Publicidade
Entretenimento
Estilo pessoal

Conheça o que compõe o armário de três modelos de diversas partes do solo brasileiro

A reportagem bateu um papo com duas ex-“angels” da Victoria’s Secret e uma modelo que mora no Amazonas para saber como tudo funciona no guarda-roupa pessoal de cada uma delas 16/04/2016 às 15:10 - Atualizado em 17/04/2016 às 12:10
Show 1070301
Quem vê os graúdos olhos azuis da modelo curitibana de 32 anos que tem passagens pela Victoria’s Secret, jamais seria capaz de imaginar muita coisa sobre ela (Divulgação)
Laynna Feitoza Manaus (AM)

Quem vê as supermodelos desfilarem sua beleza pelas passarelas talvez não imagine como costuma ser o cotidiano das moças. Na rotina apertada de makes, editoriais, fotos e livros na cabeça para alinhar a postura resta a dúvida: será que elas replicam o que usam nas passarelas para o dia a dia? Será que existe, realmente, tanto glamour o tempo todo? O VIDA & ESTILO bateu um papo com duas ex-“angels” da Victoria’s Secret e uma modelo que mora no Amazonas para saber como tudo funciona no guarda-roupa pessoal de cada uma delas.

Fernanda Lendey 

Com 22 anos, a modelo surgiu por meio de um curso, no qual sua intenção era apenas aprender a andar de salto e reparar sua postura. “Mas acabei me interessando pela moda”, conta ela, que já desfilou para as lojas Coração das Noivas, Dona de Si, Victória Fernandes, Rommanel, La Vi, Dammyller e Bah Bijoux. “Já desfilei em locais como Roraima e Salvador”, comenta. No dia a dia, Fernanda é muito básica. “Uso camisetinha com jeans, um vestidinho com sapatilha e gosto muito do estilo étnico”, destaca. Em relação aos acessórios, Lendey é fã de brincos grandes, pulseiras e anéis mais básicos.

A respeito de seu estilo pessoal, Fernanda diz que a agência em que trabalha nunca interferiu em nada. “Sempre estou com meu ‘black power’ armado. E eles sempre me apoiaram e me incentivaram a manter o meu estilo porque esse foi meu grande diferencial”, destaca. Segundo ela, o mundo da moda hoje pede muitas transformações. “E no meio de tantas mudanças, você acaba sendo aquilo que você não é, para agradar aos olhos de quem te vê. No caso, a agência sempre me apoiou e é bacana porque eu não fujo do lado pessoal e profissional. Tá certo que alguns desfiles tem algumas pegadas diferentes, como desfiles de noiva. Teve um desfile que pensei que a dona da loja ia pedir pra eu fazer escova no cabelo. Mas quando ela me olhou, disse ‘Ela é linda, perfeita”’, encerra.

Isabeli Fontana

Quem vê os graúdos olhos azuis da modelo curitibana de 32 anos que tem uma extensa carreira – incluindo passagens pela Victoria’s Secret e campanhas para grifes como Dolce & Gabbana, Givenchy e Versace jamais seria capaz de imaginar muita coisa sobre ela. Uma delas é que ela é totalmente despojada em seu estilo pessoal. Em seu cotidiano, a elegância requintada dos desfiles dá vazão a uma atmosfera mais hippie-chic e desprendida de luxos. Isabeli  já havia falado que ela mesma compõe seus próprios looks, todos os dias. Só não quando envolve produções para revistas ou outras marcas. 

“Eu gosto do estilo surf, grunge, rock, hippie... eu misturo todos [na hora de me vestir]. Sou totalmente desapegada, não vivo a moda. Vivo meu eu verdadeiro”, coloca ela. Em relação à maquiagem, a moça poderia com certeza sair com o rosto limpo nas ruas. Mas ela fala um pouco sobre os traços que não curte tanto, provando que essas encanações alcançam sim as mulheres – também reais – do mundo da moda. “Eu escondo a olheira, porque minha olheira é preta, e gosto de rímel no dia a dia. E uma corzinha na boca, acho minha boca muito branca e não gosto”, declara Fontana, que em seu Instagram pessoal costuma vestir muitas blusinhas de manga, vestidos, e calças surradas.

Carol Ribeiro 

A paraense de Belém afirma: usa muita coisa solta. “Uso muito jeans, até demais. Aí pra eu não sair de calça jeans, eu uso aquela calça que vem até a metade da perna (risos). Não adianta: se tem que colocar sainha, não consigo”, diz ela, que apesar da declaração, estava de vestido na hora da entrevista. “Esse vestido eu uso porque ele é soltão. Não gosto de nada colado, não gosto de curvas, sou uma coisa mais despojada”, aponta, lembrando que salto alto também não faz a sua cabeça. Aos 36 anos, Carol já figurou para marcas como Valentino, Gucci, Yves Saint Laurent e também já foi “angel” da Victoria’s Secret. 

No vestuário, podemos dizer que Ribeiro mescla uma porção de coisas. Mesmo estando sempre “pronta” – segundo ela mesma diz – a modelo parece ignorar os padrões de gênero e até foge um pouco de um estilo mais feminino. “Sou meio clássica, mas elegante. Posso até ser mais despojada, mas estou sempre arrumadinha, na minha concepção. E sempre uso uma roupa com um tom mais mais masculino”, destaca. No  rosto, ela garante levar nas suas andanças diárias alguma coisa para ajustar a sobrancelha. “Minha sobrancelha é muito grossa, tenho que estar sempre penteando. E um blushzinho rosinha que eu uso sempre, e corretivo”, pontua.

 

Publicidade
Publicidade