Publicidade
Entretenimento
Vida

Contagem regressiva para o XVII Festival Amazonas de Ópera; confira a programação

Nos palcos do Teatro Amazonas, Teatro da Instalação, Centro Cultural Largo de São Sebastião, Centro Cultural Palácio da Justiça (CCPJ), Centro de Convivência Padre Vignola (Cidade Nova), Centro de Convivência do Idoso (Aparecida) e no Município de Itapiranga vão se apresentar mais de 400 artistas, entre solistas locais, nacionais e internacionais, corpos artísticos, orquestras e corais 12/04/2013 às 19:20
Show 1
A abertura do FAO será com a ópera em concerto “Rei Roger”, de Karol Szymanowski, no dia 14 de abril, no Teatro Amazonas
acritica.com Manaus, AM

Durante 18 dias, Manaus será a capital da ópera, com a realização do XVII Festival Amazonas, que começa neste domingo, dia 14 de abril, e segue até 1º de junho. Serão 33 eventos, incluindo as montagens na íntegra de três óperas, recitais, vesperais, convivências e concertos, com a maioria das apresentações aberta ao público, exceto as que terão como palco o Teatro Amazonas. A realização é do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura, com patrocínio master do Bradesco.

Nos palcos do Teatro Amazonas, Teatro da Instalação, Centro Cultural Largo de São Sebastião, Centro Cultural Palácio da Justiça (CCPJ), Centro de Convivência Padre Vignola (Cidade Nova), Centro de Convivência do Idoso (Aparecida) e no Município de Itapiranga vão se apresentar mais de 400 artistas, entre solistas locais, nacionais e internacionais, corpos artísticos, orquestras e corais, sem contar com o exército técnico que está nos bastidores, regendo, tecendo, costurando e transformando o FAO em realidade.

Realidade esta que o secretário de Cultura, Robério Braga, diz que é uma das raras no Brasil e no mundo de ter, há 17 anos, sem interrupção, um evento cultural lírico que sempre se pautou pela ousadia e a busca incessante por deixar um legado: “A expectativa para a abertura é ótima. Mas a coisa mais significativa é que são 17 anos ininterruptos montando ópera, com um calendário permanente, que promove crescimento de plateia, evolução técnica, formação acadêmica e profissional nos cursos que o Governo oferece e a projeção positiva”, fala Robério Braga. 

ABERTURA 

A abertura do FAO será com a ópera em concerto “Rei Roger”, de Karol Szymanowski, no dia 14 de abril, no Teatro Amazonas. No palco estarão três grandes solistas internacionais, o búlgaro Marcin Bronikowski, a russa Olga Trifonova e o espanhol José Luis Sola, com a Amazonas Filarmônica, Coral do Amazonas e Coral Infantil do Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro. Completam o elenco os solistas de renome nacional, Juremir Vieira, Pepes do Valle e Denise de Freitas.

Nesta edição há três grandes homenageados: Richard Wagner e Giuseppe Verdi, pelas comemorações de seus bicentenários, e Benjamin Britten, festejando seu centenário de nascimento para a música clássica. A direção geral é do secretário de Estado da Cultura, Robério Braga, a artística do maestro Luiz Fernando Malheiro e a adjunta de Marcelo de Jesus.

A programação terá a montagem das óperas “Aventuras da Raposa Astuta”, de Leos Janacek; “Parsifal”, de Richard Wagner, e “O Morcego”, de Johann Strauss Filho.

A “Raposa Astuta” será voltada para o público infantil, com solistas amazonenses infantis, numa montagem lúdica e realista, cujo cenário e figurino levam assinatura da renomada artista plástica, cenógrafa e carnavalesca brasileira Rosa Magalhães.

Outro grande destaque desta temporada lírica é a homenagem prestada aos bicentenários de Giuseppe Verdi (“Um Ballo in Maschera” e “La Traviata”) e de Wagner, cujas obras se espalham na programação, de concertos, montagens até recitais especiais.

Como explica o maestro Marcelo de Jesus, “Parsifal”, ópera obra-prima de Wagner, terá uma montagem mais contemporânea. Com três atos e dois intervalos, e duração de cinco horas, terá direção cênica e cenográfica de Sergio Vela e figurinos de Violeta Rojas. Sua concepção terá parceria do Fundo Nacional para a Cultura e Arte do México.

Tendo estreado em 1878, a ópera se passa nas colinas do Monte Salvat, na Espanha, onde vive uma fraternidade de cavaleiros do Santo Graal. No Festival de Ópera, a montagem estreia dia 16 de maio, às 18h, no Teatro Amazonas, com outras récitas nos dias 19 e 22 de maio, tendo participação do Coral do Amazonas, do Corpo de Dança do Amazonas e da Amazonas Filarmônica.

DIVERSÃO LÍRICA

Pop e divertida, interativa e lírica. Assim se define a concepção de “O Morcego”, de Johann Strauss Filho, para o FAO 2013, que será encenada e cantada em português no Largo de São Sebastião, para 50 mil pessoas, com produção 100% local, no dia 26 de maio, 19h, encerrando o festival.

Dela participam o Corpo de Dança do Amazonas, Coral do Amazonas e a Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica. Por sua dinâmica divertida, “O Morcego” será a montagem levada para o interior pelo Governo do Estado, mais precisamente ao Município de Itapiranga.

Outra homenagem prestada pelo festival será ao centenário de nascimento de Benjamin Britten, compositor britânico, maestro e pianista (1913-1976), autor de algumas das músicas mais atraentes do século 20. Ainda menino, cantava poemas, o que se refletiu no seu trabalho, sendo mais conhecido por sua música para a voz: obras corais, ciclos de canções e, acima de tudo, uma série de óperas, entre elas “Peter Grimes”, que reviveu o lirismo inglês.

Dia 5 de maio, a Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA) faz o Concerto Benjamin Britten 100 Anos, às 19h, no Teatro da Instalação, tendo no repertório “Sinfonia Simples Op.4”, “Serenata para Tenor, Trompas e Cordas Op.31” e “As Iluminuras Op.18”, com regência de Marcelo de Jesus. Dia 19 de abril, às 20h, haverá um Recital Bradesco também com obras do britânico.

E por falar em recital, dia 3 de maio, o FAO dá mais uma prova da sua capacidade, depois de 16 anos, de sempre apresentar o moderno e atemporal na música clássica, realizando um verdadeiro show com 17 canções do “Queen”, no Teatro da Instalação, com violino elétrico, bateria, percussão e piano. Entre as músicas, “God Save the Queen”, “Somebody to Love”, “Barcelona”, “It’s a Hard Life”, para citar alguns clássicos do rock.

E no dia 12 de maio, acontece o Concerto do Dia das Mães, no Teatro da Instalação, com “Modinhas e Lundus”, com a Orquestra de Violões e alunos de teatro e dança do Claudio Santoro. 

INTERIOR

Além de ter recitais nos bairros de Aparecida e Cidade Nova, o XVII FAO levará o Concerto Bradesco acessível a toda a população no Município de Itapiranga, dia 1º de junho, às 19h. Prova de que o festival é cada vez mais democrático, o evento terá repertório com 7 obras musicais, 11 solistas em cena, a Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA), Coral Infantil de Itapiranga, com direção musical e regência do maestro Marcelo de Jesus.


Publicidade
Publicidade