Quinta-feira, 05 de Agosto de 2021
Entrevista

Atriz Denise Fraga participa de workshop por meio do Festival Breves Cenas de Teatro

O workshop “VOZES - Criação e Narrativas” é totalmente virtual e acontece neste domingo (7). "Falo do quanto me toca e me honra a responsabilidade de dar voz a quem me confiou a sua história", disse ela, em entrevista a A CRÍTICA



b0106-1r_Willy_Biondani_3310D070-7796-488D-9CE2-B12F5D216844.jpg Denise participou de produções como o "Auto da Compadecida", "Uga Uga" e "Éramos Seis" (Foto: Willy Biondani/Divulgação)
07/03/2021 às 13:27

A percepção do quanto o teatro é um ritual poderoso de reflexão é um dos tópicos que a atriz Denise Fraga vai abordar no workshop virtual “VOZES - Criação e Narrativas”, a ser realizado neste domingo (7), das 19h às 21h (horário de Brasília), por meio da programação do Festival Breves Cenas de Teatro. “Vou falar um pouco dessa minha ‘especialidade’ em contar histórias reais, cotidianas, banais, mas que, quando colocamos a lente da arte sobre elas, nos comovem de beleza. Falo do quanto me toca e me honra a responsabilidade de dar voz a quem me confiou a sua história”, coloca ela, em entrevista a A CRÍTICA.

A construção de narrativas a partir de múltiplas vozes será um dos pontos altos do workshop, cujas inscrições, feitas por meio do site www.brevescenas.com.br, já estão encerradas. “Fizemos esse trabalho na peça ‘Eu de Você’ [monólogo onde Denise encena relatos de histórias reais]. Estávamos em turnê quando veio a pandemia. Acho que o ingrediente maior pra construir esta narrativa é a disponibilidade de escuta. Escutar o que se apresenta ali na sala de ensaio, na construção, para entendermos ao que estamos dando voz”, pontua ela.  



Segundo Fraga, o tema original dos trabalhos, muitas vezes, cria ramificações inusitadas que falam por si, dando escuta a outras vozes que estão pedindo passagem no processo. “Até para te dar respostas que você não tinha quando começou o projeto. Nossa construção do ‘Eu de Você’ foi linda demais. Quando você vê, a peça não parece mais feita de pedaços. Parece que aquilo sempre existiu junto. Porque criou uma existência e uma personalidade plural, comprovando nosso pertencimento a uma coisa muito maior que se chama a experiência humana na Terra”, complementa.  

Televisão 

Denise possui uma extensa participação em novelas, séries e filmes. Alguns de seus trabalhos são as personagens Cândida Martins na novela “A Lei do Amor” (2016); Meg Karabastos em “Uga Uga” (2000); no filme “Auto da Compadecida” (1999) como Dora e na novela “Éramos Seis” (1994) como Olga Amaral. Ela se prepara para retornar à teledramaturgia na novela “Um Lugar ao Sol”, próximo folhetim das nove previsto para suceder “Amor de Mãe” na Rede Globo. A novela já está em fase de gravações.  

Sobre sua personagem na novela, Denise afirma poder falar pouco a respeito. Ela revela, porém, que sua personagem é envolvida com a música e com os vícios. “Não gravei muito ainda. Meu personagem só entra no capítulo 29. Faço uma cantora e compositora alcoólatra, que está em abstinência há nove meses e resolve investir de novo em sua carreira não muito bem sucedida e se aproximar de seu filho”, pontua a atriz.  

Na sinopse da nova trama escrita por Lícia Manzo, o ator Cauã Reymond interpretará dois irmãos gêmeos que crescem separados, de acordo com informações do site Purepeople. Ainda segundo o site, o irmão que teve mais condições financeiras é viciado em medicamentos e entorpecentes. O outro, criado em um orfanato, é humilde e possui um futuro promissor nos estudos.

Integração artística 

Com a pandemia do novo coronavírus, Denise criou um programa em seu canal no Youtube, chamado “Horas em Casa”. “O ‘Horas em Casa’ foi uma necessidade nossa de investigar os sentimentos das pessoas na pandemia, investigar as diferenças em cada casa na imensa e injusta diferença social do nosso País. O programa também deu voz a nossa angústia e a nossa inquietação diante dos absurdos diários que testemunhamos na forma como a pandemia foi gerenciada por aqui”, declara Fraga. No ano passado, foram gravados 23 vídeos para o programa virtual.

A relação entre Denise e o teatro, a TV e a Internet se complementam de modo eficaz em sua vida artística. “Minha vida é o teatro. Sinto que lá é o meu lugar principal, meu púlpito, o lugar que me dá voz”, garante. Para ela, a Internet acaba sendo uma pequena extensão desse sistema, mas Fraga afirma ainda estar aprendendo a lidar com a ferramenta.  

“Tenho a impressão que, ao se lançar um post qualquer, ele já cai na Torre de Babel que virou a web e pode se perder lá dentro. Ainda estou tateando. Ainda não entendo direito esse mecanismo de conseguir ser realmente ouvida e reverberada no meio de tanta informação. Vamos tentando, porque é um lugar de comunicação muito forte. E comunicação me interessa. Mas não a qualquer preço”, aponta.  

Já na TV, Fraga alega ter tido a chance de fazer muitos projetos pessoais relacionados com a crônica cotidiana, algo que ela o diretor Luiz Villaça, seu esposo e parceiro de vida e arte, fazem até hoje. “Agora estou feliz de fazer uma novela, ainda mais escrita pela Lícia Manzo, pelo Léo Moreira e dirigida pelo Maurício Farias, gente que eu respeito tanto”. 

Breves Cenas

Pela primeira vez, o Festival Breves Cenas de Teatro será totalmente virtual e trabalhará com teatro em formato de podcast, com foco na dramaturgia em áudio - teatro para ouvir. Os selecionados vão construir uma cena curta sonora, onde todos os elementos cênicos, estéticos e artísticos devem ser expressados por meio da sonoridade.  A ideia é inspirada no radioteatro, que fez sucesso nos anos 40 e 50 no Brasil, mesclado à modernidade do podcast nos dias atuais. As 13 cenas selecionadas estarão disponíveis de 25 a 28 de março nas principais plataformas de áudio. 

Subeditora de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.