Domingo, 19 de Maio de 2019
GASTRONOMIA

Lugares para comer o melhor da culinária regional ao redor do Teatro Amazonas

É possível levar o amigo de fora do Amazonas para contemplar o nosso maior símbolo arquitetônico e comer da nossa comida



7778.jpg
Vista do restaurante Tambaqui de Banda com Teatro Amazonas ao fundo (Yuri Torres/Divulgação)
22/01/2017 às 05:00

Se tem turista que vem a Manaus e não passa pelo Teatro Amazonas, eu desconheço. Considerada por muitos como o melhor espaço público da cidade, os arredores do monumento cultural têm de tudo: pipoca, sanduíches, galerias, pizzarias, e muito mais. Mas, se o turista vem a Manaus, ele vai querer comer o nosso peixe, certo? E, nos dias de hoje, ele não precisa mais se deslocar para longe do Teatro com o intuito de fazer isso: ele pode muito bem encontrar restaurantes que servem a mais variada comida regional e ter como pano de fundo o nosso maior símbolo arquitetônico. Vem ver de perto quais são:

Restaurante Caxiri

O estabelecimento prepara comidas de todos os lugares do mundo, mas usando produtos locais. É o que explica uma das sócio-proprietárias do espaço, Daniela Maia. “Não é que nossa cozinha seja regional, mas a gente usa produtos regionais para fazer pratos gerais. É uma cozinha simples, de produtos frescos, e autoral”. Um dos pratos de maior sucesso é uma costela de tambaqui feita na churrasqueira de carvão da casa. “Ela é servida com uma maionese de alho com tucumã, com banana gratinada e feijão de metro. É o prato que a gente mais vende”, comenta.

Os proprietários do restaurante são de São Paulo, e sempre tiveram a ideia de abrir um restaurante em Manaus, mas sem saber exatamente onde. Eles também perceberam que o grande fluxo de restaurantes se centrava no Vieiralves e adjacências. Foi aí que a proximidade com o imponente Teatro Amazonas fez sentido. “Isso nos motiva porque, como a gente veio com o olhar do turista. O primeiro lugar que o turista pisa é no Teatro Amazonas, por conta desse acolhimento”, pondera Maia.

Fitz Carraldo

O bistrô, localizado no Hotel Villa Amazônia, teve a sagacidade de unir a influência da Belle Époque com a comida regional local. Comandado pelo chef Bruno Lorenzoni e a sub chef Ana Paula Sousa, o restaurante pode ser acessado por qualquer pessoa, independente de estar hospedado no hotel ou não. “A cozinha começou com uma pegada mais francesa. Como a gente nota que mais da metade do nosso público não é brasileiro, pensamos que não poderíamos servir uma caldeirada de tucunaré, porque o estrangeiro não vai comer. Mas se a gente quiser atender ao público de fora, não adianta somente pato com risoto de limão siciliano, porque o amazonense não vai comer”, conta Ana Paula.

Por essa necessidade, o cardápio do lugar se transformou num mix para agradar a nativos e estrangeiros, mesclando cozinha regional com a internacional. “O top do cardápio é o pirarucu, servido com purê de batata doce e um pesto. É como se fosse um molhinho com castanha, salsa e jambu, tudo picadinho. Coloca em cima do peixe com azeite e é o que mais sai. Todo mundo que vem de fora adora, porque o pirarucu é quase impossível de ficar seco. A crosta está sempre douradinha. O purê de batata fica bem cremoso porque a gente coloca manteiga e creme de leite, fica muito bom”, declara a sub chef.

Tambaqui de Banda

Mário Valle, um dos proprietários do lugar, morou na Alemanha e percebeu que os centros históricos sempre eram os mais movimentados culturalmente. “Não só com restaurantes, mas com cultura em geral, além de ser o principal local de compras. Lá tem poucos shoppings”, destaca ele. Por já ter um restaurante regional na época, ele queria que os turistas visitassem o estabelecimento, o que exige um trabalho constante e forte de divulgação. “Então resolvi ir até aonde o turista está, que é no Centro.

Segundo Mário, os turistas voltam pelo menos uma vez mais ao restaurante, e tem gente que vai todos os dias enquanto está aqui. “Temos um cardápio bem ilustrado que motiva o turista a querer voltar”, destaca Mário, lembrando que o espaço tem um cardápio somente em inglês, para facilitar a leitura. “O prato que mais sai é o Tambaqui de Banda, porque muitos turistas já chegam lá com indicação para comer este prato. Outro prato que sai bastante é a Moqueca Caboca, feita com pirarucu, jerimum, banana e quiabo assados na brasa e nele substituímos o azeite de dendê pelo azeite de urucum (tem turista que não digere bem o dendê) e trocamos o leite de coco pelo leite de castanha”, conta.

Endereços e telefones

> Tambaqui de banda
Endereço: rua José Clemente, 596, Centro
Telefone: 3622-8162

> Restaurante Caxiri
Endeeço: rua 10 de Julho, 495, Centro
Telefone: 3304-8700

> Bistrô Fitz Carraldo (Hotel Villa Amazônia)
Endereço: rua 10 de Julho, 315, Centro
Telefone: 3347-7832


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.