Publicidade
Entretenimento
FIM DE SEMANA

Coral do Amazonas apresenta neste final de semana obra erudita com toque nordestino

“Missa de Alcaçuz”, de Danilo Guanais, composta em 1996, traz elementos genuinamente brasileiros. Balé Folclórico participará do espetáculo 23/06/2017 às 15:00
Show unnamed
Foto: Divulgação
acritica.com

Composta em 1996 por Danilo Guanais, a Missa de Alcaçuz é considerada uma das missas com o maior recheio brasileiro possível. A peça, escrita originalmente para coral, orquestra de cordas, percussão e violão, teve sua estrutura revisada no início deste ano, ganhando uma instrumentação para piano e percussão, que foi apresentada no Carnegie Hall, em Nova York, no último mês de maio.

É essa versão da Missa de Alcaçuz que o Coral do Amazonas apresenta nesta sexta-feira (23), domingo (25) e terça-feira (27), em horários alternativos, no Teatro Amazonas, com entrada franca. O espetáculo, com direção musical e regência do maestro Zacarias Fernandes e Hilo Carriel ao piano, traz os solos da soprano Tamar Freitas e do barítono Moisés Rodrigues, além da participação do Balé Folclórico do Amazonas.

De acordo com Zacarias, regente do Coral, a ideia de apresentar a obra de Guanais surgiu da necessidade de divulgar o trabalho dos artistas brasileiros. “Embora sejamos especialistas em apresentar obras de compositores estrangeiros, sentimos que é preciso valorizar os compositores da nossa pátria, já que temos muitas boas obras cujos autores são brasileiros”, afirma.

A origem da Missa de Alcaçuz remonta ao Nordeste brasileiro, à tradição das famosas romanceiras da região de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, segundo o maestro.

“Essa missa é uma obra erudita, toda em latim, com vários elementos populares, presentes nas cantigas das romanceiras de Alcaçuz. Vale lembrar, também, que essa tradição das romanceiras remonta a tempos mais antigos, isto é, das rendeiras ibéricas que cantavam os romances medievais. É uma mistura de elementos que resulta numa peça linda com um toque nordestino”, completa.

Balé Folclórico

E se já é uma novidade uma missa contemporânea com todo o estilo do interior do Nordeste brasileiro, a apresentação do Coral do Amazonas traz um fato inédito no país: o Balé Folclórico do Amazonas fará toda a coreografia da missa. “Embora seja algo novo no Brasil, coreografar uma missa não é uma exclusividade nossa. Uma missa cantada é um ritual musical, e em várias missas cuja origem é o continente africano, podemos notar que existe tanto a parte cantada como a coreografada, executadas ao mesmo tempo, como uma conversa”, explica o maestro.

A coreografia é de Adam Souza, assistente de direção do Balé Folclórico. “Há algum tempo, fizemos um programa de Natal onde apresentamos dois trechos da Missa de Alcaçuz, e esses dois trechos foram coreografados pelo Balé. Essa performance foi muito bem recebida, e quando nós resolvemos fazer a Missa novamente, resolvemos coreografá-la por inteiro. Quando falamos isso ao Danilo Guanais, ele ficou muito impressionado”, conta.

O compositor

Danilo Guanais nasceu em São Paulo (SP), em 1965, mas ainda criança mudou-se para Natal (RN). Iniciou a carreira artística participando de festivais como compositor, tendo sido premiado no II Festival Internacional de Artes Cênicas de Resende, no Rio de Janeiro. Na área acadêmica, é doutor em Composição Musical pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e professor da Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Serviço

O quê: Espetáculo “Missa de Alcaçuz”, com o Coral do Amazonas e o Balé Folclórico do Amazonas
Quando: sexta-feira, dia 23 de junho, às 20h; domingo, dia 25, às 19h; e terça-feira, dia 27, às 20h
Local: Teatro Amazonas, avenida Eduardo Ribeiro, 659 – Centro
Entrada: gratuita

*Com informações da assessoria

Publicidade
Publicidade