atrai um público diferenciado. Não todo mundo, claro. Também existem tranqueiras, pessoas sem conteúdo e sem cultura. Mas vi que a era acima da média dos outros sites”, diz ela.

Nem os famosos resistem

Não, nem todo famoso que aparece nos aplicativos ou sites de relacionamentos são perfis falsos.O ator e cantor Lucas Lucco confirmou que utiliza o “Lovoo”, uma rede social de relacionamento alemã. Sabrina Sato, e Japinha do CPM 22 já tiveram perfis.    

Para se dar bem:

- Preencha seu perfil com sinceridade e completo;
- Mostre fotos com seus melhores ângulos, mas evite fotos antigas e com muitos filtros;
- Preste atenção aos erros de português e se expresse claramente;
- Procure sites e aplicativos com boas referências na Internet.  

Para evitar problemas:

- Preste atenção nos pequenos detalhes e se a pessoa está perguntando coisas repetidas;
- Quando marcar o primeiro encontro, faça sempre em um lugar público, como um shopping center. 
- Não deixe a pessoa buscar você em casa. Vá por conta própria.  
- Uma fundamental: nunca, em hipótese alguma, envie dinheiro para a pessoa;
- Não mande fotos comprometedoras nem se exponha em vídeos.

Publicidade
Publicidade