Segunda-feira, 10 de Agosto de 2020
GASTRONOMIA

Culinária simplificada: Caxiri reabre as portas com adaptações e retoma atividades

Com menos mesas no espaço, estabelecimento se adequa à nova realidade social em virtude da pandemia e traz novidades nos pratos com a chef Débora Shornik



7b8bac0b-e1e6-4a99-9593-7b555c3bbfe8_095DB1ED-C502-49BC-B6B7-F69CC93ACCBB.jpg À frente: Débora Shornik é a chef responsável pelo espaço. Foto: Divulgação
19/06/2020 às 12:12

Muitos estabelecimentos da capital amazonense se preparam para recomeçar, e o restaurante Caxiri (Rua 10 de Julho, 495, Centro) é um deles. Com as portas abertas desde ontem (18), o ambiente retoma as atividades com algumas reformulações, que incluem pratos novos no cardápio e a adequação de seu espaço físico às normas exigidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) com base no enfrentamento ao novo coronavírus.

No retorno, o restaurante surge com menos opções de pratos no cardápio, mas oferecendo uma gama maior de personalização dos alimentos, que deve abarcar os produtos disponíveis na casa, declara a chef de cozinha Débora Shornik. “Vamos focar em menor quantidade e em mais qualidade dos produtos. Foi uma coisa que sempre primamos”, declara ela.



Entre as novidades do cardápio, Shornik lista três destaques que prometem cativar o paladar do público: homus de castanha fresca e caponata da casa, com chips de raízes e beiju de tapioca; baião cremoso com cogumelo nativo Djamor; e farofa de pupunha e arroz de tomate com camarões grelhados na churrasqueira. “No caso da caponata – prato típico da região da Sicília - é uma receita clássica feita com ingredientes daqui. Surpreendente e fresca”, explica.

De acordo com Shornik, o conceito do restaurante não mudou, mas a equipe se adequou às exigências sanitárias e a operação das atividades será diferente. “Não posso ter a toalha de pano que eu tinha, por exemplo. As mesas ficam vazias. A pessoa chega no restaurante e pode acessar o cardápio em QR Code. Mas também teremos o cardápio plastificado para quem tiver dificuldade com a ferramenta. Uma vez que o cliente está sentado, vamos levando os utensílios que ele precisar”, comenta.

O espaço físico do ambiente também possui readaptações: o número de mesas do local caiu pela metade, para se reajustar ao atendimento – que englobará menos pessoas por vez, segundo ela. “Como temos metade das mesas, há coisas que abrimos mão por questão de logística do restaurante e da entrega [de alimentos]. O momento é especial, e a forma de cozinhar também é especial”, completa Débora.

Saiba mais

O restaurante Caxiri vai funcionar de terça a domingo. O almoço será servido das 11h30 às 14h, enquanto que o jantar ocorrerá das 19h às 22h. Ainda de acordo com Débora, o horário de funcionamento pode mudar, conforme as necessidades do espaço.

Subeditora de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.