Publicidade
Entretenimento
Carnaval 2017

David Assayag poderá puxar samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense, em 2017

O levantador de toadas do Caprichoso declarou que ainda se encontrará com a diretoria da escola de samba carioca para discutir sobre a participação dele durante o desfile da agremiação, no próximo ano 18/10/2016 às 16:18
Show david
David Assayag ao lado da equipe da Imperatriz Leopoldinense (Magaiver Fernandes/Reprodução)
Laynna Feitoza Manaus (AM)

Um amazonense pode ter a chance de integrar o time de puxadores de samba-enredo no tradicional desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro, em 2017. Trata-se do levantador de toadas do boi Caprichoso, David Assayag, escolhido no meio deste ano para interpretar o samba “Xingu, o clamor que vem da floresta”. Na madrugada de ontem (18), o samba cantado pelo levantador parintinense foi eleito o hino oficial da Imperatriz Leopoldinense, a ser apresentado no Carnaval do ano que vem.

Em entrevista ao BEM VIVER, o cantor declarou que ainda será feito um encontro com a diretoria da agremiação carnavalesca sobre a participação dele durante o desfile da escola carioca, no próximo ano. “Terei uma reunião com a diretoria e estamos acertando alguma coisa no sentido de talvez puxar o samba-enredo. Sempre há vários puxadores de samba, mas no caso eu seria o puxador principal”, comenta Assayag. A final do concurso de sambas aconteceu na quadra da Imperatriz Leopoldinense, no Rio de Janeiro.

O samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense para 2017 exalta os povos indígenas do Xingu, e por conta do trabalho desempenhado no Festival Folclórico de Parintins, David foi convidado pelos compositores oficiais do samba - Moisés Santiago, Adriano Ganso, Jorge do Finge e Aldir Senna – para interpretar a música, no meio deste ano. “Eu estava no Festival e encontrei com o carnavalesco Cahê Rodrigues e ele me passou que tinha uns compositores que queriam que eu participasse do samba”, declara Assayag.

Eliminatória

Feito o convite, David viajou para o Rio de Janeiro, onde participou na primeira eliminatória de intérpretes. “Eram 12 e no final, ficaram apenas 3”, relembra Assayag. Dos três, David foi escolhido campeão. “Foram três meses de escolha”, conta. Já como intérprete do samba candidato à oficial, ele viajou para o Rio de Janeiro, onde participou da final que escolheria o samba-enredo que representaria a escola. Na ocasião, o samba cantado por David venceu. “Eu já puxei samba, mas não nessa proporção que é no Rio”, celebra ele.

David já é acostumado com a musicalidade das toadas, que em certos momentos o fazem suavizar a voz para cantar a vida de um caboclo da Amazônia, ou a caprichar nos graves para entoar o mistério de algum ritual ou criatura lendária. “É mais um desafio para ser vencido. A toada também tem a mesma força do samba, porque usa muita força vocal, o que chega a ser a mesma coisa do Carnaval. Só que, no caso da escola de samba, é uma música somente, só que durante uma hora e meia”, assegura.

Outros amazonenses de peso

Os compositores amazonenses Paulo Onça e Alan Vasconcelos também tiveram uma composição selecionada para o enredo da Grande Rio. A música foi composta por eles em parceria com Kaká, Dinho Artigliri, Rubens Gordinho e Marco Moreno. O enredo conta a história da cantora Ivete Sangalo e foi intitulado “Ivete do rio ao rio”. Esta foi a sexta vez que Paulo Onça participou do concurso da escola de samba Grande Rio e a primeira vez que saiu vitorioso.

Trecho do samba

“Brilhou…a coroa na luz do luar!
Nos troncos a eternidade…a reza e a magia do pajé!
Na aldeia com flautas e maracás
Kuarup é festa, louvor em rituais
Salve o verde do Xingu a esperança
A semente do amanhã…herança
O clamor da natureza a nossa voz vai ecoar…preservar!”

Publicidade
Publicidade