Domingo, 21 de Julho de 2019
Vida

'Cultura na Rede' debate oportunidades criadas pela Copa e Olimpíadas

Realizada nos dias 27 e 28 de junho, a ação contou com representantes de instituições culturais de diversos países que já tiveram experiência com a Copa e Olimpíadas e de oito cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. O objetivo foi promover o intercâmbio de informações para traçar uma estratégia para o desenvolvimento de eventos culturais



1.jpg O evento contou com debates e grupos de trabalho. Como resultado deste processo, será elaborado um documento de metas e intenções
02/07/2013 às 09:50

O Brasil está prestes a receber dois grandes eventos: a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Pensando no legado cultural desses acontecimentos para o País, o Itaú Cultural e a Fundação Roberto Marinho realizaram, no Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR), o Cultura na Rede – Encontro Internacional de Iniciativas Culturais para 2014.

Realizada nos dias 27 e 28 de junho, a ação contou com representantes de instituições culturais de diversos países que já tiveram experiência com a Copa e Olimpíadas e de oito cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. O objetivo foi promover o intercâmbio de informações para traçar uma estratégia para o desenvolvimento de eventos culturais.

O Cultura na Rede promoveu uma conexão entre os vários brasis, mostrando as diversas faces da cultura brasileira e casos de cada país que já sediou estes eventos. Além disso, desenvolveu debates e grupos de trabalho. Como resultado deste processo, será elaborado um documento de metas e intenções e criada uma rede. Com isso, a iniciativa se transformará numa plataforma de troca de experiências.

“Este encontro entre movimentos culturais, coletivos artísticos e instituições presentes no Brasil, ajuda a pensar de maneira mais orgânica, estratégica e articulada a presença da cultura e da arte no País”, disse Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural. “Com esta iniciativa, nós projetamos conexões de trabalho e diálogo entre as nações, incentivando a construção de um legado para a arte e para a cultura brasileira e seus relacionamentos com a sociedade, tão fundamentais num momento em que cada vez mais o Brasil é considerado um dos mais importantes países, entre os emergentes, no início deste século”, complementou.

Papel dos museus

A Fundação Roberto Marinho, que elaborou o MAR e lidera a criação do Museu do Amanhã, ambos inseridos no contexto da revitalização portuária do Rio de Janeiro, ressalta a importância da discussão sobre os legados sociais e culturais para a cidade durante e após os grandes eventos.

“Trabalhamos na perspectiva de fazer com que os museus funcionem como catalisadores do processo de revitalização urbana do Rio de Janeiro. Acreditamos que os moradores e turistas vão passar a frequentar esses espaços e seus entornos porque esses lugares irão se tornar novos ícones arquitetônicos e irão fazer parte da história social e cultural da cidade”, falou Hugo Barreto, secretário geral da Fundação Roberto Marinho.

Experiência

Apesar de algumas instituições culturais convidadas do País não apresentarem propostas para os eventos, houve forte contribuição de representantes de instituições culturais da França, Espanha, Inglaterra e África do Sul, que já tiveram contato com esses tipos de produções e expuseram  seus acertos e erros.

Entre os representantes, Sara Hallat, diretora da ONG sul-africana Fordsburg Artists Studios, que produziu as cerimônias de abertura e de encerramento da Copa do Mundo de 2010, sediada na África do Sul. Ela relatou que fazer a abertura foi complicado, porque muitas pessoas têm uma única visão sobre a África, apesar de o país ter uma grande diversidade cultural.

“Apesar de querer mostrar a cultura, o principal foco é o futebol; é isso que as pessoas vieram ver. Então vocês (brasileiros) têm que ser um pouco condescendentes no momento de fazer isso, sempre incluindo este elemento do futebol. É claro que a cerimônia e o encerramento são as maiores oportunidades para dançarinos, músicos, atores”, disse Sarah. “Também, na época, fechamos parcerias com artistas locais, galerias, fomos patrocinados pela Fifa. A ideia foi levar arte para as pessoas. Acho isso um conceito interessante”, complementou.

Todos os convidados - brasileiros e estrangeiros - acharam de extrema relevância esse tipo de debate, pois é uma maneira de se preparar para o legado que estes eventos irão deixar para o País como um todo.  Estima-se que 80% dos turistas internacionais que virão assistir aos jogos estarão no País pela primeira vez, daí a razão de se preocupar com a imagem que o Brasil irá passar.

Nacional

As instituições culturais do País que participaram do evento foram do Ceará, Distrito Industrial, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Paraná, Pernambuco, Porto Alegre e Rio de Janeiro. Embora São Paulo não seja cidade-sede, esteve presente na iniciativa por sua experiência na área cultural.

Destaque

Todo o evento Cultura na Rede – Encontro Internacional de Iniciativas Culturais para 2014 foi transmitido online pelo site www.itaucultural.org.br.

* O repórter viajou a convite da organização do evento

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.