Publicidade
Entretenimento
Vida

Curtas amazonenses ganham a telona em Manaus nesta terça (23) em evento gratuito

Cinemark do Studio 5 exibe 10 curtas locais, mostrando as vozes da nova geração dos cineastas do Amazonas. Programação começa às 19h 19/02/2016 às 12:19
Show 1
"Gritos da Noite" é um dos curtas que serão exibidos
Felipe Wanderley ---

Uma semente plantada há 15 anos, no Festival do Filme de Um Minuto, deu origem a uma nova geração de cineastas amazonenses, ávidos por contar outras histórias da Amazônia, para além daquelas que apenas reproduziam o cansado estereótipo da região. De lá pra cá, os produtores locais evoluíram em qualidade e número e hoje inspiram uma nova safra de cineastas.

Mas se antes os locais para divulgação destes se reduziam a raras iniciativas, hoje a credibilidade desses realizadores está bem mais em alta. Prova disso é que novos - e nem tão novos assim – representantes do cinema local ganharão um espaço privilegiado para exibição de 10 filmes, produzidos em Manaus e em Tefé, na próxima terça-feira (23), às 19h, no Cinemark, com entrada gratuita.

Realizado por meio da parceria da Amacine Futuros Cineastas (Associação de Mídias Audiovisual e Cinema do Amazonas) com a rede de cinemas, o projeto é coordenado pelo realizador e produtor cinematrográfico Zê Leão, fundador do Festival do Minuto, na época ainda assinando seus projetos como o nome de Júnior Rodrigues. Esta será a segunda exibição de filmes amazonenses nas salas do Cinemark.

A mostra terá filmes de realizadores já experimentados, como o jornalista e produtor audiovisual Allan Gomes, que estreia seu curta de ficção “Gritos da Noite”, uma história de mistério e ancestralidade vivida por três jovens em um sítio no interior do Amazonas. Mas o mini-festival também apresenta revelações das oficinas recentes da Amacine em Manaus e no interior.

Dentre elas, merecem destaque “Transcendência”, de Davi Penafort, sobre o dilema de um pai ausente que se depara com uma experiência que pode mudar sua vida; e “Amanhã...”, de Igor Paiva, que faz uma reflexão sobre a questão do aborto a partir da especulação sobre como seria a vida de uma criança caso ela não tivesse sido interrompida na gravidez. Ambos os realizadores tem 17 anos de idade.

Além dos já citados, “Simples Assim!”, de Francelle Santos; “O Abismo”, de Roberto Hades; “Eu me Lembro”, de Erismar Fernandes; “Um dia de Sol”, de Wander Luis;  “O Compromisso”, de Maxime Michel; “As Princesas no Reino Encantado da Floresta”, de Belmar Costa; e “Caboré”, produzido por jovens do município de Tefé, também compõem a mostra.

“Antes nós víamos muito a Amazônia ser mostrada de fora para dentro, em pleno século 21 as pessoas achavam que a gente andava nu, que tinha onça no meio da rua, parte por culpa dessa visão. Conseguimos mostrar que não é bem assim, mostrando uma coisa de dentro para fora, o amazonense se retratando, pensando por ele. E assim como temos filmes urbanos, que retratam isso, também temos filmes que se preocupam em fazer preservar a memória, como é o caso dos meninos de Tefé”, diz Zê Leão.

Serviço

O que é? Sessão de Cinema Amazonense

Onde é? Cinemark, no Studio 5 (Av. Gen. Rodrigo Otávio, 3555, Distrito Insdustrial, Zona Sul)

Quando é? Nesta terça-feira (23), às 19h

Quanto é? Gratuito

Publicidade
Publicidade