Terça-feira, 25 de Janeiro de 2022
Vida

Criadores do blog 'Desilusões Perdidas' conduzem bate-papo no próximo dia 30 em Manaus

Os irmãos Anderson e Emerson Couto estarão em Manaus no próximo dia 30 de abril, no Teatro Uninorte, localizado na Avenida Joaquim Nabuco, às 19h, bairro Centro, para um bate-papo divertido acerca da vida de jornalista com estudantes e profissionais da área



1.jpg Anderson e Emerson Couto são gêmeos e jornalistas
27/04/2013 às 13:08

Os 20 anos de carreira no jornalismo, com seus sabores e percalços inspiraram os irmãos gêmeos Anderson e Emerson Couto a dialogarem, por meio do humor, com a classe jornalística distribuída pelo país afora. O blog ‘Desilusões Perdidas’, fiador deste diálogo, rendeu visibilidade o suficiente para que o personagem fictício da página, chamado Duda Rangel, se tornasse referência em relação à realidade da profissão no Brasil.

E é com esta perspectiva e muito humor que os irmãos criadores do blog e de Duda Rangel estarão em Manaus no próximo dia 30 de abril, no Teatro Uninorte, localizado na Avenida Joaquim Nabuco, às 19h, bairro Centro, para um bate-papo divertido acerca da vida de jornalista com estudantes e profissionais da área, seguido do lançamento do livro ‘A Vida de Jornalista Como Ela É – O Melhor do Blog de Duda Rangel’ na capital amazonense, que será feito logo após a palestra.

Sempre unidos

Anderson e Emerson Couto, ambos de 40 anos, trabalham atualmente como jornalistas independentes (já atuaram em mídias impressas e digitais; também são roteiristas do programa Sensacionalista, do Canal Multishow), e além de serem gêmeos idênticos, alegam que a trajetória dos dois no jornalismo também é similar, buscando sempre uní-los, de alguma forma, no mercado e nas premissas pessoais.

“Nosso interesse pelo jornalismo vem desde a infância. A gente sempre gostou de ler, escrever. Fazíamos até uma retrospectiva de fim de ano para a nossa família. Estudamos na mesma faculdade (Universidade Metodista de São Paulo), mas em anos diferentes. O Emerson entrou na faculdade em 1991. Eu, Anderson, em 1992. Trabalhamos como jornalistas há quase 20 anos. O Emerson começou primeiro na profissão. Já atuamos no mesmo jornal (O Estado de S.Paulo), na mesma editoria (Esportes), já escrevemos muitas matérias a quatro mãos”, explicou Anderson Couto, em entrevista a A CRÍTICA.

O blog



O fictício Duda Rangel, ‘um jornalista desempregado e abandonado pela mulher’, conforme o personagem se autodescreve no blog de ficção que entrou no ar em janeiro de 2009, foi criado especialmente para ‘narrar’ o diálogo exposto na mídia digital. “Ele foi criado por nós dois. Eu e o Emerson gostamos dos anti-heróis, dos tipos desajustados. Nossa inspiração vem de personagens de Woody Allen, Nelson Rodrigues, Luis Fernando Veríssimo, Philip Roth e do Casseta & Planeta. O Duda tem muito do Agamenon Mendes Pedreira também”, relatou Anderson.

De acordo com Couto, o interesse dos gêmeos em escrever ficção e humor vem da adolescência. Já na faculdade, os irmãos produziam fanzines, sempre com uma roupagem debochada e crítica, afirmou o jornalista, lembrando que o interesse nesse tipo de produção sempre foi dos dois. “A gente queria escrever sobre o jornalismo de uma forma diferente do que já vinha sendo feito na internet. O debate sobre a profissão sempre foi muito sério. A gente queria usar elementos como o humor e a ironia para falar sobre o cotidiano do jornalista, os sabores e dissabores da profissão, e até de temas mais complexos, como ética e liberdade de imprensa”, pontuou o jornalista.

Os textos sobre o lado A e o lado B da vida de jornalista são de cunho autoral. Para o blog, foram estipuladas duas postagens semanais, que arrematam cerca de 75 mil acessos por mês. “Nosso perfil no Facebook já está lotado, com 5 mil pessoas. Temos também uma fan page do Desilusões Perdidas no Facebook, com cerca de 13.500 fãs. O número de acessos por postagem varia bastante. Já chegamos a ter uma única postagem com mais de 150 mil visualizações em um único dia”, garantiu Anderson.

Os textos, que começaram a ser escritos para amigos dos irmãos, têm alta repercussão entre leitores do Brasil inteiro e também de outros países, refletiu Anderson, que aponta as redes sociais como principais difusoras do trabalho dos irmãos. As publicações geram bastante identificação nos leitores que integram o mercado jornalístico e conhecem o seu dia a dia.

“As pessoas se veem nos textos, nas situações descritas pelo Duda. Muitos descobrem que passam pelas mesmas dificuldades e até admitem isso publicamente. O blog é acompanhado basicamente por jornalistas (muitos jovens) e profissionais de outras áreas da Comunicação. Há leitores de outras profissões, sim, em menor número. Muitos problemas vividos pelos jornalistas, como o trabalho árduo do dia a dia e o salário baixo, são comuns a outras profissões”, complementou o jornalista.

O livro





Tamanha repercussão do blog fez despontar o ‘nascimento’ de uma publicação impressa, reunindo as melhores histórias concentradas na página. Intitulado ‘A Vida de Jornalista Como Ela É – O Melhor do Blog de Duda Rangel’, o livro foi lançado no final de outubro, em São Paulo, e conta com 110 textos do blog, divididos em 16 capítulos temáticos. “Para o livro, demos prioridade para textos mais literários, como contos e crônicas. Alguns textos foram reescritos; outros, atualizados. Já vendemos cerca de 600 exemplares”, destacou Anderson.

Após a ascensão do blog, veio o lançamento do livro. E com o livro, que já foi lançado em São Paulo e Belo Horizonte, começaram a surgir os convites para os bate-papos pelo país. Conforme Couto, o interesse é cada vez mais atingir outras cidades, afirmando que os irmãos já receberam convites para bate-papos no Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Amapá. “Grande parte dos eventos é em universidades, em conversas com os estudantes. Já passamos por universidades de São Paulo e Minas. Falamos sobre a vida de jornalista, contamos histórias pessoais. Muitas pessoas ficam curiosas (e chocadas) ao descobrir que o Duda é um personagem de ficção e querem saber como é o nosso processo de criação para o blog”, diverte-se.

Anderson afirma que, apesar das extensas e contínuas jornadas de trabalho do jornalista e da atual situação de mercado que rege a profissão, um novo rumo se apresenta aos profissionais do ramo. “O jornalista, principalmente a turma do jornalismo diário, do hard news, sempre trabalhou sob grande pressão. É muito trabalho, horários apertados, pouco descanso e, em muitos casos, pouco retorno financeiro. O jornalismo é uma profissão para os fortes e para os apaixonados. Achamos que, apesar das mudanças no nosso mercado de trabalho, como a extinção de vagas nos veículos tradicionais impressos, novas frentes de trabalho estão sendo criadas, na internet, no mundo corporativo, em coletivos independentes. Cabe a cada um escolher seu caminho e ver o que curte fazer na vida. E, claro, estudar sempre, se preparar sempre para o trabalho. Os jornalistas mais capacitados sempre terão as melhores oportunidades no mercado”, finalizou Couto.

Os ingressos para o bate papo com Anderson e Emerson Couto, criadores do blog ‘Desilusões Perdidas’, podem ser adquiridos na Livraria Valer (Rua Ramos Ferreira, 1.195, Centro) e no DCE/UniNorte – Unidade 1 (Avenida Joaquim Nabuco, 1.232, Centro).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.