Publicidade
Entretenimento
Cinema

Criador da Turma da Mônica, Maurício de Sousa revela: vem mais novos filmes por aí

Com mais de 50 anos de existência, personagens dos quadrinhos ganham cada vez mais espaço na TV e no cinema 05/09/2016 às 00:00 - Atualizado em 05/09/2016 às 10:35
Show turma da monica mauricio
Maurício de Sousa revelou que tudo foi planejado detalhadamente, desde o começo, e inspirado até em Walt Disney
Natália Caplan São Paulo

“Sou a Mônica, sou a Mônica, dentucinha e sabichona; Sou a Mônica, sou a Mônica, tão teimosa e tão mandona...” Se você leu no ritmo da música, com certeza, teve uma infância marcada pelos gibis e desenhos animados da “Turma da Mônica”. Além de revistas em quadrinhos, a franquia também tem filmes, livros e games. A personagem foi criada em 1963, por Maurício de Sousa, e ultrapassa gerações.

“É uma delícia (ver as gerações)! A cada criança que nasce, faço novos amigos. Eu sei que daqui a 20, 30, 40 anos, essas crianças serão adultas, pais e avós, passando o hábito de ler e acompanhar o nosso trabalho aos descendentes. Tem acontecido isso há mais de 50 anos. Por que iria parar?”, diz o cartunista, em entrevista exclusiva à equipe do BEM VIVER, durante a 24ª Bienal do Livro de São Paulo, que termina hoje.

Aos 80 anos de idade, ele faz questão de participar do evento internacional, trabalha na preparação dos novos desenhistas e planeja expandir, ainda mais, o alcance da Maurício de Sousa Produções. A “Turma da Mônica” tem gibis, livros e outros produtos licenciados, traduzidos para 14 idiomas e já está em 40 países, como Itália, Japão, Indonésia, Alemanha e Estados Unidos. Segundo o paulista, há muitos projetos novos a caminho.

“Hoje, eu quase não desenho mais, infelizmente. Mas sei orientar. Temos que esperar o momento certo e treinar seguidores, desde os filhos até os artistas, que chegam para dar continuidade ao meu trabalho. Provavelmente, agora que estamos exportando, vamos fazer nossas histórias chegar a diversos países. E espero fazer nosso parque temático também. Estamos fazendo muitos filmes agora. Isso não tem fim”, enfatiza.

Além de criar personagens baseados em amigos de infância e um em si mesmo, Maurício de Sousa sempre criou figuras inspiradas nos próprios filhos. Ele é pai de dez: Maurício Spada (Dr. Spada), Mônica, Magali, Mariângela (Maria Cebolinha), Vanda, Valéria, Marina, Mauricio Takeda (Do Contra), Mauro Takeda (Nimbus) e Marcelo Pereira (Marcelinho). Sem contar outros núcleos, como “Turma do Penadinho” e “Turma do Papa-Capim”.

“A minha gaveta está cheia de personagens, inclusive, pulando, querendo sair da minha gaveta. Têm muitos, mas não dá tempo de fazer tudo. Tem personagens que marcaram de uma maneira a mais, como Mônica e Horácio, os quais eu escrevi o enredo nesses 50 anos. Horácio é quase que um alter ego meu. O que eu acho da vida está na boca de um dinossauro”, declara aos risos.

Projeto ousado

Maurício de Sousa começou tudo na sala de casa. Atualmente, tem a ajuda da família em diferentes áreas da empresa — Mônica, por exemplo, é responsável pelo setor comercial. Diferentemente do que algumas pessoas possam pensar nada aconteceu “ao acaso”. Cada detalhe foi planejado e, inclusive, inspirado em Walt Disney — criador do Mickey e de uma das maiores companhias de mídia e entretenimento do planeta.

“Eu planejei tudo isso. Não foi do nada. Aprendi a ler com gibis americanos e os autores e artistas fazem tudo isso que eu faço aqui. Eu olhava aquilo e dizia ‘vou fazer isso também: parque temático, almanaques, cinema, desenho animado...’; Hoje, a tecnologia permite que façamos planos diferenciados. Podemos sonhar um pouquinho mais, sem medo, porque vai dar para fazer tudo”, diz. “Os planos da Disney me ensinaram muita coisa também”, completa.

BUSCA RÁPIDA

Maurício de Sousa nasceu em 27 de outubro de 1935, em uma família de poetas e contadores de causos, em Santa Isabel, no interior de São Paulo. Ainda criança, descobriu a paixão pelo desenho e começou a criar os primeiros personagens. Aos 19 anos, conseguiu uma vaga de repórter policial na Folha da Manhã (hoje Folha de S. Paulo). Em 1959, publicou sua primeira tira, com Franjinha e Bidu. O cartunista ocupa a cadeira 24 da Academia Paulista de Letras.

DESTAQUE

Atualmente, o desenho animado “Turma da Mônica” é exibido no Brasil pelo Cartoon Network e seus canais-irmãos Tooncast e Boomerang. Além das animações, os personagens também estrelaram três filmes de animação: "As Aventuras da Turma da Mônica (1982), A Princesa e o Robô (1983) e Uma Aventura no Tempo (2007); além de dois especiais para TV e vídeo em live-action: No Mundo de Romeu e Julieta (1979) e A Rádio do Chico Bento (1989).

BLOG Mônica Sousa, filha e diretora executiva

Meu pai começou na sala da nossa casa e era tão pequenininho o estúdio; ele e mais duas pessoas só. Hoje, tem mais de 400 pessoas. Dá muito orgulho ele ter conseguido tudo isso em um País como o Brasil, onde o artista tem tanta dificuldade para trabalhar. Para nós é muito orgulho ver que ele conseguiu chegar aonde chegou. Eu trabalho com ele há mais de 30 anos e vejo o esforço, o trabalho e a dedicação que ele tem. A história da gente virou gibi, mas a mais bonita, que meu pai escreveu, foi ‘os azuis’. Ele fez nos anos 70 e falava sobre preconceito de cor. A Mônica era a única azul. Era uma história bonita, bastante profunda e divertida também. O meu plano para ‘A Turma da Mônica’ é estar em todo o mercado Latino Americano e, depois, o mundo todo. Tem muita coisa nova.

*A repórter viajou a convite da Saraiva.

Publicidade
Publicidade